Terra Plana - Características do firmamento ou domo

Uma das perguntas mais intrigantes dentro do tema Terra Plana, tanto para terraplanistas como para heliocentristas é o firmamento, domo, abóboda celeste e cúpula que faz parte do nosso reino terrestre e físico. Por ser praticamente incessível de qualquer direção do mundo, é bem complicado de se responder muitas perguntas sobre o mesmo; e mesmo eu em toda humildade ainda tenho muitas perguntas sobre essa estrutura revelada nas Escrituras com mais detalhes mesmo usando certa linguagem complexa de se entender. Cientificamente ainda é bem arriscado se afirmar categoricamente sua essência e constituição física; mas podemos analisar algumas informações juntos e meditar sobre isso com toda reverência e humildade. Um dos objetivos deste artigo é justamente tentar responder a algumas perguntas que um amiguinho globolóide fez no canal Verdade Urgente tentando me colocar numa posição de contradição diante do tema apresentado por outros canais terraplanistas. Antes de mais nada já deixo claro que não entro nessa onda de apavoro em responder globolóide pra falar merdas. Se souber falo, se não souber nada digo...

Ilustração da Cosmologia Hebraica
Na cosmologia bíblica revelada a Moisés o firmamento é uma estrutura sólida que sustenta as águas externas. Imagem: Truth Set Free TV





Composição do domo e sua funcionalidade

O domo é feito de gelo celestial como ferro fundido? O domo é feito de quartzo? O domo é magnético eletricamente carregado? Estas são as perguntas que recebi de globolóides que tentam nos colocar em contradição e descrédito. Eu bem sei que muitos terraplanistas estão na busca por esse conhecimento e ainda não vi ninguém alegando categoricamente que sabe do que o firmamento é feito e nem detalhes de sua funcionalidade. Vou então transmitir o que tenho pesquisado, aprendido e coletado até aqui sobre o domo, firmamento ou cúpula da terra, como queiram chamar. Respondendo basicamente as perguntas:

1. O domo é feito de gelo celestial? 

Vou deixar aqui um suposto relato de alguém que foi selecionado para uma expedição na Antártida e compartilhou algumas informações até interessantes.  Jeff Posey: "Eu estava no Exército de 1997 a 2000 e fui enviado para a Estação McMurdo na Antártica. Eu era mecânico de helicópteros e chefe de tripulação e eles tinham visitas voluntárias abertas para os caras irem lá e trabalharem nos helicópteros de lá. Quando eles pediram voluntários, muitos de nós se candidataram, mas apenas eu e um outro cara fomos aceitos. O processo de inscrição possuía vários questionários que precisávamos preencher e tivemos que sentar um monte de tempo em uma das entrevistas. Tratava-se principalmente de um monte de perguntas sobre quais eram nossos interesses e crenças. Fui enviado para a estação de pesquisa de McMurdo em agosto de 1998.

Quando não estávamos ocupados descongelando a aeronave e trabalhando neles, tivemos tempo para sair com os cientistas da estação de pesquisa. A unidade militar anexada a McMurdo era pequena e não tínhamos instalações próprias. Não tínhamos um PX ou centro de mídia. Não havia capela ou Chaplin. E não tínhamos nossa própria sala de correio separada. Nós apenas tivemos que compartilhar as mesmas instalações com os cientistas e pesquisadores. Então, com o tempo, me tornei amigo de alguns deles. Eles tinham dois tipos diferentes de gelo nos quais trabalhavam e estudavam. Um tipo de gelo era o tipo normal que todos nós já vimos. Eles tiraram núcleos dele de furos no chão. Assim como o gelo normal, a maioria era clara ou às vezes branca, e derretia na água líquida se esquentasse. Toda a área da Antártica é coberta por esse tipo de gelo. Mas esse não era o tipo principal de gelo.





