Terra Plana - O Caso de Jale Andhoy e a Antártida

A Antártida realmente é livre para quem quiser chegar próximo dela e conhecer? Será que qualquer cidadão que tenha condições poderá se aproximar e explorar o local como acreditam alguns terraplanistas? Já escrevi muito sobre a realidade de que a Antártida não é um continente e sim uma extensa parede de gelo em sua maior parte que circunda a Terra e limita as águas dos oceanos e mesmo por fotos, vídeos e testemunhos de navegadores isso se constata. Mas alguns globalistas desinformados e arrogantes insistem em teimar que o local não é bem protegido e que ninguém entra lá assim de qualquer jeito. Também já publiquei diversos artigos mostrando as leis, normas e regras que realmente deixam claro que não é permitido qualquer cidadão ir até lá para fazer o que bem quiser; senão os pesquisadores escalados e aprovados por eles para ainda irem até onde forem ordenados e acompanhados ainda. Para os mais teimosos eu trago um caso interessante de Jale Andhoy que navegou nas proximidades da Antártida sem autorização. Antes de ler a matéria; recomendo que leia alguns artigos sobre a Antártida:
Porque será que as autoridades da Nova Zelândia ao saber que Jale Andhoy se aproximava da Antártida mandou prendê-lo? Imagem: nzherald.co.nz


A prisão do explorador norueguês no Chile

Em janeiro de 2012, o Serviço de Alfândega da Nova Zelândia montou uma pesquisa para o iate de vela Nilaya , depois que o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Noruega notificou as partes do Tratado Antártico que suspeitava que Andhøy e Massie iriam novamente para a Antártica ilegalmente. Andhøy havia dito ao Ministério norueguês de seus planos, mas não obteve as permissões exigidas da Noruega. De acordo com as autoridades, Andhøy também entrou ilegalmente na Nova Zelândia no caminho para o sul, porque ele não declarou sua anterior deportação do Canadá. Também era ilegal deixar águas da Nova Zelândia como ele fez sem o desembaraço aduaneiro. Também a bordo estavam Samuel Massie, um russo, um argentino e um desconhecido "passageiro clandestino" da Nova Zelândia. Saiu de Auckland Nova Zelândia em 23 de janeiro de 2012; A alfândega da Nova Zelândia tentou uma pesquisa. 

O neozelandês resultou ser Busby Noble, um homem maori indocumentado de cinquenta anos que afirmou estar a bordo por acidente e que mais tarde realizou uma "karakia" ou uma oração para os homens perdidos na viagem Berserk 2011. Nilaya alcançou com sucesso a área onde Berserk se perdeu, mas depois de uma pesquisa infrutífera, Andhøy estabeleceu curso para a Argentina para evitar consequências na Nova Zelândia.

Depois de sofrer pequenos danos, o navio voltou para o território antártico para buscar ajuda com reparos e combustível. Nas águas chilenas, a Nilaya foi então detida pela marinha chilena porque ela deu um nome falso quando contatada pelo rádio. As autoridades chilenas também estavam conscientes de que um cidadão neozelandês " polandizado " não tinha passaporte, e não estava claro se ele estava lá por sua própria vontade. A tripulação apresentou o navio como sendo russo e norueguês marcado, e ela estava voando uma bandeira de pirata quando ela foi detida. Andhøy voltou para a Noruega em maio de 2012.





Andhøy foi inicialmente multado em 25.000 NOK (4.500 dólares), mas, em julho de 2014, foi denunciado que tinha sido multado com NOK 45.000 (US $ 7.250) pela Noruega por violar as disposições ambientais e de divulgação do Tratado Antártico durante suas façanhas de 2012. Ele afirmou que não pagaria - isso poderia sujeitá-lo a uma sentença de prisão suspensa de 50 dias. 

As autoridades da Nova Zelândia dizem que estão cientes da prisão no Chile do aventureiro norueguês que fez uma viagem ilegal da Nova Zelândia à Antártica no início deste ano, mas não vai dizer se a Nova Zelândia solicitou a prisão. Jarle Andhoy e outros quatro membros da tripulação, incluindo o neozelandês Busby Noble, foram presos pelo pessoal armado de um navio naval chileno no sábado à noite. O Sr. Andhoy fez manchetes no início deste ano, quando passou semanas viajando pela Antártica sem autorização. Ele não recebeu permissão para a viagem da Noruega e recebeu uma notificação de deportação da Nova Zelândia no final de janeiro.

O grupo, a bordo do iate Nilaya, estava à procura de qualquer evidência do veleiro Berserk perdido, que caiu no McMurdo Sound há mais de um ano, matando três. O Sr. Andhoy e um companheiro estavam viajando através do gelo quando o barco de apoio afundou, e o Sr. Andhoy disse que estava retornando à Antártica para encontrar respostas para o naufrágio. Após a viagem, ele não retornou pela Nova Zelândia por medo de ser preso. O advogado do senhor Andhoy, Nils Jorgen Vordahl, disse à Noruega que a FVN informou que uma embarcação naval prendeu o barco no sábado à noite nas águas chilenas, enquanto estava a caminho da Argentina. Tanto a tripulação como o barco estavam agora sob guarda por militares armados. A marinha não tinha dado nenhum motivo para que o barco fosse preso, mas o Sr. Andhoy tinha sido informado de que era a pedido do governo da Nova Zelândia, disse Vordahl. Uma porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros disse que estava ciente de que Nilaya foi escoltada para Puerto Williams e suspendeu sua licença de vela.

"Nós entendemos que a equipe está bem, nossa embaixada no Chile está em espera para prestar assistência consular ao neozelandês a bordo. As autoridades chilenas estão conscientes das preocupações da Nova Zelândia sobre a expedição não autorizada para a região do Mar de Ross", disse ela.



Considerações e Conclusões

Aparentemente tudo pareceu uma simples quebra de leis onde Jale Andhoy navegou sem autorização para a Antártida em busca de respostas sobre o naufrágio do veleiro Bersek e denunciado pelas autoridades na Nova Zelândia foi preso por conta disso; mas será mesmo que foi só por esse motivo? Note que ele tentou se aproximar da Antártida para investigar sobre mais detalhes em McMurdo Sound mas nem lá conseguiu chegar. Foi preso e além de prenderem seu barco, tomaram sua licença de vela. Será que seria necessário tanto assim? Talvez você insista em acreditar que a realidade esta expressa na prisão dele por fazer o que já fazia; mas atente bem ao último paragrafo que esta explicitamente indicado o motivo da sua prisão: "As autoridades chilenas estão conscientes das preocupações da Nova Zelândia sobre a expedição não autorizada para a região do Mar de Ross". 

Isso indica que realmente o lugar era proibido para ele ir e eles mais que depressa; sabendo que ia para lá; avisaram a marinha do Chile que também tem parte territorial nas margens da Antártida e o prenderam. Não só por essa matéria mas por todos os artigos já publicados aqui e principalmente pelo Tratado da Antártida podemos entender que realmente há muito lá para se contar e os mentirosos sabem disso. Mas não querem que o resto das pessoas saibam o que há além das barreiras de gelo e dos limites da Antártida. Ele tinha sim um histórico meio feio para as autoridades; mas note que ele tanto justificou seus planos de navegar para lá, mas não foi autorizado. Você acredita que essa prisão tenha sido apenas comum ou os motivos reais são de Jale Andhoy se aproximar da Antártida? Deixe sua opinião; compartilhe com outras pessoas e se inscreva para receber novos artigos.  

Fontes: 

Comentários