Terra Plana - A Antártida Realmente é Livre para Todos?

Um dos pontos intrigantes dentro do assunto da Terra Plana é sobre a Antártida que segundo mapas oficiais que um dia foram usados no passado, não é um continente e sim o início dos limites da Terra que em sua maioria é composta de terras cobertas de gelo. Todas as águas do mundo encontram ali os seus limites e além dela ainda é um mistério para o resto do mundo; já que somente temos as informações falsificadas que nos mostram dos "satélites" e as demais são feitas por empresas manipuladas e pessoas comuns que só tiram fotos e vídeos superficiais nos lugares permitidos pelo Tratado da Antártida, e pelas autoridades que lá residem e tomam conta. Muitas perguntas, poucas respostas; mas as que temos são realmente surpreendentes e cabulosas e levantam ainda mais perguntas. O que há sob tanto gelo? Porque não existem fotos reais da Antártida por "satélites"? Porque tanta gente acampada e emprenhada em proteger a Antártida assim? Haveriam terras escondidas além da borda? Ou realmente seria um continente a Antártida? Porque aviões não cruzam o tal continente? O que fez o almirante Byrd voltar rapidamente antes do tempo previsto com informações ultra-secretas? Que mistérios esconde a Antártida?

O Tratado da Antártida foi estabelecido desde 1959
A única liberdade aparente que alguém possa ter é para pesquisas científicas na Antártida. Imagem: Slide Player

Bem; é certo que muitas verdades surgirão com o tempo; mas por agora o pouco que temos tem perturbado o coração de muitas pessoas. Alguns acreditam que exista bases alienígenas por lá escondidas; outros que os nazistas chegaram lá e por lá ficaram um tempo projetando armas super tecnológicas; outros que a entrada para o submundo se encontra por lá e até quem pense que nada disso exista e tudo isso é mentira e não passa de teorias malucas. Quanto a Antártida ser a borda da Terra e não seria um continente mas sim terras extras circuncidando nossa morada? Bem, eu ainda acredito nessa com algumas provas e situações bem impactantes. Mas ainda existem aqueles críticos ferrenhos e defensores do heliocentrismo que acreditam que vivem em um globo e que a Antártida é só um continente e chegam a negar que seja proibido se entrar na Antártida para conhecer a fundo e explorar a vontade. Pois bem; cheguei nesse assunto e mostrarei se é realmente assim ou somos limitados de andar lá com liberdade. Vem comigo!

O Tratado da Antártida 

"O Tratado da Antártida é o documento assinado em 1 de dezembro de 1959 pelos países que reclamavam a posse de partes continentais da Antártida, em que se comprometem a suspender suas pretensões por período indefinido, permitindo a liberdade de exploração científica do continente, em regime de cooperação internacional. O tratado possui um regime jurídico que estende a outros países, além dos 12 iniciais, a possibilidade de se tornarem partes consultivas nas discussões que regem o "status" do continente quando, demonstrando o seu interesse, realizarem atividades de pesquisa científica substanciais.

A área abrangida pelo Tratado da Antártida situa-se ao sul do paralelo 60 S, e nela aplicam-se os seus 14 artigos, que consagram princípios como a liberdade para a pesquisa científica, a cooperação internacional para esse fim e a utilização pacífica da Antártida, proibindo expressamente a militarização da região e sua utilização para explosões nucleares ou como depósito de resíduos radioativos." Wikipedia

Segundo o próprio tratado somente pesquisas científicas são liberadas
Mesmo as pesquisas científicas são regidas pelo Tratado da Antártida e são limitadas. Imagem: Mar sem Fim

Regras Reguladoras de Atividade na Região:

