Terra Plana - Gênesis 1.8 - Céu Esférico ou Expansão?

Já falamos um pouco sobre o universo anteriormente. Citamos os textos da criação e expomos sua etimologia hebraica e das traduções em nosso português. Neste artigo, analisaremos mais um texto bíblico baseado em Gênesis e ver o que nos revela o texto no capítulo 1 e versículo 8. Citamos em resumo, como os globalistas descrevem a criação, medindo a mesma como espaço-tempo; onde tudo se iniciou com um Big Bang inexplicável (salvo para o criacionismo científico) e agora focaremos especificamente na expansão que Deus criou entre as águas na criação. Mesmo nesse tocante os globalistas veem tudo diferente e há muitas contradições em suas teorias e viagens alucinantes pelo universo da criatividade. Segundo as Escrituras, inicialmente os céus foram criados entre a água que já existia e como uma espécie de bolha de ar, se tornou o divisor de águas em nossa habitação. Neste artigo, veremos especificamente mais detalhes sobre o céu.

O Céu Segundo a Ciência

"Céu (do latim cælum) é o nome pelo qual se conhece o panorama obtido a partir da Terra ou da superfície de outro astro celeste qualquer quando se olha para o universo que os rodeia. O panorama obtido pode mostrar-se significativamente influenciado pela presença ou não de atmosfera ao redor do astro no qual situa-se o observador.

Em ausência de atmosfera o céu mostra-se negro, e nele destacam-se nitidamente as estrelas e demais astros. Em presença de atmosfera, durante o dia, o céu terrestre mostra-se azulado, e a dispersão da luz estabelece intensidade média de luz que normalmente ofusca os demais astros celestes à exceção do sol e da lua, não sendo aqueles visíveis no céu durante o dia, portanto. O céu noturno assemelha-se bem ao que espera-se encontrar nos casos onde há ausência de atmosfera.


Divisões do céu segundo a NASA

Nuvens e outros elementos climáticos também afetam o céu, determinando por vezes belos panoramas. As auroras constituem outro exemplo entre os fenômeno atmosférico que podem influenciar diretamente o céu, não obstante fazendo-o de forma a embelezá-lo.

Céu refere-se também ao espaço de dimensões não diretamente comensuráveis via sentidos - e por tal suposto em senso comum infinito - onde encontram-se ou movem-se os demais astros e estrelas do Universo."  Wikipedia

Num resumo, para eles o céu pode ser medido; é todo espaço que "rodeia" a Terra e os astros; pode conter uma atmosfera (no dia) ou não, mostrando-se negro (a noite); possível ver os astros somente a noite e de dia só o sol e a lua e nosso céu noturno é semelhante ao da lua ou qualquer outro astro. Eu nunca vi tantas incongruências assim em apenas um trecho explicativo! Como assim, a atmosfera que é responsável pela ofuscação dos astros no céu? A noite ficamos sem atmosfera então? Será que eles leram a definição que deram para atmosfera? E quem esteve em outro astro pra descrever o "céu" de lá? Não, não creio que o homem esteve na lua... Mas enfim, resumidamente isso é o céu segundo eles...  Não esquecendo de citar aqui as divisões de camadas que eles atribuem ao céu redondo da Terra globo.

O Céu Segundo a Bíblia

Antes de analisarmos o texto; é necessário esclarecer que a Bíblia nos revela ao longo de suas páginas, três céus ou três níveis de céu apenas. Apesar dos termos e nomes complexos que os cientistas criam; a Bíblia se detém na revelação dessas três "camadas" se assim podemos chamar. Vamos ver o que nos revela o texto a ser estudado hoje:


E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo. Gênesis 1:8


Vemos não só neste texto mas nos anteriores a este o termo "expansão" usado antes de "Céus". Estudemos somente as duas palavras referentes ao assunto em questão:

1. "expansão" - Do hebraico "raqi'a" (רָקִיעַ ), significa: céu, firmamento; cobertura. É claro que segundo cada contexto é que é usado um termo hebraico quando vários diferentes se originam de uma única palavra e isso é um tanto complexo e desafiador para os tradutores e interpretes das Escrituras. Mas note que neste caso, todas as variantes coincidem com o texto e contexto em estudo; excetuando a palavra "céu" que ficaria sem sentido se usada duas vezes.