A única vez que os vi estudando gelo normal foi quando uma equipe de filmagem da National Geographic apareceu. No resto do tempo, na maioria das vezes, os cientistas estudavam algo que chamavam de "gelo no céu". Esse material era totalmente diferente. Nunca fomos autorizados a entrar nas áreas de laboratório da estação, porque os laboratórios tinham que ser mantidos super limpos e eles disseram que iria atrapalhar o trabalho se arriscassem deixar muitas pessoas no laboratório. Mas uma vez um dos pesquisadores que eu era amigo me mostrou um pedaço de gelo do céu. Você não podia tocar nas coisas com as próprias mãos porque estava muito frio. E não estava claro ou branco como gelo normal. Era azul sólido. Ele disse que é por isso que eles chamam de céu gelado, porque era exatamente da mesma cor que o céu. Tivemos que usar nossas luvas grossas e pesadas para tirar e lidar com isso. O material estava tão frio que instantaneamente congelaria sua pele se você o tocasse.

Não me lembro de que temperatura ele disse que era. Mas era algo como centenas de graus abaixo de zero. Muito mais frio que o gelo normal que estava lá fora. Ele teve que carregá-lo em uma garrafa de metal que era como uma garrafa térmica. Ele me deixou brincar com um pedaço por um tempo. Parecia mais leve que um pedaço de gelo normal do mesmo tamanho, como se não fosse muito pesado. Quase parecia que você poderia lançar no ar e isso flutuaria de volta, mas eu não tentei isso. E também foi um pouco flexível quando tentei dobrá-lo. Não quebrou como o gelo normal faria. E mesmo para um pedaço pequeno, você não podia ver através dele. Era azul sólido desde a superfície. E aqui está a parte realmente estranha. Não derreteu na água. Quando esquentou, porque tínhamos colocado dentro, começou a encolher. Ficava cada vez menor, mas minha luva nunca ficava molhada. E não havia água no chão. O material acabou se transformando no ar quando aqueceu e vaporizou.

Ele disse que essa era a razão pela qual eles tinham que estudar as coisas ali na Antártica. Você não podia levar o gelo do céu de volta para a América para estudá-lo, porque era quase impossível mantê-lo frio o suficiente durante o transporte. Sempre vaporizava no ar e você não tinha mais nada quando voltasse aos EUA. Ele disse que os cientistas russos descobriram o mesmo problema quando tentaram levar o gelo do céu de volta para a Rússia. Por isso, todos tinham estações de pesquisa na Antártica. Depois de talvez 15 minutos manuseando o pedaço de gelo do céu, ele desapareceu quase completamente. Só um pouquinho foi deixado. E minha luva estava seca o tempo todo. Eu nunca tinha visto nada assim antes ou depois. E isso é incomum, porque eu sempre tive interesse em coisas científicas. Acho que foi por isso que fui selecionado para ir à Antártica, porque grande parte da entrevista era sobre ciência e o que eu acreditava sobre as coisas. Então, eu realmente pensei que era legal ver algo que eu nunca tinha ouvido antes. Durante todo o tempo em que estive no McMurdo, ouvi pessoas falarem sobre "o muro" como se esse fosse um lugar especial.

Sky Stone - Pedra do céu
Existem fragmentos de uma pedra misteriosa estudada por pesquisadores de composição misteriosa em nosso mundo. Imagem: Anciet Facts

É bastante comum. Não me lembro exatamente como ele o descreveu, mas aparentemente há uma enorme parede de gelo do céu na Antártica. Ele disse que ficava a centenas de quilômetros para o interior da costa. Eu nunca consegui ver isso sozinho, porque estava estacionado apenas em McMurdo. Não consegui sair em expedições. Ele disse que era a maior estrutura natural do mundo. Ele disse que na década de 1960 o Exército dos EUA tinha um plano de perfurar um túnel contra a parede. Mas eles não tinham uma máquina chata capaz de suportar temperaturas super baixas. Então eles tiveram um projeto de teste completo na Groenlândia, onde desenvolveram túneis de gelo e inventaram novas máquinas de perfuração que podiam operar em temperaturas super baixas. Como se eles fizessem tudo isso na Groenlândia apenas para praticar. Não sou especialista nisso, mas foi exatamente o que ele me disse. Depois que descobriram a nova máquina de perfuração, trouxeram-na para a parede na Antártica.

