Terra Plana - Conheça os Verdadeiros satélites - Parte 4

Vamos de mais um artigo sobre os satélites que supostamente são enviados por meio de foguetes ao espaço e fora da gravidade ficam orbitando nosso planeta bola giratória molhada e nunca os vemos na íntegra; nem subindo com filmagens reais e nem caindo. Porque sempre que eles caem, eles desparecem num passe de mágica como no programa Queima 48 Horas de emagrecimento. Esta bem... Os satélites queimam mais rápido! Assim; nunca você verá um satélite de verdade como te mostram nos desenhos; montagens e gambiarras que fazem por aí. Na verdade o que temos realmente são equipamentos voando nas correntes de ar por balões e com painel solar para alimentar a energia para que funcionem. Sim; existem outras tecnologias sim; mas vamos expô-las aqui e você vai cair na real a cada artigo de que ler e expusermos verdades que não conhecia ou nunca ligou os pontos. Para quem ainda não sabe; o propósito dos satélites fictícios é te fazer acreditar em gravidade existe e que eles orbitam em gravidade zero e com isso a bola giratória molhada tem sua maior desculpa de existir.

Já abordamos três partes até chegarmos aqui; onde mostramos na primeira como realmente funcionam as conexões de internet no mundo por fibra ótica;  na segunda, revelamos os satélites sustentados por balão da Google. e na terceira; as transmissões de rádio e TV pelo mundo afora por meio de milhões de antenas enormes e agora; mostraremos como são feitos realmente os monitoramentos relacionados a ecologia e a natureza que segundo os globalistas são feitos por satélites orbitando acima de nós. Será que estas informações realmente procedem ou estão mentindo acerca disso também? Fui em busca da verdade pesquisando e comparando informações e mostrarei novamente como tudo funciona de verdade e você nem sonhava. Eles nos enganaram tanto que tudo parece funcionar apenas via satélite! Mas na verdade; (penso eu) que nada fica nos céus senão Deus; os corpos celestes; aves; balões, aviões e helicópteros. Não existe nada que fique lá em cima que não seja Deus quem colocou! Vamos desmontar mais essa mentira de satélites sondando e pesquisando eventos na natureza.

Satélites de Monitoramento da Natureza

1. Amazon Tall Tower Observatory - "Brasil e Alemanha construíram uma torre de observação no coração da floresta Amazônia, considerada a maior torre de pesquisa do mundo, com 325 metros de altura. Batizada como Torre Atto, a torre servirá para observação de mudanças climáticas na região. A maior torre de pesquisa do mundo é resultado de uma parceria entre Brasil e Alemanha, que investiram 8,4 milhões de Euros no observatório. O objetivo da torre é medir os impactos das mudanças climáticas globais nas florestas de terra firme da Amazônia, medindo a interação da floresta com a atmosfera, química da atmosfera, como trocas gasosas, reações químicas e aerossóis, processos de transporte de massa e energia na camada limite da atmosfera. A torre funcionará ininterruptamente, e terá vida útil estimada entre 20 e 30 anos, onde também estão previstas quatro torres menores à sua volta, com 80 metros de altura, dando auxilio na obtenção de dados da torre principal." Gigantes do Mundo

Desde 2017 esta torre esta operante com outras torres complementares obtendo dados da Floresta Amazônica brasileira e foi posicionada em local muito privilegiado para estas observações. É engraçado que em outro artigo, é citado diversos  nomes de satélites que monitoram o desmatamento na Amazônia e que são muito eficientes. Alguém poderia me explicar então o porque dessas torres tão altas e outras auxiliares para monitorar o ecossistema na Amazônia? Alguém viu esses satélites de verdade? E por favor; não me venha com as imagens montadas e fictícias encontradas na internet. Já sei; eles ficam tão alto que jamais poderíamos ver certo?

