Terra Plana - Blue Marble, o mundo da NASA

Se prepare para mais uma revelação bombástica sobre seu mundo esférico giratório que vai abalar suas crenças no heliocentrismo e te fazer pensar muito sobre tudo que tem visto e crido até agora. Por um acaso você conhece quem é Robert Simmon? Já ouviu falar sobre o Blue Marble? Acredito que poucos sabem disso. Pois bem, neste artigo vou revelar de onde surgiu o mundinho azul lindo que bombou pelo mundo e conquistou a fé de muitas pessoas e ainda hoje é mundialmente conhecido e usado pra todo lado como sendo nosso mundo. Mas infelizmente eu sinto te decepcionar; mas todas as imagens que você pensou ser realidade e tiradas de nosso mundo foi um trabalho genial feito por um designer gráfico chamado Robert Simmon que usando imagens limitadas; montou o mapa plano sobre uma esfera e adicionou detalhes e efeitos que se tornou o globo de então que todos conhecem. E se você é cabeça dura o suficiente para achar que é mentira; vamos aos fatos como sempre; porque meu compromisso aqui é mostrar a verdade! Abaixo se encontram perguntas e respostas dadas pelo próprio Robert Simmon. Antes disso, o significado de "Blue Marble" é Mármore Azul, fazendo referência a cor predominante no globo criado por ele. Quer adicionar o Robert Simmons no Twitter?

Robert Simmons e sua versão artística do Blue Marble
"É photoshopado mas tem que ser." Eles declaram descaradamente que é manipulado em Photoshop! Imagem: Pinterest
Obs.: Para quem desconhece; o Photoshop é um dos softwares que possibilita a edição e manipulação de imagens. A NASA e agências espaciais usam tanto ele como outros para criar seus mundos.

Sobre o Blue Marble

The Blue Marble (A Bolinha Azul, numa tradução livre do inglês) é uma famosa fotografia da Terra, tirada em 7 de dezembro de 1972 pela tripulação da missão Apollo 17, a uma distância de aproximadamente 45 000 km da Terra, a caminho da Lua. É uma das imagens fotográficas existentes mais amplamente distribuídas. O lançamento da Apollo 17 no final da tarde (EST), em dezembro, resultou em uma trajetória na qual a nave espacial pôde sobrevoar a África durante a luz do dia. A missão, que ocorreu durante o verão do Hemisfério Sul, propiciou que a Antártida estivesse também iluminada. A fotografia foi feita aproximadamente cinco horas após o lançamento da nave espacial, quando a caminho da Lua. A Apollo 17, notavelmente, era a última missão lunar tripulada; nenhum ser humano desde então esteve a uma distância capaz de tirar uma fotografia de "corpo-inteiro" da Terra tal como The Blue Marble.

Usando dados do satélite Terra da NASA , cientistas e visualizadores de dados juntaram quatro meses de observações da superfície terrestre, oceanos costeiros, gelo marinho e nuvens em um mosaico sem costura, semelhante a uma foto, de cada quilômetro quadrado (0,386 milhas quadradas) de nossa planeta.  Como o original, o Blue Marble: Next Generation é um mosaico de dados de satélite obtidos principalmente de um sensor da NASA denominado Spectroradiômetro de Imagem de Resolução Moderada (MODIS) que voa nos satélites Terra e Aqua da NASA. Também como seu antecessor, o novo Blue Marble está disponível gratuitamente para educadores, cientistas, museus, empresas e o público. A coleção inclui imagens dimensionadas para diferentes mídias, incluindo Web e impressão. Os usuários podem baixar imagens de todo o mundo, ou apenas regiões selecionadas de interesse.

Versão do Blue Marble por Robert Simmon
Blue Marble - Next Generation é a versão aprimorada da suposta foto de 1972. Imagem: Earth Observatory

Oficialmente, a NASA credita a imagem a toda a tripulação da Apollo 17 — Eugene A. Cernan, Ronald E. Evans e Harrison H. Schmitt — todos tirando fotografias durante a missão, com uma câmara Hasselblad. Posteriormente, Schmitt alega que foi o autor desta imagem famosa, embora a identidade do fotógrafo não possa ser confirmada. The Blue Marble foi a primeira imagem nítida de uma face iluminada da Terra. Publicada no auge do ativismo ambiental durante os 1970s, a imagem foi vista por muitos como um retrato da fragilidade da Terra, vulnerável e isolada no espaço. O arquivista da NASA, Mike Gentry, supõe que esta seja a imagem mais distribuída na história da humanidade. Várias imagens similares da Terra que se seguiram (incluindo imagens compostas, em definição muito mais elevada) também foram denominadas de Blue Marble. Essa expressão, assim como a própria imagem, são usadas frequentemente pelas organizações de ativismo ambiental ou por companhias que tentam promover uma imagem de consciência ambiental.

