Terra Plana - A Saga Cômica do Satélite Brasileiro

E o satélite brasileiro? Esta em pleno funcionamento provendo internet conforme nos anunciaram? Você realmente acredita na existência de satélites orbitadores no espaço a distâncias absurdas em quantidades extremas feito nuvens de gafanhotos que jamais colidem entre si? Eu não acredito e já esclareci em diversos artigos que satélites são equipamentos pendurados em balões munidos de uma placa de captação de energia solar para alimentar os mesmos e em diversas outras áreas são usados outros tipos de equipamentos até mesmo em solo e não existem satélites como os mostrados nas imagens produzidos em softwares de computador. E se alguém acha que estou por fora; me comprove isso com imagens reais certo? Os brasileiros demoraram mas já estão entrando neste circo de cabeça para enganar os brasileiros e passar a mão nosso dinheiro. Ajuntei algumas informações sobre o suposto satélite brasileiro e só encontrei enganação e cenas engraçadas, típicas de brasileiros. Antes de continuar recomendo que leia outros artigos sobre este tema:

Suposto satélite brasileiro SCDC em solo
Para qualquer crente nessas coisas, esta imagem basta para prova; mas qualquer serralheiro pode criar algo assim. Imagem: Visiona Espacial


Satélite brasileiro chega à posição definitiva até sábado

O satélite brasileiro lançado ao espaço na semana passada deve chegar à sua posição final no próximo sábado (13/05/18). O equipamento está na terceira volta ao redor da Terra, e terá que dar mais quatro voltas para chegar ao local correto, onde ficará nos próximos 18 anos. “A saúde do satélite está perfeita”, disse o presidente da Telebras, Antonio Loss. Segundo Loss, até agora todas as etapas,após o lançamento, foram concluídas com sucesso, como a abertura dos painéis solares que garantirão a energia ao satélite e o envio dos primeiros sinais de telemetria. Lançado ao espaço o satélite brasileiro que será usado para comunicações e defesa. Quando o satélite chegar a seu destino, serão iniciados os primeiros testes de transmissão, que duram 45 dias. A previsão é que no dia 1º de julho a Telebras comece a fazer os primeiros testes para medir a potência do satélite para a transmissão de dados em todas as regiões do país.

Este é um satélite que vai levar transmissão de dados, que é uma demanda crescente. Em um país continental como o nosso, a única forma de chegar em algumas regiões remotas é com um satélite artificial.Parte da capacidade do satélite será alugada para empresas privadas para oferta de banda larga, especialmente em regiões remotas. Segundo Loss, a Telebras vai ficar com a capacidade necessária para oferecer serviços nos setores de saúde e educação, e comercializar outra parte para gerar concorrência na oferta de internet. “Cada região do Brasil vai ser estimulada com a concorrência de, no mínimo quatro competidores simultaneamente”, afirmou. O lançamento do foguete que levou o satélite ao espaço ocorreu no Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa, na última quinta-feira (4/5/2017). O satélite, de 5,8 toneladas e 5 metros de altura, vai ficar posicionado a uma distância de 36 mil quilômetros da superfície da Terra, cobrindo todo o território brasileiro e o Oceano Atlântico.

O equipamento será utilizado para comunicações estratégicas do governo e para ampliar a oferta de banda larga no país, especialmente em áreas remotas. O projeto é uma parceria entre os ministérios da Defesa e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, e envolve investimentos de R$ 2,7 bilhões.



Tele Síntese - Sem proponentes, Telebras encerra leilão de capacidade do satélite brasileiro

A Telebras tentou, mas não conseguiu, vender nesta terça-feira, 31/10/2017, a capacidade do satélite geoestacionário de defesa e comunicações (SGDC). O leilão, marcado para as 10h, começou com atraso de quase vinte minutos e foi imediatamente suspenso por mais 15 minutos à espera da chegada de participantes. O que não aconteceu. Entre os poucos representantes de empresas presentes, nenhum veio à frente para entregar seu envelope com lance inicial. O leilão prevê a cessão à iniciativa privada de dois lotes de capacidade. Em ambos os casos, o comprador deverá cumprir metas de uso de feixes para atender ao plano nacional de banda larga. Quem ficasse com o lote 1, de maior capacidade, também deveria prestar serviço para implementar os serviços "satelitais" da Telebras baseados no SGDC.

A reticência de companhias que trabalham no mercado de satélite e de operadoras com o leilão não é recente. Houve manifestações críticas à venda dessa capacidade por ser algo que não fazia parte do projeto original do satélite. Também havia dúvidas sobre o edital. Ainda assim, o governo seguiu adiante com o certame, após adiar por duas vezes a data para recebimento dos lances. 
Até o momento, a Telebras não informou se realizará o leilão em nova data.

