Doutrina da Criação - Eras Geológicas? Duas Terras?

O mundo foi criado por Deus ou realmente surgiu a partir do nada como alguns cientistas creem? Ou será ainda que seres existentes sem uma história, surgiram num passado remoto e nos criaram como creem adeptos da Ufologia? Diante de tantas questões e afirmações, devemos sim manter a verdade de Deus intacta e permanente através de quaisquer meios para que o ceticismo e as fábulas científicas não dominem a mente da população mundial, levantando enormes barreiras mentais que impedem que a Palavra de Deus encontre lugar nos corações pela fé no Deus Criador e Salvador. Além de todos esses ensinamentos ainda temos doutrinas heréticas que buscam justificar a falsamente chamada ciência a adornando com textos bíblicos desprovidos de comprovação teológica nas alegações que se fazem sobre os mesmos. O intuito deste artigo é defender a verdadeira revelação fundamentada na Palavra de Deus de toda criação foi criada pelo nosso Deus e historicamente só temos realmente a Bíblia como registro confiável para basear nossa fé. Antes de ler este artigo, poderá ler outros relacionados.
Céus tempestuosos
Segundo as Escrituras Sagradas, Deus criou todas as coisas desde o princípio conforme relatou Moisés. Imagem: J. Plenio


A Doutrina da Criação

Desde as Escrituras temos homens de Deus que reconheciam em Sua Criação suas poderosas obras como Jó e Davi que extasiados e maravilhados olhavam para tudo com um olhar minucioso e conseguiam ver que somente Deus poderia ter criado tudo que estava diante de seus olhos: 

"Que é o homem, para que tanto o engrandeças, e ponhas nele o teu coração,
E cada manhã o visites, e cada momento o proves?" Jó 7:17,18

"Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, pois puseste a tua glória sobre os céus! [...] Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste;
Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?" Salmos 8:1-4

Mesmo em nossos dias é impossível para quem tem bons olhos não olhar todas as maravilhas a sua volta e entender que existem traços grandiosos de sabedoria apontando para o Criador revelado nas Santas Escrituras.





I - Dias da Criação

A teologia não é uma matéria qualquer que se aprende de qualquer forma no fundo do quintal de casa e já possa sair por aí argumentando e pregando qualquer coisa. Quanto ao assunto que estamos discorrendo, existe uma matéria peculiar na Teologia - especialmente da Teontologia, enfocada no livro Teologia Sistemática II - que trata justamente da Criação, dos decretos divinos e da providência. O que a Bíblia tem a nos revelar e ensinar sobre todas as coisas criadas e a manutenção de tudo, incluindo a vida da parte de Deus? Precisamos entender Gn. 1.1 seguindo as regras de interpretação usando todo contexto que o precede. 

"No princípio criou Deus o céu e a terra." Gênesis 1:1. "Criou" (hb. bârâ) neste texto indica "iniciar alguma coisa nova", a partir do nada. (I. creatio ex nihilo), sem precedente algum. Essa verdade ganha ainda mais força na revelação contida no livro de Hebreus: "Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente." Hebreus 11:3

1.1 Creatio ex nihilo

Aqui o verbo mencionado realmente foca a atividade de Deus na criação. Existem sim outras ocorrências onde a aplicação do verbo hebraico toma outro sentido na frase conforme a construção e grau do mesmo. Isso é peculiar das línguas semíticas ao alterar o significado de um mesmo verbo em outra frase. Mas em toda Escritura encontramos que Deus realmente criou tudo a partir do nada com seu grande poder como o verdadeiro fiat (latim: Faça-se; seja feita). Vejamos alguns textos paralelos a essa verdade: "Porque falou, e foi feito; mandou, e logo apareceu." Salmos 33:9

"Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas."  Apocalipse 4:11 . A teologia judaico-cristã com a verdade do creatio ex nihilo confronta diretamente todas as mitologias do panteão grego e demais contos e crenças como da eternidade da matéria; também defendida pelos gregos da Grécia antiga. Como a revelação bíblica esta focada na história de Deus se relacionando com sua criação; não houve pormenores sobre o tempo do surgimento de tudo; e por essa razão, quando Darwin surgiu com sua ideia da teoria da evolução e questionando os fundamentos desde muito aceito por muitas pessoas até então; muita gente começou a analisar mais sobre o assunto; reinterpretar; fazendo adaptações e criando distorções fundamentadas em teologias infundadas e filosofias humanas.

Alguns tentam contar como mil anos cada dia da criação se fundamentando erroneamente em textos da Bíblia: "Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia." 2 Pedro 3:8. Outros vão além e tentam associar os dias do Gênesis com as eras geológicas improváveis de bilhões de anos da teoria evolucionista. Há quem tente usar o Big Bang como o estopim divino para a Criação e partir daí; tudo veio a existir mas com Deus por trás dos acontecimentos. Temos ainda quem tente separar o primeiro versículo de Gênesis do segundo; atribuindo ao texto, seis dias literais, mas de restauração da Terra e não de criação do nada. Como o termo hebraico yôm, "dia" e seu correspondente grego ημέρα (iméra) indicam período indeterminado, muitos tomam a interpretação por esta via, como neste exemplo nas palavras de Paulo a respeito da salvação: "...eis aqui agora o dia da salvação." 2 Coríntios 6:2



1.2 O que houve entre Gênesis 1.1 e 1.2?

Alguns teólogos se baseiam em textos bíblicos para tentar fundamentar sua crença de que os seis dias do Gênesis são eras geológicas apregoadas pela ciência moderna.

