Natal - Sua origem e verdadeiro sentido

Nascimento de Jesus
O natal sempre chega no dia 25 de Dezembro de cada anos e muitas pessoas pelo mundo comemoram o nascimento de Cristo e se confraternizam com os familiares e amigos; comendo, bebendo e até exagerando na dose.


Sobre esta data repousam muitas crenças misturadas, fábulas e há também aqueles que englobam todos os cristãos como criadores e que comemoram esta data anualmente. Mas não é bem assim...

Na linguagem mais comum das pessoas, o Natal é uma data onde se comemora o nascimento de Cristo, o papai Noel trás presente para as crianças e é claro, é mais um feriado para quem trabalha.

Na prática, as pessoas expressam o Natal enfeitando árvores com luzes e vários arranjos chamados de arranjos de Natal. Também fazem banquetes, churrasco e se confraternizam com parentes que vêm de longe.

Mas será que Natal é simplesmente isso? O que seria o Natal para você leitor? Como você expressaria sua concepção sobre a palavra Natal?

Será que como muitas vezes comemoramos o Natal é correta? E o papai Noel, de onde surgiu? Vamos abordar o que pudermos nesta postagem para que você possa conhecer um pouco mais sobre esta data especial que é comemorada todos os anos em nossas vidas.
  1. Definição geral
  2. História
  3. Heresias 
  • Definição Geral

Etimologia

A palavra 'natal' do português já foi 'nātālis' no latim, derivada do verbo 'nāscor' (nāsceris, nāscī, nātus sum) que tem sentido de nascer. De 'nātālis' do latim, evoluíram também 'natale' do italiano, 'noël' do francês, 'nadal' do catalão, 'natal' do castelhano, sendo que a palavra 'natal' do castelhano tem sido progressivamente substituída por 'navidad' como nome do dia religioso.
Já a palavra 'Christmas' do inglês evoluiu de 'Christes maesse' ('Christ's mass') que quer dizer missa de Cristo.(www.wikipedia.org)

O natal assinala o nascimento de Jesus Cristo e é um momento de paz, alegria e boa vontade. É importante para os cristãos porque relembra o fato de Deus enviar à terra seu único filho para trazer vida eterna à humanidade. O Natal é a mais popular festa cristã. (www.rcentrium.com)

Vimos acima segundo duas fontes, uma definição básica sobre o Natal. Vamos saber agora um pouco da história do Natal.
  • História
Origem do Natal e o significado da comemoração

O Natal é uma data em que se comemora o nascimento de Jesus Cristo. Na antiguidade, o Natal era comemorado em várias datas diferentes, pois não se sabia com exatidão a data do nascimento de Jesus. Foi somente no século IV que o 25 de dezembro foi estabelecido como data oficial de comemoração. Na Roma Antiga, o 25 de dezembro era a data em que os romanos comemoravam o início do inverno. 

Portanto, acredita-se que haja uma relação deste fato com a oficialização da comemoração do Natal.
As antigas comemorações de Natal costumavam durar até 12 dias, pois este foi o tempo que levou para os três reis Magos chegarem até a cidade de Belém e entregarem os presentes (ouro, mirra e incenso) ao menino Jesus. Atualmente, as pessoas costumam montar as árvores e outras decorações natalinas no começo de dezembro e desmontá-las até 12 dias após o Natal.

Do ponto de vista cronológico, o Natal é uma data de grande importância para o Ocidente, pois marca o ano 1 da nossa História.

A Árvore de Natal e o Presépio


Em quase todos os países do mundo, as pessoas montam árvores de Natal para decorar casas e outros ambientes. Em conjunto com as decorações natalinas, as árvores proporcionam um clima especial neste período.

Acredita-se que esta tradição começou em 1530, na Alemanha, com Martinho Lutero. Certa noite, enquanto caminhava pela floresta, Lutero ficou impressionado com a beleza dos pinheiros cobertos de neve. 

As estrelas do céu ajudaram a compor a imagem que Lutero reproduziu com galhos de árvore em sua casa. Além das estrelas, algodão e outros enfeites, ele utilizou velas acesas para mostrar aos seus familiares a bela cena que havia presenciado na floresta.

Esta tradição foi trazida para o continente americano por alguns alemães, que vieram morar na América durante o período colonial. No Brasil, país de maioria cristã, as árvores de Natal estão presentes em diversos lugares, pois, além de decorar, simbolizam alegria, paz e esperança.

O presépio também representa uma importante decoração natalina. Ele mostra o cenário do nascimento de Jesus, ou seja, uma manjedoura, os animais, os reis Magos e os pais do menino. Esta tradição de montar presépios teve início com São Francisco de Assis, no século XIII. As músicas de Natal também fazem parte desta festa.

O Papai Noel : Origem e tradição

Estudiosos afirmam que a figura do bom velhinho foi inspirada num bispo chamado Nicolau, que nasceu na Turquia em 280 d.C. O bispo, homem de bom coração, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando saquinhos com moedas próximas às chaminés das casas.

