Terra Plana - Prova 40 - Whelche's Dam e Welney Bridge

Aqui estou com mais uma prova destruidora contra a bola molhada giratória supersônica espacial heliocêntrica e comprovando que a terra de fato é plana. Iniciando mais uma série de experimentos extraídos do livro de Samuel B. Rowbotham; mostrarei como esse cientista famoso em seu tempo refutou com ciência empírica e experimental todo o modelo de uma terra globular fantasiosa. Todos os estudos e testes realizados por ele foram esmagadores e embora os oponentes tentassem sempre treplicar e contradizer as verdades, não conseguiam convencer e agora este conhecimento chegou até nós e quero compartilhar com todos os leitores do Verdade Urgente. Já recomendo que também fique ligado em nosso canal no YouTube onde sempre faço comentários sobre o que exponho. Se quiser, poderá ler sobre quem foi Samuel B. Rowbotham em outro artigo onde apresento ele e suas façanhas como profissional e cientista.

Rio Bedford
Esse foi um dos rios mais extensos usado por Samuel B. Rowbotham para comprovar que a terra é plana. Imagem:

The Knowledge Emporium
Teste de Curvatura entre as pontes Whelche's Dam e Welney Bridge

Um barco, com uma bandeirola com o mastro a 5 pés (1,82 m) acima da superfície da água, foi posto para navegar de um lugar chamado “Whelche's Dam” (uma conhecida passagem de barcos), para outro lugar chamado “Welney Bridge.” Esses dois pontos estão seis milhas terrestres (9,65 km) distantes um do outro. O autor, com um bom telescópio, entrou na água e com os olhos cerca de 8 polegadas (15,24 cm) acima da superfície observou o bote afastando-se durante todo o período de navegação entre os pontos. A bandeirola e o bote estavam distintamente visíveis por todo o percurso! Poderia haver um erro na distância percorrida, então o homem no bote foi instruído a levantar um de seus remos ao topo do peito no momento em que alcançasse a ponte Welney. A experiência começou cerca de três horas da tarde de um dia de verão, e o sol brilhava no barco durante toda a passagem. Todas as condições necessárias foram observadas à risca, e o resultado foi completamente finito e satisfatório. A conclusão era irrefutável de que a superfície da água a uma distância de 6 milhas - nove quilômetros e seiscentos e cinquenta metros-, não sofreu nenhum declínio ou curvatura abaixo da linha de visão. Entretanto, se a terra fosse um globo, a superfície de 6 milhas (9,65 km) de distância de água teria registrado 6 pés (1,82 m) de diferença do centro até as duas extremidades, de acordo com o que é mostrado no diagrama na figura 2.






Como o telescópio estava apenas 8 polegadas (20,32cm) acima da água, o ponto mais alto da superfície teria sido a uma milha do lugar de observação e abaixo desse ponto a superfície da água até o fim das cinco milhas restantes teria sido de 16 pés (4,87 m). As letras AB na figura representam o arco de água de 6 milhas (9,65 km) de distância, e AC a linha de visão. O ponto de contato com o arco seria em T, a distância de uma milha do observador de A. A partir de T à ponte em B seria de 5 milhas, e a curvatura de T para B seria de 16 pés e 8 polegadas. O topo da bandeirola no bote (que estava 5 pés acima) deveria estar 11 pés e 8 polegadas (3,59 m) abaixo do horizonte T, e completamente fora da linha de visão. Tal condição não foi observada, mas o diagrama na figura 3 exibe a verdadeira situação - AB sendo a linha de visão, equidistante de ou paralela à superfície da água por todo o percurso de 6 milhas (9,65 km):

Figura 3

A partir do que é concluído que a superfície da água não é convexa, mas horizontal. Vale lembrar aos desavisados que defendem tanto o modelo esférico que somente os resultados neste experimento já destroem a curvatura da terra que segundo os cálculos baseados em sua trigonometria não se constatam na realidade do experimento de Samuel Rowbotham. A água de rios como esse atestam que são realmente niveladas e não se curvam ante a curvatura inexistente...

Considerações e Conclusões

Eu sempre presencio os defensores vorazes do globo heliocêntrico chegarem raivosos ou cheios de zombaria tentando desmerecer opiniões e analises de terraplanistas quando usam de hipóteses e teorias; mas quando o assunto é destruidor com experimentos reais e números incontestáveis, eles mal se manifestam ou ficam rodeando nos mesmos pontos enjoativos e teóricos para tentar manter sua fantasia intacta. Mas, desde o século XVIII tivemos pessoas já refutando essa teoria com ciência genuína e até hoje isso ainda é feito. Deixe seu comentário sobre esse experimento e compartilhe com outras pessoas para que saibam que a terra plana foi sim comprovada cientificamente por cientistas na história da humanidade.

Fonte:
Astronomia Zetética - A terra não é um globo - páginas 21 e 22



Comentários