"Porque mil anos são aos teus olhos como o dia de ontem que passou, e como a vigília da noite." Salmos 90:4

"Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia." 2 Pedro 3:8

Denominada "Teoria do Intervalo", essa interpretação teológica se baseia em algumas lógicas, questionamentos e textos encontrados nas Escrituras para justificar nessa narrativa duas criações, sendo uma da "Terra original" no primeiro versículo e o da atual no segundo. Seria mesmo possível encontrar fatos e provas nas Escrituras que corroborem essa linha de interpretação? Alguns perguntam sobre onde teria sido o lugar onde Lúcifer vivia antes da queda; usam a queda dele relacionando-a a destruição dessa "Terra Original". Veja:  "Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor DEUS: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas." Ezequiel 28:12-16

"Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo." Isaías 14:12-14. Para estes teólogos esse seria o mundo original onde Lúcifer vivia e só então; a a partir do segundo versículo houve uma "recriação" do nosso mundo. "E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas." Gênesis 1:2. Mas a própria Escritura deixa claro que Deus criou a Terra para ser habitada desde o início da criação e não para estar vazia em tempo algum: "Porque assim diz o Senhor que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o Senhor e não há outro." Isaías 45:18.

Isaías usou os termos “tohu vavohu” (sem forma e vazia) para descrever o estado da Terra na criação. Onde "tohu" significa: "confusão, espaço vazio, sem forma, nada, nulidade, vacuidade, vaidade, deserto e caos". Jeremias usou a mesma expressão: "Observei a terra, e eis que era sem forma e vazia; também os céus, e não tinham a sua luz." Jeremias 4:23. Assim, esse teólogos alegam que a sentença em Gênesis pode ser muito bem traduzida como "E a Terra veio a ser vazia e deserta". Será mesmo que houveram duas Terras? A primeira foi destruída pela queda violenta de Satanás e a segunda recriada para nossa habitação em eras geologicamente distantes e longas? Alguns crentes nessa teoria teológica (já que as Escrituras não dão base sólida para essa interpretação) foram Lars Eric (Eurico) Bergstén e N. Lawrence Olson que se baseavam no texto de Isaías citado aqui.

Na Vulgata (Versão da Bíblia em latim) lúcifer, foi traduzido por "portador de luz" ao invés de "estrela da manhã". Esse termo acabou sendo usado como um título de Satanás. Jesus mesmo tocou neste assunto referente a sua queda em rápida menção: "E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu." Lucas 10:18. Por todos estes textos que mesmo célebres teólogos defendem essa teoria; alegando também que a mesma Palavra de Deus que criou a primeira Terra, teria criado a segunda.


Conclusão

Na verdade, criar um dogma em cima dessa interpretação e forçar os textos a apoiar essa teoria teológico - científica é incorrer em erro grave e expor os ouvintes e alunos a heresias complicadas. Muito há que se examinar antes de abraçar essas alegações como por exemplo: A Bíblia realmente dá detalhes claros sobre essa interpretação? O lugar citado pelos profetas onde Lúcifer residia pode ser comprovado como sendo essa "Terra original"? E será que realmente um ser espiritual poderia gerar tamanho impacto em um mundo físico tão grande a ponto de destruí-lo como alegam? Eu tenho comigo e com base nas Escrituras que na verdade o primeiro versículo faz referência ao resumo do assunto; como contando toda história da criação de tudo "céus e terra". Então, Moisés passa a descrever em detalhes como teria sido os dias da criação que parecem ser mais literais: "Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou." Êxodo 20:11

Deus não poderia ser mais claro que isso? Mas ele foi! Observe: "E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas. E Deus os pôs na expansão dos céus para iluminar a terra, e para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; e viu Deus que era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia quarto." Gênesis 1:16-19. Essa narrativa deixa claro que eram dias literais medidos antes pela movimentação de dia e noite (trevas e luz) sobre a face da Terra e posteriormente reforçada e adornada com sol, lua e estrelas, marcando ainda mais a mudança de dias literais. E mesmo séculos e milênios mais tarde os judeus assim marcavam as horas de seus dias! Não poderiam ser eras de bilhões de anos como alguns querem alegar. Mas focando no tema deste artigo; sim, Deus criou céus e Terra e tudo que neles há e não entrarei no tema Terra plana aqui porque temos artigos mostrando essa realidade com respeito ao formato de nosso mundo e assuntos relacionados.

Se você gostou do artigo; comente deixando sua participação; questione; compartilhe nas redes sociais e se inscreva em nosso feed de atualizações e em nosso canal também para acompanhar nosso vídeos relacionados aos temas postados aqui. Deus abençoe sua vida e até mais!

"Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados. E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera. Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus"  Gênesis 2:1-4  (Podemos conferir num só texto a aplicação de dias literais, como o sábado e dia relacionado a um tempo indeterminado se referindo ao tempo da criação)

Fontes: 

CETADEB - Teologia Sistemática III - 7ª Edição, Pg. 8  - Ciro Saches Zibordi
Bíblia Online