  • Assegura a liberdade de pesquisa, cujos resultados devem ser permutados e tornados livremente utilizáveis, estando prevista a presença de observadores das Partes Contratantes com acesso irrestrito a qualquer tempo e em qualquer lugar, aí incluídas todas as estações, instalações e equipamentos existentes na Antártida;
  • Permite que equipamento ou pessoal militar possa ser introduzido na região, desde que para pesquisa científica ou para qualquer outro propósito pacífico;
  • Exorta as Partes Contratantes a empregarem esforços apropriados, de conformidade com a Carta das Nações Unidas, para que ninguém exerça, na Antártida, qualquer atividade contrária aos princípios do Tratado;
  • Admite a modificação ou emenda do Tratado a qualquer tempo, por acordo unânime das Partes, ou após decorridos trinta anos de vigência, por solicitação de qualquer uma das Partes Contratantes;
  • Elege o governo dos Estados Unidos como depositário dos instrumentos de ratificação do Tratado e concede a possibilidade de adesão a qualquer Estado que seja membro das Nações Unidas;
  • Define a área de jurisdição do Tratado como aquela situada ao sul de sessenta graus de latitude sul, incluindo as plataformas de gelo, ressalvando, contudo, a preservação do direito internacional aplicável ao alto-mar;
  • Estabelece que nenhuma nova reivindicação, ou ampliação de reivindicação existente, relativa à soberania territorial na Antártida, será apresentada enquanto o presente Tratado estiver em vigor; e
  • Proíbe a realização de explosões nucleares e o depósito de resíduos radioativos (primeiro acordo nuclear internacional).
Equipamentos do exército ainda circulam pela Antártida
Segundo permitido no Tratado, o exército pode circular na Antártida sem pretensões de guerra. Imagem: Pinterest

Deu pra notar que somente será possível visitar a Antártida até certo ponto se você for um pesquisador ou cientista acompanhado por observadores de ambas as partes (Centro de pesquisas e da Antártida). E que na maioria dos casos; você só poderá ir até as instalações e bases que existem por lá. Além dessas, nenhuma outra atividade não liberada no Tratado da Antártida poderão ser exercidas. Ainda esta pensando que lá é como ir na praia? Não é bem assim... Vamos ver se encontramos mais detalhes? 

Regra sobre Regra na Antártida!

1. Proibições Específicas - "Sem equivalentes nas relações internacionais, o Tratado Antártico se baseia em grandes princípios: a não militarização e a não nuclearização do continente, liberdade de pesquisa científica, proteção do meio ambiente e congelamento de qualquer reivindicação territorial. A fim de reforçar a cooperação internacional nas pesquisas científicas, o Tratado prevê a troca de informações relativas aos programas científicos, de pessoal entre as expedições e estações na região e dos resultados científicos alcançados. Além disso, o texto prevê a realização de inspeções que permitam verificar o cumprimento das disposições do Tratado." Terra

Nada consta sobre passeios a vontade ou se meter a aventureiro pelo gelo adentro da Antártida... 

2. Sem Liberdade - "Um tratado internacional regula o turismo na Antártida. Ele inclui uma série de normas: antes de desembarcar, lavar as botas com desinfetante; nas ilhas, só se pode andar nas trilhas; os bichos têm prioridade e é proibido retirar qualquer coisa da Antártica, menos gelo. Enfim, um cruzeiro no continente gelado deve ser encarado como uma expedição e uma aula de bons modos em um ambiente e de populações especiais." Última Parada

Não se iluda porque a coisa por lá é mais regrada do que você pensa meu caro leitor e leitora. Um dos significados de expedição é : "grupo que viaja a uma região para estudá-la e pesquisá-la, esp. em caráter científico.". Entendeu bem? 

Hyundai realizou uma trilha na Antártida
Seguindo uma trilha diferente a Hyundai tentou nos enganar que atravessou a Antártida por completo. Imagem: Car Blog

3. Turismo de Risco - "O desenvolvimento do turismo neste continente virgem e frágil alarma muitos especialistas, que chamam atenção para os riscos e problemas que implica a ajuda aos navios em dificuldade. 'O isolamento é algo específico da Antártica e, se acontece algo a um navio grande, é quase impossível ajudar todos os passageiros rapidamente', explicou Daniela Ligget.

As equipes de resgate tradicionais estão a milhares de quilômetros e a ajuda costuma envolver navios de expedições científicas, que tiveram seus programas - minuciosamente preparados devido ao curto verão antártico - afetados por grandes perturbações."  G1


Se você sonha ao menos que pode chegar por lá tão facilmente e sem enfrentar riscos logo na navegação está se iludindo muito! Imagine sair xeretando por lá de qualquer forma! 