Governo admite ociosidade do satélite brasileiro e acelera Internet para Todos

O Programa Internet para Todos, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) reduziu as exigências para que as prefeituras possam participar do projeto. Segundo o ministro Gilberto Kassab, a condição do prefeito enviar uma proposta à Câmara de isenção do ISS dos serviços inseridos no Programa não precisa mais. “Após consulta ao setor jurídico soubemos que no caso de wi-fi, que é um SVA (Serviço de Valor Adicionado), não há incidência de ISS. Caso alguma empresa instalar SMP (Serviço Móvel Pessoal) api as prefeituras poderão definir a alíquota mínima de cobrança do ISS. Portanto, ficou bem mais simples e ágil entrar no Programa”, explicou o ministro, em reunião com prefeitos do interior paulista, na semana passada. Kassab admitiu que o satélite brasileiro - lançado em maio do ano passado - está consumindo combustível com grande parte aciosa e precisa ser usado para programas como o Internet para Todos, apontado por ele, como o "de maior importância para o desenvolvimento econômico e o futuro do país". Além disso, acrescentou o ministro, a iniciativa está pronta para ser adotada.





Nas localidades escolhidas, os postos de saúde, escolas e outros órgãos púbicos e suas vizinhanças terão internet de alta velocidade gratuita e os moradores dessas regiões serão beneficiados com wi-fi de banda larga com custos bem menores do que as empresas privadas cobrariam. “A internet para a população não sairá de graça, mas devido a isenção de impostos, o preço ficará muito mais barato”, explica Kassab. Internet Para Todos é uma vertente do Governo Eletrônico Serviço de Atendimento ao Consumidor (Gesac), que fornece internet às escolas, aldeias indígenas, aos postos de saúde e postos de fronteira. O que diferencia os dois programas é a possibilidade de pessoas físicas contratarem banda larga. A conectividade será permitida pelo Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), lançado ao espaço em maio de 2017, um investimento de R$ 3 bilhões do governo federal.

Considerações e Conclusão 

Brasil se torna comédia até ao entrar na brincadeira com exploração espacial e lançamento de satélites. Observe que zona essas matérias e tem muitas mais! Reparou nas datas? Satélite lançado, depois problemas com as antenas; satélite ocioso em órbita (coisa que ninguém vê realmente); problemas com o leilão do mesmo (isso depois do lançamento) e enfim; depois alguém lança de novo? Como foi isso? Se mal vi subir; como desceram ele? É confusa as informações, engraçadas as situações e revoltante os bilhões gastos nessa mentira toda de serviços de internet com satélites em órbita. A verdade é uma só; os satélites a balão devem ter sido soltos em algum lugar escondido das vistas dos brasileiros como os do Projeto Loon e os da NASA em diversas partes do mundo para pesquisas e retransmissão de internet por antenas em solo que por sua vez recebem este sinal via cabos submarinos; não havendo cabimento esse arrombo nos cofres públicos com satélites orbitadores que não existem! Eu duvido muito que esses satélites a balão custem tudo isso!

O lançamento um show de apresentação para otários que já conhecemos da NASA e outras agências espaciais mais velhas nas tretas é hilário; o leilão do satélite sem nenhum corajoso para dar lance, mais cômico ainda foi o termo "satelital" utilizado na matéria do site Agência Brasil que foi muito criativo... E o que dizer do "combustível" gasto pelo satélite citado pelo prefeito Kassab? Como assim combustível de satélites? Existe isso? Eu achei que depois de entrar em órbita ele caia eternamente no berço esplendido da gravidade! A coisa esta ficando cada vez mais insustentável com tanta mentira! E no final quem se ferra somos nós, os coitados pagadores de impostos, tarifas, IPTU e tantos outros tributos para esses canalhas injetarem em mentiras e ainda revender serviços com equipamentos baratos a preços exorbitantes. Que Deus tenha misericórdia de nós brasileiros e revele toda essa mentira dos infernos! Deixe seu comentário sobre a saga do satélite brasileiro; se inscreva para receber novas atualizações e compartilhe com quem não conhece os satélites a gasolina ou outro combustível que seja (propelente).

Fontes: 
Tele Síntese - Sem proponentes, Telebras encerra leilão de capacidade do satélite brasileiro
Agência Brasil - Satélite brasileiro chega à posição definitiva até sábado
Convergência Digital - Governo admite ociosidade do satélite brasileiro e acelera Internet para Todos

Comentários