Ele disse que a máquina perfurou um túnel, não me lembro exatamente, como 8 ou 10 quilômetros na parede, mas que eles nunca romperam o outro lado da parede e que ainda não sabem o quão espessa a parede é até hoje. E provavelmente não estou me lembrando dessa parte corretamente, mas acho que ele disse que, a princípio, o piso do túnel era de rocha sólida, mas, depois de uma milha ou duas, o piso era de céu gelado. Como se houvesse gelo do céu depois de um certo ponto. Ou algo assim. E, aparentemente, a parede se recupera lentamente depois que você a corta, porque depois de mais ou menos um ano o túnel havia diminuído por si só. Eles tiveram que deixar a máquina chata dentro da parede porque o túnel encolheu muito pequeno para recuperá-la. E depois de algumas décadas, o túnel se foi completamente. Como, aquela parte da parede era sólida novamente. Ele disse que agora os cientistas estão tentando usar a tecnologia para descobrir a espessura da parede. Ele disse algo sobre colocar sensores de terremoto por toda a parede, e que de alguma forma você poderia medir o sinal de um terremoto para ver a espessura da parede, mas ele meio que me perdeu nessa parte.

Eu realmente nunca pensei nisso depois que saí. Era uma coisa realmente estranha, mas eu não achava que isso era grande coisa na época. Mas então, há algumas semanas, vi um mapa do muro na Antártica. Exceto que o mapa era todo plano e parecia louco, e mostrava a parede subindo por toda a terra. Desde então, tenho tentado aprender mais sobre o gelo do céu que vi e o muro que ouvi falar, mas não consigo encontrar nada. Então agora eu estou realmente me perguntando se poderia haver uma conexão aqui. E foi assim que encontrei esse grupo. Então, espero que talvez parte da minha experiência ajude alguém a descobrir algo. (Meus pensamentos) Acho que o céu gelado e o céu azul de Piccard talvez sejam a mesma coisa. Esta é uma "pedra do céu". Ele contém mais de 77% de oxigênio, mas é mais difícil que um diamante. Parte da cúpula? Nosso firmamento? Acho que sim.

Nota: Não estou 100% convencido da veracidade desse relato pela carência de fontes seguras; mas já escrevi algo profundamente sobre as ditas pedras do céu e de fato essas existem, mas o fato de evaporarem não condiz com as que pesquisei: Pedras do Céu - Parte 1 e 2. Postei para fins de análise e estudo sobre as possibilidades concernente a essência do firmamento.

Existe ainda um texto bíblico bem interessante sobre uma visão envolvendo o firmamento no livro do profeta Ezequiel. Vou usar traduções comparativas para um melhor entendimento:

Nova Versão Internacional: Acima das cabeças dos seres viventes estava o que parecia uma abóboda, reluzente como gelo, e impressionante. Ezequiel 1:22

Almeida Corrigida Fiel: E sobre as cabeças dos seres viventes havia uma semelhança de firmamento, com a aparência de cristal terrível, estendido por cima, sobre as suas cabeças. Ezequiel 1:22

Almeira Revista e Atualizada: Sobre a cabeça dos seres viventes havia algo semelhante ao firmamento, como cristal brilhante que metia medo, estendido por sobre a sua cabeça. Ezequiel 1:22

Nova Versão Transformadora: Acima deles estendia-se uma superfície como o céu, brilhante como cristal. Ezequiel 1:22

O Livro: Os céus em cima pareciam feitos de cristal; eram duma beleza indescritível. Ezequiel 1:22

Sociedade Bíblica Britânica: Por cima das cabeças das criaturas viventes havia a semelhança do firmamento, como o brilho do cristal terrível, estendido por cima, sobre as suas cabeças. Ezequiel 1:22

O mais impressionante é quanto nos aprofundamos no original hebraico sobre esse "cristal" citado na maioria das traduções!

