Terra Plana - Prova 59 - Rota Circular do Sol Alternada a cada 6 Mêses

Será que é a terra que realmente esta se movendo e inclinando sobre seu eixo quando olhamos para o céu e claramente vemos o sol "aparentemente" mudando de posição durante cada ano? Esta evidência tem sido negada dentro nós por conta de todas as mentiras que nos enfiaram na cabeça; mas sempre que olhamos ou comentamos sobre estes eventos; dizemos "O sol esta nascendo ou se pondo em tais direções." Isso por si só já causa muita confusão e conflitos nas pessoas; porque ninguém em sã consciência por mais que se esforce, não consegue mudar o que percebe e muito menos seu linguajar diário. Mas como comprovar que realmente o sol está orbitando em círculos sobre o plano terrestre? Mais uma vez, Samuel B. Rowbotham empenhou-se em fazer experimentos e observações e conseguiu chegar às seguintes conclusões. O metal estanho é conhecido tecnicamente; o estanho é conhecido pela declinação norte e sul, que simplesmente diz que o caminho do sol é mais próximo do polo central no verão e mais distante no inverno.

O sol sempre perfaz seu caminho diante de nossos olhos e podemos perceber claramente sua mudança nas rotas ano a ano. Imagem: FreePik


A seguinte experiência pode demonstrar isso.

Ao meio dia, no dia 21 de dezembro, fixe uma haste e olhe ao longo dela. A linha de visão toca a borda mais baixa do sol. Por muitos dias essa linha de visão continua praticamente a mesma, mostrando que o percurso do sol para esse período muda pouco; mas no nono ou no décimo dia toca a borda mais baixa do sol, a haste será levantada vários graus em direção ao zênite. Todos os dias, até o dia 22 de junho, a haste se levantará. Naquele dia, haverá novamente muitos dias sem qualquer mudança visível. Depois disso, dia após dia, a haste abaixará até o dia 21 de dezembro. Dessa maneira simples pode ser demonstrado que o caminho do sol aumenta dia após dia de 21 de dezembro a 22 de junho, e diminui a cada dia de 22 de junho a 21 de dezembro de cada ano.

A partir de um número de observações feitas pelo autor durante os últimos vinte e cinco anos, é certeza que os dois percursos do sol, o menor em junho, e o maior em dezembro, afastam-se gradualmente do centro norte. O aumento de expansão é muito pequeno, mas facilmente detectado e tem sido assim por séculos, o que mostra a consistência do fenômeno e explica perfeitamente, de uma vez por todas, o fato de que a Inglaterra, bem como as latitudes mais setentrionais tem uma estação tropical. Há evidências em abundância de que as condições e as apresentações dentro dos trópicos também já aconteceram na região norte, que é agora tão fria, desolada, e hostil a animais comuns e vida vegetal. Consequentemente é uma conclusão lógica e apropriada que o percurso do sol estava algum tempo atrás mais próximo do ártico ou centro polar. O diagrama seguinte, na figura 60, mostrará o percurso peculiar do sol.



Onde N, representa o centro polar, A, o sol em seu percurso em junho e que se expande diariamente como a bobina da mola principal de um relógio, até que alcance o caminho mais externo e largo em B. Em dezembro, depois de que o percurso gradualmente e dia após dia contrai, até se tornar o percurso A, no dia 21 de junho.

O percurso observável do sol é totalmente concêntrico ao centro norte, não se sabe o porquê, mas é um fato independente de qualquer teoria ou especulação, pois é um tema totalmente comprovado. No futuro, talvez possamos coletar evidências práticas que nos permitam entender o fenômeno, mas até que tal ocorra, o processo Zetético apenas nos permite dizer: “O movimento peculiar é visível a nós, mas a causa, até o presente, ignoramos.”





Considerações e Conclusões

Embora para muitos, mesmo de nós alguns dados pareçam complexos e confusos; estas experiências com algumas observações diárias e pesquisas podem nos completar o quanto necessário sobre como o sol se comporta sobre o plano terrestre, confirmando a verdade sobre nosso universo. Como bem disse Samuel B. Rowbotham e sou de mesma opinião; não temos todas as respostas sobre tudo no universo. E complemento, não somos obrigados e muitos menos devemos entrar em colapso ou estresse por conta disso quando os globolóides começarem com perguntas como: "O que sustenta o sol?"; "O sol acelera no trópico de Capricórnio?". Simplesmente devemos apresentar o óbvio e dizer a verdade se não soubermos certos fenômenos, estamos aprofundando ou ainda nem lemos e pesquisamos sobre. Fato é que concernente aos movimentos constatados por Samuel B. Rowbotham, todos que paramos para observar o sol no mínimo um ano, conseguimos perceber que o mesmo muda de localização quando nasce e se põe em ambas as estações do ano e solstícios e equinócios. Eu mesmo tenho observado esta mudança do sol nascendo e se pondo em localizações diferentes notáveis nos horizontes em minha cidade. Qualquer um pode ver isso se parar para observar.

Deixe seu importante comentário sobre mais esta prova irrefutável e empiricamente científica; se inscreva aqui no canal e no YouTube também. Compartilhe com outras pessoas este artigo e fique ligado que tem muito mais no baú do papai! Deus vos abençoe!

Fontes: 
Astronomia Zetética - A Terra não é um globo (Páginas 120 e 121)



Comentários