4. Preços Exorbitantes - "É uma bela viagem para quem gosta de observar animais e paisagens. Mas você não levará pedrinhas para casa. Na maioria das vezes, a expedição é mais um Antártica watching. Como muitos navios são grandes demais, não aportam no continente. Mas só o travelling vale a pena.Adventure Club


No Silver Explorer - 19 Dias - 18 de Dezembro de 2017 = U$ 21.250,00 (R$69.827,58)
No Silver Explorer - 11 Dias - 08 de Dezembro de 2017 = U$ 10.260,00 (R$33.714,40)
No Antartica XXI - Classic Antarctica Air Cruise - 8 Dias - Até Janeiro de 2018 = U$ 14.595,00 (R$ 47.959,22)
No Antarctic Explorer (Quark Expeditions) - 11 Dias - Até Março de 2018 = U$ 9.395,00 (R$ 30.872,00)
Cruzeiro na Antártica, no Navio MV Ushuaia - 11 Dias - Até Março de 2018 = U$ 5.560,00 (R$ 18.270,18) 

E então? Achou caro pagar tudo isso apenas para um "Antártida Watching" e um "travelling" ? Pois bem; é isso que vai pagar simplesmente passar próximo da Antártida as vezes sem nem ter chance de atracar por lá. Muito dinheiro não é mesmo? 

Existem diversos cruzeiros para a Antártida atualmente
Será que é realmente possível para qualquer um chegar até a Antártida a esses preços? Imagem: Crystal Cruises

5. Limitações Naturais - "Poucos turistas se aventuram para o interior, onde mesmo no verão a temperatura pode ficar em torno de -40 graus Celsius. Em Rothera, nesta época do ano, a temperatura oscila em torno de 0C, com máximas de 7C. A chuva é praticamente tão frequente quanto a neve." O Globo

Além de todas as limitações e detalhes; ainda há o básico que são os próprios impedimentos como as baixas temperaturas nesta terra. Vai encarar? Isso é; se te deixarem entrar mais no interior dessa terra gelada. 

6. Lugares Específicos - "Falando um pouco agora da parte turística da Antártica, esta se concentra principalmente nas ilhas Shetland do Sul e da costa ocidental da península Antártica, principalmente pela boa acessibilidade de ambas as regiões. Abundância de fauna, paisagens magníficas e a presença de numerosas bases científicas internacionais são as principais atrações do local. O turismo também é regido pelo tratado mencionado anteriormente. Os operadores turísticos devem cumprir e fazer serem cumpridas as normas estabelecidas: tal como avisar suas viagens até a Antártida, e cuidar para que os turistas cumpram as leis do tratado. A principal regra vigente para turistas atualmente é que nenhum turista deverá dormir nas terras do continente. Sendo assim existem diversas opções de cruzeiros que cortam aquelas geladas regiões do planeta."  Boa Viagem

Nas Ilhas Shetland, na Escócia, o Tinder serve mais como uma ferramenta de observação
É nas ilhas Shetland do Sul e da costa ocidental da península Antártica que se concentra mais o turismo. Imagem: Estadão

Conclusão

Obviamente que com preços altos assim; limitações para turistas e tanta frescura e até perigos reais; eu duvido muito que alguém realmente consiga explorar a Antártida assim tão facilmente e se meta nos confins dessas terras para ver o que encontra por lá. Os globalistas sempre apelam para o argumento de que qualquer um pode ir adentrando na Antártida de qualquer forma e ver que é só um continente; mas estão tremendamente enganados! Perguntas que perturbam mentes pensantes são: "Porque não há um tratado protegendo o Ártico assim?; Porque não há todo esse cuidado por lá também?; Porque não existe tanto interesse científico assim pelo Ártico?". O que dizer das tantas teorias misteriosas para nos distrair da descoberta principal? O que dizer das diferenças gritantes entre esses locais da Terra? São muitas perguntas; mas tenha certeza de uma resposta: Você não pode chegar de qualquer forma com liberdade na Antártida e sair explorando tudo como bem quiser. FATO! Todos seguem as rotas; trilhas e são bem acompanhados dos guias. Acampar por lá? Jamais! Então, desiluda dessas conversas de que a Antártida é um continente e que qualquer um pode ir lá e passear como no parquinho de diversões. Só quem já fez isso, sabe bem o que encontrou como o almirante Byrd. Comente! Desminta essas informações ou compartilhe a verdade com outas pessoas! 






Comentários