Cristal = קֶרַח קוֹרַח (qerach) ou קרח (qorach) Hebraico:  1) geada, gelo, cristal de gelo
1a) geada (da noite)
1b) gelo

Em suma, os textos e seu original nos deixam claros que o que Ezequiel viu era semelhante ao firmamento que tinha um aspecto de gelo cristalino, brilhante e impressionante de despertar medo!

2. O domo é como ferro fundido? 


Kit de necessaires egípcios
Espelho egípcio feito de bronze fundido e polido de mais de 3.000 anos de idade. Imagem: Google

Na verdade esse trecho estava anexado a pergunta anterior mas como se trata de ferro e não gelo, resolvi comentar e responder essa a parte. Se da dureza do ferro eu não sei mas acredito que para suportar um volume de águas desconhecido do oceano primevo dever ser uma estrutura muito rígida e inquebrantável. Para esta cogitação apelo para a revelação das Escrituras:

"Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus." Salmos 148:4
"E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi." Gênesis 1:7

Essas passagens deixam claro que essa estrutura deve ser realmente muito rígida para suportar as águas externas mostradas nas Escrituras. Mas quero me deter em um texto interessante contido em Jó:  "Ou estendeste com ele os céus, que estão firmes como espelho fundido?" Jó 37:18

Fundido = חָזָק (chazaq) hebraico: 1) forte, robusto, poderoso

Outro texto bastante revelador quanto a rigidez do domo está contido em Gênesis 1.6-8:

"E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi. E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo."

Expansão = רָקִיַע (raqiya Ì) hebraico: 1) superfície estendida (sólida), expansão, firmamento
1a) expansão (plano como uma base, suporte)
1b) firmamento (referindo-se à redoma dos céus que sustenta as águas de cima)
1b1) considerado pelos hebreus como sendo sólida e que dava sustentação às “águas” de cima

Aqui vale ressaltar que os céus são realmente firmes COMO os espelhos descritos por Jó; mas não que seja um espelho. É necessário entender que ele tenta descrever o firmamento com o que ele mais se assemelhava: Espelho fundido. Os espelhos eram usados ​​pelos antigos egípcios por volta de 3.000 anos a.C. Eles eram feitos de bronze polido moldado em discos redondos planos – em representação ao Deus do Sol – com cabos de madeira, metal ou marfim. Da mesma forma, na China, um espelho de bronze fundido desenterrado foi datado de 2.000 a.C. Então, sim, o firmamento tem uma rigidez semelhante aos espelhos de bronze fundidos. Não quer dizer que ele seja de ferro fundido (conforme algumas traduções).

O domo é feito de quartzo?

Confesso que essa alegação eu desconheço ainda. Mas não creio que seja de quartzo... Ao menos até escrever este artigo não.

O domo é magnético eletricamente carregado?


Aurora Boreal
As auroras são rastros visíveis deixados pelo sol em nossa atmosfera magnética. Imagem: Quanto custa viajar

Acredito que nosso mundo contém muito disso de eletro magnetismo em toda a natureza e mesmo em nossa estrutura biológica temos essa energia incrível. Não há como negar tal fato científico; mas dizer que o domo seja uma estrutura energizada assim seria muita ousadia minha; mas eu creio sim que o firmamento tenha interação com o eletro magnetismo que nos rodeia e envolve. O sol como já mencionado aqui é um fenômeno elétrico e hoje se sabe que podemos tirar muito proveito de sua energia com sistemas fotovoltaicos e que a Lua erradia uma luz radioativa e a água é diamagnética e etc. O estudo da eletricidade mostra que a resistividade de um condutor é uma função da sua temperatura. Dessa maneira, seria de esperar que a resistividade se tornasse cada vez menor, à medida que a temperatura do condutor diminuísse, até que não houvesse resistência alguma à passagem dos elétrons.