Sendo assim, os termos firmamento e cobertura seriam bem aplicados ao texto em apreço. Mas vamos ver a etimologia de cada palavra originária do hebraico e ver o que temos:

Céu: 1. Espaço onde se localizam e se movem os astros. 2. Parte desse espaço, visível pelo homem e limitada pelo horizonte; firmamento, abóbada celeste. 3.  ATMOSFERA ('tempo').

Firmamento: 1. Ato de firmar; sustentação. 2. O que serve de sustentação, de fundamento; alicerce, base. 3. Espaço celeste visível, no qual se localizam os astros; abóbada celeste, céu, páramo.

Cobertura:  1.Ato ou efeito de cobrir; cobrição, cobrimento. 2. Tudo o que cobre ou que serve para cobrir. 3. O que reveste, protege ou guarnece; revestimento.

Concepção Antiga do Universo
Era comum na antiguidade essa compreensão do universo. Observe como era compreendido os "Céus".
Imagem: All About Jesus Ministries  

2. "Céus" - Já a palavra hebraica para "Céus" no mesmo texto é "shamayim" ( שָׁמַיִם ), que significa:  céu, céus, firmamento; espaço, espaços, ar; Deus. Usando a regra rotineira de tradução e interpretação, descartaríamos os termos "ar" e "Deus" para o contexto em estudo. Vamos ver a etimologia das palavras que restam? Somente das que não vimos ainda certo?

Céus: Aparentemente é apenas o plural da palavra "céu", mas quando analisamos as verdades bíblicas; entendemos que realmente existem três céus! O céu mais próximo de nós; o céu espacial e o céu onde nosso Deus habita e nenhum homem jamais foi. Paulo, falando de si mesmo, conta sobre seu arrebatamento até o terceiro céu:


Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. 2 Coríntios 12:2


Espaço: 1. A extensão que compreende o sistema solar, as galáxias, as estrelas; o Universo. 2. Região situada além da atmosfera terrestre, ou além do sistema solar.

Obs: Infelizmente, esta é a definição atual para espaço que temos... Deu para perceber as pitadas do heliocentrismo na definição não é mesmo? Complicado...


Mas para não estendermos muito essa sessão. Resumidamente os Céus são divididos em três camadas, onde na primeira voam os pássaros e borboletas por exemplo; no segundo já é o espaço onde algumas aeronaves e balões chegam atingir e depois da altitude máxima desse espaço, temos a habitação de Deus, acima de nós. O céu abriga toda vida e nos supri com o oxigênio necessário para sobrevivermos e bem acima de nossas cabeças estão os luminares e as estrelas e por fim, Deus em seu lugar no céu dos céus. Se eu fosse colocar aqui todas as referências encontradas nas Escrituras a respeito dos termos estudados, não caberiam neste artigo! Por isso conteremos a ansiedade para tratar de cada referência em outros artigos... Mas as Escrituras de certa forma cruzam informações compatíveis com a ciência até certo ponto acerca dos céus. Lembrando que a cosmologia usada nas Escrituras é a dos hebreus.

O Céu Segundo a Terra Plana

Apesar de o conceito da Terra Plana parecer de cunho religioso; não é bem assim, e já ficou mais que comprovado com apenas 30 provas científicas publicadas aqui neste blog que o assunto é científico e comprovado fora do âmbito religioso. O que acontece é que as Escrituras já revelavam (embora alguns neguem), essa verdade incutida em seus termos originais e referências diretas em outros lugares, como a passagem de Josué e a ordem para parar sol e lua. Mas como os terra planistas descrevem o céu na Terra Plana? De acordo com as Escrituras? Bem, na verdade, assim como para a ciência ainda é cedo para se responder o que realmente há em todo o universo e sua real extensão; os céus da Terra Plana ainda não são e nem foram completamente explorados... Existem até mesmo algumas correntes diferentes de pensamentos acerca deste assunto dentro da Terra Plana.