Nota: É interessante comentar como ainda é dificultoso tanto para encontrar quem tirou a foto como se não consegue tirar outra mais perfeita com sondas e o próprio Hubble com toda sua glória telescópica. É obvio que a "bolinha azul" sempre foi falsa desde a suposta primeira fotografia tirada do espaço. Já disse e sempre repetirei que eles nunca saíram da órbita baixa da Terra! Todas as imagens em mosaico que eles adquiriram foram justamente pela limitação de não poder tirar essa foto completa e por isso montam a imagem posteriormente e adulteram sua realidade inserindo numa esfera.

Blue Marble por Robert Simmon

As muitas versões da Terra desde 1967 até 2015
Como foram feitas por humanos, logo se percebe o engano na discrepância de detalhes entre as imagens. Imagem: Meta Bunk

Visualizador de Dados e Designer Robert Simmon nunca pensou que se tornaria "Sr. Blue Marble ".

Nome: Robert Simmon
Título: Visualizador de Dados Principais e Designer de Informações
Classificação de Trabalho Formal:

Organização Analista de Programa Sênior, Ele trabalha para: Código 613, Ramo de Clima e Radiação, Divisão de Ciências da Terra, Direção de Ciências e Exploração

Qual é a coisa mais legal que você já fez como parte de seu trabalho em Goddard?

A última vez que alguém tirou uma fotografia da órbita baixa terrestre acima, que mostrou todo um hemisfério (um lado de um globo) foi em 1972 durante o Apollo 17. Os satélites do Sistema de Observação da Terra da NASA (EOS) foram projetados para verificar a saúde da Terra . Em 2002, finalmente tínhamos dados suficientes para fazer um tiro rápido de toda a Terra. Então nós fizemos. A parte mais difícil foi criar um mapa plano da superfície da Terra com quatro meses de dados de satélite. Reto Stockli, agora no Escritório Federal Suíço de Meteorologia e Climatologia, fez grande parte desse trabalho. Em seguida, nós embalamos o mapa plano ao redor de uma bola. Minha parte era integrar a superfície, as nuvens e os oceanos para combinar as expectativas das pessoas de como a Terra parece do espaço. Essa bola tornou-se o famoso Blue Marble.

Novas alegações a respeito do formato da Terra
A partir do Blue Marble se crê em tudo como Terra achatada nos polos; em formato de pera e geoide; sem falar na Terra Oca. Imagem: Luffão - Mundo Curioso 2:20

Fiquei feliz com isso, mas não sabia o quão generalizado se tornaria. Nunca pensamos que se tornaria um ícone. Eu certamente nunca pensei que eu me tornaria "Sr. Blue Marble ". Desde então, atualizamos os mapas de base aumentando a resolução e, em 2004, fizemos uma série de mapas mensais.

Nota: Tudo começou por uma foto limitada tirada da órbita baixa da Terra (limite humano para o alto); depois foram reunidas imagens tiradas por "satélites" a balão por um longo tempo. Se criou um modelo real da Terra Plana e o Robert Simmon fez merda colocando o mapa plano numa bola... Essa bola recebeu retoques artísticos e aqui estamos em 2017 com dezenas de imagens da Terra que muitos inocentes pensam ser real e tiradas a partir do espaço! Mal ele sabia que faria tanto sucesso. Sucesso que enganou milhares pelo mundo e pela história e ainda hoje é usado em muitos casos como uma verdade; sendo que eles jamais obtiveram uma imagem real de toda Terra do espaço; pois nunca estiveram além de determinada altitude.

Qual foi o seu melhor dia ou a melhor coisa que já aconteceu com você no Goddard?

No verão de 2007, comprei um dos primeiros iPhones. Naquele momento, você tinha que conectar o iPhone ao seu computador para configurá-lo. Literalmente, a primeira coisa que surgiu foi uma tela com o Blue Marble. Meu diálogo interno foi: "Eu não posso acreditar no que estou vendo!" Provavelmente pulei para cima e para baixo. Fiquei chocado!

Imagem criada por designer gráfico a partir da "bolinha azul"
O sucesso do trabalhado de Robert Simmon seria tão grande que atravessaria décadas encantando. Imagem: Woo Magazine

Nota: Agora ficou feia a coisa; pois além de ninguém saber ao certo quem tirou a imagem falsa da Terra; o Robert Simmon veio com seu toque artístico; aprimorou o engano e roubou a cena de uma tal forma que entrou para a história impregnando essa maldita "bolinha azul" na mente das crianças e dos adultos. Hoje essa mentira esta em livros escolares; camisas; pela web; logos e é usada com muita fé para provar que nosso mundo é assim mesmo. Quanta petulância e hipocrisia desse pessoal! Mal conseguem tirar uma foto real e completa hoje com tanta tecnologia; quanto mais em 1972 do espaço! Quanta contradição!

Blue Marble - Next Generation

É a "bolinha azul" com mais fotos da órbita baixo a longo prazo e retoques digitais com filtros e tudo mais para captar as estações do ano e se parecer ainda mais com nosso mundo real. Mas fotos reais completas da Terra, não existe mesmo; porque eles não podem tirar nenhuma por sua limitação sob o domo.