Em 1911, ao fazer experiências com vários condutores, o físico holandês Heike Kammerlingh Onnes descobriu que a resistividade, de fato, diminuía com a queda da temperatura. Entretanto, em vez de se aproximar gradativamente da resistividade zero, cada material tinha uma temperatura específica na qual a resistividade diminuía subitamente para zero. Essa temperatura é chamada temperatura crítica (TC). Na verdade, a temperatura crítica é atingida quando o material é resfriado (através de um banho) à temperaturas que vão desde o zero absoluto (-459 grausFahrenheit, 0 grausKelvin, -273 0C) à temperatura do nitrogênio líquido (-321 F, 77 K, -196 0C). Suponhamos que o firmamento seja de gelo...  Pesquisadores do Laboratório Nacional Lawrence Livermore relatam ter observado essa nova forma de gelo. O tal gelo “superiônico” foi previsto pela primeira vez 30 anos atrás.

Os cientistas desse novo experimente recentemente relatado começaram espremendo moléculas de água entre diamantes para fazer o gelo VII, uma forma cristalina de gelo produzida sob pressão incrivelmente alta mostrada acima. Usando um laser, eles então lançaram choques através do gelo com pressões milhões de vezes maiores do que a pressão do ar em nossa atmosfera. Os pesquisadores fizeram medições do gelo dentro dos diamantes espremidos conforme aumentavam as velocidades dos choques. Em temperaturas entre 1726 e 4726 graus Celsius, eles observaram o gelo se tornar mais condutivo. Sentiram que seus resultados forneceram provas para a existência desse gelo superiônico, no qual íons de hidrogênio se movem livremente em uma estrutura cristalina de oxigênio. Em termos mais simples, os cientistas têm evidências de que fizeram, em um laboratório, um tipo de gelo de pressão incrivelmente alta que conduz eletricidade muito bem.

Se o domo fosse de gelo, sim, hipoteticamente poderia estar carregado de eletricidade e interagindo com o magnetismo que há comprovadamente em nosso mundo. Essas interações explicam fenômenos como raios, auroras e todo funcionamento das tecnologias que possuímos e dependem dessas fontes naturais de energia.

Considerações e Conclusões

Mediante tudo que li nas Escrituras; aprendi com a galera mais velha e com pesquisas que eu mesmo fiz. Eu acredito que o firmamento seja sim uma estrutura semi esférica muito rígida e inquebrável de um tipo de gelo diferenciado e que conduz eletricidade e magnetismo. O simples e escancarado fato de tanta proteção e mistério em torno da Antártida; suas características de frio extremo quanto mais longe da costa e os misteriosos nomes das bases (domo); me forçam a imaginar que realmente o firmamento em toda sua extensão ao redor do anel de gelo em quilômetros aprofundando a Antártida sejam enormes estruturas rochosas cobertas desse gelo que forma essa espécie de cúpula acima de nossas cabeças. Pura especulação? Mas faz muito mais sentido que camadas sobre uma bola maluca supersônica giratória e sem destino onde nada se move em sua superfície. Mas no final das contas eu deixarei você analisar estas informações e pensar sobre isso. Mas pode comentar aqui sobre o que acha que é nosso firmamento e compartilhe com mais pessoas para que consigam conhecer estas informações. Eu me detenho a aprender mais e descanso por agora nas palavras de Salomão:

Os céus, pela altura, e a terra, pela profundidade, assim o coração dos reis é insondável. Provérbios 25:3

Fontes: 
Alexander Zollinger - "Gelo do Céu"
Vidraçaria Água Branca - Confira a surpreendente história dos espelhos!
UOL - O que são supercondutores?
Gizmodo - Cientistas observam incrível novo tipo de gelo que pode existir no centro de Urano e Netuno
Bíblia Online - Ezequiel 1.22
Aplicativo Bíblia Strong

Comentários