A maior torre do mundo na Amazônia
Deu para perceber que os satélites nunca vemos; mas as torres sempre são mostradas? Estranho... Imagem: Gigantes do Mundo
2. Avião ER-2 - "Uma aeronave de pesquisas ambientais da agência especial americana (Nasa), vinda da Namíbia, na África, pousou na capital pernambucana devido à localização geográfica e às condições operacionais. O ER-2 deve ficar em solo pernambucano até segunda (03/10/16), quando decola com destino à Geórgia, nos Estados Unidos. Capaz de alcançar grandes altitudes, o modelo operado pela Nasa pode voar a mais de 70 mil pés, o equivalente a 21,3 mil metros – mais do que o dobro da altitude de cruzeiro de um jato comercial. Para pilotar uma aeronave desse tipo, o piloto precisa vestir um traje pressurizado, semelhante aos utilizados por astronautas, devido às condições extremas."  G1

A primeira coisa que me veio a mente foi a pergunta sobre os satélites que fazem este tipo de trabalho; que no caso eram pesquisas envolvendo o meio-ambiente (segundo as reportagens). Eles alegaram que a missão era para impedir o impacto das poluições e queimadas que podem afetar a atmosfera. Foram coletar informações com equipamentos científicos para analisarem posteriormente. Mas é engraçado que antes na primeira aterrissagem, eles não disseram o motivo da missão... Mas o que mais chama a atenção é os detalhes sobre esse avião e como são capazes de produzir estas imagens que dizem terem sido feitas por satélites. Eles não existem... Todas as pesquisas dessa natureza são feitas por estes aviões equipados com as ferramentas necessárias para cada situação.

A Nasa possui diversos modelos de aviões de pesquisas
Estes são os aviões de alta altitude responsáveis pelas muitas imagens de satélites lançadas nas pesquisas na internet. Imagem: Nasa
3. Drones - "Drones se tornaram uma ferramenta bastante utilizada para pesquisa e proteção ambiental. O uso desses dispositivos voadores permite que cientistas acessem áreas perigosas ou de difícil acesso, além de fornecerem dados em melhor resolução do que os satélites. 'Antes dos drones, eu utilizava principalmente dados de satélites. Mas com os drones eu recebo dados com muito mais detalhes. Em vez de ver apenas a árvore, agora eu vejo agora cada folha, por exemplo. No recife posso distinguir os diferentes corais e as diferentes algas. Posso até mesmo visualizar com bastante clareza estrelas do mar, areia, peixes e tubarões – coisas que não consigo ver nas imagens de satélite.' Karen Joyce" DW

Ao que tudo indica os satélites fictícios em breve perderão sua razão de existir e isso deve ser muito bom para as agências espaciais que não correrão riscos de serem descobertos em suas mentiras para encobrir que vivemos numa Terra naturalmente plana e que temos um limite para cima. Infelizmente muitas pessoas como a Karen Joice recebem informações, dados e imagens crendo que são de satélites sem ter uma prova cabal disso. Mas nós já sabemos bem dos satélites de asas e sustentados por balões não é mesmo? Mais um ponto negativo em descrédito para os satélites fictícios com a chegada dos drones. E o mais interessante? Eles não precisam de gravidade 0 para voar e tiram melhores fotos. Adeus satélites que nunca existiram! A Nasa já esta sorrateiramente abandonando essa história de satélites...

Um drone da NASA Predator B está voando missões sobre incêndios selvagens californianos
É incrível como as imagens dos satélites fictícios se parecem com as tiradas por esses drones! Coincidência? Imagem: Wired
4. Balões Científicos - "Duas horas e 8 minutos após o desembarque, o balão de 532.000 metros cúbicos (18,8 milhões de pés cúbicos) atingiu sua altitude de flutuação operacional de 33,5 quilômetros (110,000 pés) voando uma trajetória levando-o inicialmente para o oeste através do sul da Austrália antes de entrar no ciclone estratosférico de inverno que flui para o leste. A NASA estima que o balão circum navegará o globo sobre as latitudes médias do hemisfério sul uma vez a cada uma a três semanas, dependendo da velocidade do vento na estratosfera.