Blue Marble: Next Generation oferece maiores detalhes espaciais da superfície e abrange um período de coleta de dados mais longo do que o original. O Blue Marble original era um composto de quatro meses de observações MODIS com uma resolução espacial (nível de detalhe) de 1 quilômetro quadrado por pixel. Blue Marble: Next Generation oferece um ano de compósitos mensais a uma resolução espacial de 500 metros. Essas imagens mensais revelam mudanças sazonais na superfície terrestre: a vegetação e a extinção da vegetação em regiões temperadas, como América do Norte e Europa, estações secas e úmidas nos trópicos, e avançando e recuando a cobertura de neve do Hemisfério Norte. Do ponto de vista do processamento de computador, a principal melhoria é o desenvolvimento de uma nova técnica para permitir que o computador reconheça e remova automaticamente dados contaminados por nuvens ou de outra forma incorretos - um processo que foi feito manualmente.

Simulação do Blue Marble - Next Generation
E assim ficou nosso mundo segundo a concepção da NASA e seus artistas com nuvens, climas e etc. Imagem: PaperPino


Melhorias

Blue Marble: Next Generation melhora as técnicas para transformar dados de satélite em imagens digitais. Entre as principais melhorias, há maiores detalhes em áreas que geralmente aparecem muito escuras para o satélite (porque uma grande quantidade de luz solar está sendo absorvida), por exemplo, em florestas tropicais densas. A capacidade de criar uma imagem digital que forneça grande detalhe em regiões mais escuras, sem regiões de "lavagem" mais brilhantes, como geleiras, áreas cobertas de neve e desertos é um dos grandes desafios de visualizar dados de satélite. A nova versão também melhora a clareza da imagem e proporciona superfícies de terra altamente reflexivas, como salgados, uma aparência mais realista.

Limitações

Aqueles que pretendem usar o Blue Marble: Next Generation em suas próprias publicações ou projetos devem estar cientes de áreas que ainda precisam de melhoria. As áreas de águas abertas ainda mostram algum "ruído". Nas terras baixas tropicais, a cobertura das nuvens durante a estação chuvosa pode ser tão extensa que a obtenção de uma visão livre de nuvens de cada pixel da área para um determinado mês pode não ser possível. Oceanos profundos não estão incluídos nos dados de origem; O criador do Blue Marble usa uma cor azul uniforme para regiões oceânicas profundas, e este valor não foi completamente misturado com observações de águas rasas nas áreas costeiras. A falta de mistura pode, em alguns casos, fazer a transição entre águas costeiras rasas e oceano profundo parecer não natural. Finalmente, os dados não distinguem completamente a neve e a cobertura da nuvem em áreas com cobertura de neve a curto prazo (menos de três ou quatro meses). Este problema pode ser resolvido no futuro através do uso de uma máscara de neve mais sofisticada.

Nota: É isso aí! Devido a incapacidade real de se tirar uma foto completa da Terra do espaço; eles usam suas aeronaves de alta altitude de voo ou balões que chamam de satélites e vão tirando fotos limitadas e obstruídas pelas próprias condições de clima e relevo da Terra. O resto é só jogar nas mãos de um bom designer gráfico como Robert Simmon e vamos melhorando. Será que se eu me empenhar na minha carreira não consigo uma vaguinha na NASA não?

Nuvens criadas e clonadas nas imagens do Blue Marble
Para os olhos mais atentos é sempre possível encontrar as provas de manipulação na "bolinha azul". Imagem: Fellowship of the Minds

Conclusão

Desculpe mas a situação real e chocante é essa mesma. Eles nunca saíram da órbita baixa da Terra; jamais tiraram foto alguma por completo da Terra e as imagens que ainda conseguiram captar por meio de balões ou aeronaves de alta altitude foram coletadas dificultosamente durante anos e montada a real imagem da Terra Plana no mosaico enorme dessas fotos; eles adulteram elas, montando o panorama da Terra Plana em uma esfera e com retoques, filtros e colorização digital criam seu próprio mundinho azul e espalha para os humanos que abraçam como sendo uma verdade. Ilusão e mentiras e eles sabem disso... Muitos sabem disso... A Terra é plana e o desafio do momento para os amantes da NASA e para eles próprios continua. Mirem o telescópio Hubble ou qualquer outro para a Terra e tirem uma imagem real e completa da Terra; ainda que uma face apenas; já que puderam fazer isso em 1972 com recursos limitados. Enquanto isso estaremos aguardando... Quer defender a "bolinha azul" da NASA? Senão, complemente estas informações e compartilhe com outras pessoas. Assine também as atualizações e receba novos artigos.

Obs: Nos links dos sites da NASA existem dezenas dessas imagens para fazer download.


Fontes:
NASA
Wikipedia - Blue Marble
Earth Observatory - Blue Marble - Next Generation
Earth Observatory - Blue Marble - History