Existem aqueles que creem que seja realmente conforme a cosmologia hebraica; havendo água sobre o universo e existem aqueles que acreditam que existe água antes do lugar onde as estrelas se encontram e até mostram essa possibilidade com experimentos convincentes. Mas quer saber a minha opinião? Eu creio ser como a Bíblia descreve e isso na verdade não tem a ver com a cosmologia hebraica; pois estamos falando da narrativa da criação e lá consta que os nossos céus fizeram uma divisão entre as águas, de modo que sol, lua e estrelas foram criados no firmamento, abaixo das águas que estão em cima (obviamente). Quanto ao efeito aparente de que as estrelas parecem estar envoltas ou atrás de uma camada de água; pode ser muito bem o efeito da atmosfera, que contém vapores de água em sua composição. Isso pode muito bem explicar o efeito que vemos nas estrelas quando usamos um telescópio.

Balões são soltados atualmente constantemente nos céus
Atualmente a NASA alega não só ter ido a lua como ter milhões de satélites em órbita e existirem sondas até em marte!
Imagem: Google

Quanto as informações mais confiáveis que temos extraídas de uma exploração em nossos céus, foi a incrível façanha de subir numa cápsula de alumínio presa a um balão que atingiu a estratosfera a 15.838 metros. Lá ele não só viu que a Terra é plana, mas detectou temperaturas variadas lá em cima; detectou raios cósmicos e radiação misteriosa, aumento excessivo da pressão atmosférica; uma névoa cor de cobre e gás azul (ozônio) e  a 16.093 km o céu era azul intenso. Esse relato fascinante da aventura real do Prof. Auguste Piccard, reservaremos para um artigo completo científico como prova de que a Terra é plana. Então, aguardem... Depois dele, muitos subiram aos céus para baterem recordes e além disso só temos as informações falsas e forjadas da NASA com seu teatro já descoberto. E sobre o domo e sua resistência ainda estudaremos aqui; mas estou pesquisando e aprendendo cada dia mais... Muitas informações e revelações virão...    

Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Salmos 19:1

Se você tem algo a comentar sobre o tema, sinta-se a vontade; compartilhe com outras pessoas e assine as atualizações do Verdade Urgente para não perder nada que for publicado! 


Comentários

  1. Parabéns pela postagem 👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá caro Fernando! Muito obrigado por ler e comentar! Deus abençoe pelo incentivo! Isso é muito importante! Forte abraço!

      Excluir
  2. Realmente a narrativa de Genesis no capítulo 1 me leva a entender que existe águas acima da atmosfera e que há uma espécie de domo que segura e separa as águas, além do mais o sol e a lua parecem girar dentro da atmosfera e iluminar localmente. A observação da a me entender que sim. Outra questão é a da palavra Shamayim no hebraico que quer dizer águas e não céu no texto bíblico. No começo criou ELOHIM às águas e a terra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cláudio Mamann! Agradeço por ler e comentar sobre o assunto! Realmente muitos teólogos tem tentado forçar as narrativas bíblicas para apoiar a pseudo ciência ateísta e causado confusão de interpretação. Realmente mesmo no hebraico esta dizendo "águas" e ainda no plural e não tem nada de poético aqui como alguns alegam. Que Deus possa abrir os olhos das pessoas e livrar muitos do cativeiro do medo e da ignorância. Deus abençoe e forte abraço!

      Excluir

Postar um comentário

Sinta-se a vontade em comentar complementando o artigo; deixando suas perguntas ou mesmo apresentando seu ponto de vista para possíveis discussões amigáveis de ideias sem ofensas, fanatismos ou estupidez.

Os comentários serão avaliados e sendo aprovados; publicados imediatamente.