Foi transformado em santo (São Nicolau) pela Igreja Católica, após várias pessoas relatarem milagres atribuídos a ele. A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo. Nos Estados Unidos, ganhou o nome de Santa Claus, no Brasil de Papai Noel e em Portugal de Pai Natal.

A roupa do Papai Noel

Até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom ou verde escura. Em 1886, o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova imagem para o bom velhinho. A roupa nas cores vermelha e branca, com cinto preto, criada por Nast foi apresentada na revista Harper’s Weeklys neste mesmo ano.

Em 1931, uma campanha publicitária da Coca-Cola mostrou o Papai Noel com o mesmo figurino criado por Nast, que também eram as cores do refrigerante. A campanha publicitária fez um grande sucesso, ajudando a espalhar a nova imagem do Papai Noel pelo mundo.

Curiosidade: O nome do Papai Noel em outros países

- Alemanha (Weihnachtsmann, O "Homem do Natal"), Argentina, Espanha, Colômbia, Paraguai e Uruguai (Papá Noel), Chile (Viejito Pascuero), Dinamarca (Julemanden), França (Père Noël), Itália (Babbo Natale), México (Santa Claus), Holanda (Kerstman, "Homem do Natal), POrtugal (Pai Natal), Inglaterra (Father Christmas), Suécia (Jultomte), Estados Unidos (Santa Claus), Rússia (Ded Moroz). (www.suapesquisa.com) 
  • Heresias
Se você não sabe o que é heresia, vou dar uma definição básica, mas esclarecedora. Heresia é tudo quanto se coloca em um assunto distorcendo parcial ou totalmente o sentido deste assunto. 

Com o Natal não foi tão diferente de muitas outras histórias e relatos. Na verdade que a história sobre o Natal é totalmente profunda e reveladora quando a entendemos claramente e a lemos originalmente.
Sua história não está estampada em livros infantis com o bom velhinho Noel satisfazendo desejos de criancinhas ou exposto em cada dia de cada ano em todo fulgor das comemorações que se fazem no mundo.

Na verdade a base original do Natal não consta nenhum velhinho gordo e de barba branca que anda num trenó puxado por renas voadoras cheio de presentes para as pessoas.

Nos muitos anos que tenho vivido eu já acompanhei isso em quadrinhos, televisão, livros infantis e tantos outros meios que divulgam o bom velhinho Noel. Será que realmente o Natal é tudo isso que vemos hoje? Será que comemoramos corretamente?

Eu diria que muitos “arranjos” foram inseridos ao longo do tempo na história genuína do Natal, como você pode ler acima nas referências pesquisadas.

A verdadeira história do Natal você talvez até já a tenha ouvido mas nunca quis dar ouvido. Estou falando exatamente do registro bíblico sobre a história base do Natal: O nascimento de Cristo.

Este deveria ser o verdadeiro motivo de todas as pessoas comemorarem o Natal e não outros. É claro que muitos nem sabem que a verdadeira história do Natal está registrada nas páginas da Bíblia Sagrada, e outros preferem ignorar, ou até mesmo taxar heresia de verdade e verdade como heresia.
Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6
O verdadeiro sentimento do Natal deveria ser a gratidão de se saber que Deus em seu infinito amor, deu seu Filho unigênito para que morresse por toda humanidade para que pudessem ser salvos de seus pecados e condenação e não um sentimento de alegria por se ganhar um presente, ver os familiares reunidos ou se esbaldar de comer e beber até se embriagar. Tudo isso é bom, mas não tem ligação direta com o sentido do que é natal.

Infelizmente muitos comemoram o Natal totalmente inocentes do seu verdadeiro sentido. Então o Natal é cristão? De certa forma sim, pois foi Cristo a luz preciosa daquele dia bendito. Mas eu diria que o Natal não é uma propriedade de cristãos e sim uma história bíblica e que tem todo fundamento preciso para ser histórico.

Portanto precisamos comemorar o Natal com alegria em se lembrar do dia em que nosso Salvador nasceu como um presente de Deus para todos nós; mas deveríamos também se lembrar muito mais ainda de sua morte e ressurreição que devia nos trazer a memória tudo quanto Ele disse e deixou avisado aos seus seguidores. E uma delas foi: “Eis que cedo venho sem demora!”  (Ap.3.1)

Se você quiser ler mais um pouco sobre o assunto, pode acessar também o link abaixo:
Eu particularmente aproveito o feriado, como bem e vivo naturalmente a comunhão que tenho que viver com meus familiares e amigos todos os dias. Então, qual sua opinião sobre o Natal? Comente e nos diga qual o seu pensamento. Compartilhe conosco.


Sobre o Autor:
Ricardo F.S é administrador da empresa Ricardo Arts em Valparaíso e dos blogs Blog Ricardo Arts,Dinheiro sem Limite e Processo Blogs na internet. Possui curso completo de informática e internet e possui anos de conhecimento com blogs. Atualmente trabalha como letrista, desenhista e pintor; prestando serviços também na web com design. Para saber mais clique aqui.