 A COSI é uma missão financiada pela NASA, projetada para investigar a misteriosa origem dos positros galácticos, estudar a criação de novos elementos na galáxia e realizar estudos pioneiros de rajadas de raios gama e buracos negros. Os vôos de longa duração são vitais para esses tipos de estudos. À medida que o balão viaja pela Terra, pode ser visível a partir do solo, especialmente no nascer e no por do sol, para aqueles que vivem nas latitudes médias do hemisfério sul, como a Argentina e a África do Sul. A Facilidade de Vôo Wallops da Nasa na Virgínia administra o programa de vôo científico de balão da agência com 10 a 15 vôos por ano de locais de lançamento em todo o mundo.

 O ATK orbital, que opera a Columbia Scientific Balloon Facility da NASA, na Palestina, no Texas, fornece planejamento de missão, serviços de engenharia e operações de campo para o programa de balão científico da NASA. A equipe da CSBF lançou mais de 1.700 balões científicos nos mais de 35 anos de operação." (4/08/17) Traduzido do site da Nasa

Quantas informações interessantes e reveladoras não é mesmo? O que temos aqui? Uma empresa desde 1982 pioneira no ramo de soltar balões de pesquisas científicas envolvida com as pesquisas espaciais na Nasa e financiada pela mesma; onde em média soltam 10 a 15 balões por ano. Balões estes que trabalham sempre em altitudes comuns aos aviões e drones apontando para um limite; e carregando seus esquipamentos diversos para pesquisas diferentes como astrofísica, heliofísica e pesquisa atmosférica. Eu não estou encontrando espaços para satélites em tudo isso... Constatamos então que não é só a Google que possui "satélites" orbitando nas correntes de vento por aí não é mesmo? ACORDA! SATÉLITES NÃO EXISTEM! 

Super balões são soltos na atmosfera a anos para a Nasa
Seria muita coincidência a semelhança desses equipamentos com os satélites fictícios que nos apresentam? Imagem: NASA
Eu encerrarei com esta cartada de mestre dos enormes balões da Google... Mas cada prova que tenho publicado até mostrando que satélites não existem já daria muitos artigos reveladores! Agora entenda de uma vez que não existem objetos voadores acima de nossas cabeças flutuando em gravidade 0 sem asas, hélices, balões ou turbinas! Justamente porque não existem satélites em órbita coisa nenhuma e muito menos geo-estacionários! Se depois de tudo isso você ainda acredita que existe gravidade;  gravidade 0 e satélites; você realmente tem problemas de cognição ou uma fé cega no sistema montado por Satanás para enganar os homens e levá-los a duvidar da existência do Criador que é bendito eternamente! Por agora encerrarei as provas contra os satélites; mas existem milhares de informações denunciando que tudo isso não passa de um esquema bem enredado para lucrar as nossas custas e omitir Deus da nossa existência.

Entenda daqui em diante que os satélites fictícios não orbitam sobre nós num espaço ilimitado e inexistente; que as luzes e coisas brilhantes que você vê são essas tecnologias que trouxemos aqui e que as imagens mostradas nas pesquisas não passam de montagens com fotos usando estes mesmos equipamentos ou gambiarras! E de resto só sobram imagens 3D e vídeos nessa linha de tecnologia! Alguns dos lançamentos de foguetes com satélites que custam uma fortuna são reais; mas os mesmos caem nos oceanos e toda montagem com os supostos satélites entrando em órbita são falsas! Não se tem provas reais desses satélites orbitando lá em cima! Não os vemos! Os telescópios como o Hubble não tiraram fotos deles! Jamais veremos a queda real de um deles ou algum cairá em seu quintal; senão pendurado a um balão! Deus abra sua mente e mostre que foi enganado até hoje!

No demais, sinta-se a vontade para refutar as provas; complementar o artigo ou mesmo compartilhar com outras pessoas que tristemente, como eu, tem a anos admirado esse povo e vivido com dúvidas das mais cruéis em mente. Assine as atualizações e fique por dentro dessa estrondosa revelação de Deus para o nosso tempo que é a Terra Plana.