Mateus ou Lucas - Qual a genealogia correta de Jesus?

As duas! Poderíamos encerrar o artigo por aqui mesmo; mas como muitas pessoas não conhecem bem as Escrituras e nesse meio estão muitos críticos como a Andreia do blog A Profetiza e muitos outros; vamos mostrar que nas duas genealogias apresentadas em Mateus e Lucas não existem controvérsias. Uma das verdades de Jesus Cristo que ainda ecoa depois de séculos é a de que o povo erra por não ter conhecimento e nessa falta de conhecimento das Escrituras cometem ainda mais erros; como veremos em mais esse caso de aparente contradição.

Dessa vez entra em questão as duas genealogias de Jesus Cristo, filho de Davi; contadas por Mateus e também por Lucas. Cada descrição é contada com vários personagens diferentes e que aparentam entrar em contradição, gerando dúvidas. Mas será que as Escrituras estão realmente erradas? Os apóstolos erraram nos relatos da genealogia?

Ilustração do nascimento de Jesus
Há contradição nos registros das genealogias de Mateus e Lucas? Imagem: WallDesk


Genealogia descrita por Mateus

Primeiro vamos analisar a genealogia de Mateus. Antes porém é necessário destacar que Mateus em seu Evangelho procura descrever Jesus como um judeu, filho de Abraão (Primeiro judeu) e de Davi e portanto herdeiro da linhagem real em Israel.

Por mais que o povo já nessa época estivesse disperso, sem rei e sendo dominado pelos Romanos; eles bem conheciam as profecias e revelações sobre o Messias que seriam o Rei que viria da descendência de Davi. Por esse motivo, Mateus levanta essa genealogia focada mais em mostrar aos judeus que Jesus Cristo era sim o herdeiro de Davi.

Muitos reconheciam isso sem nem mesmo ser necessária a apresentação de genealogia, pois já proclamavam Jesus Cristo como o Filho de Davi.

"Dizendo: Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Eles disseram-lhe: De Davi." Mateus 22:42 (ACF)

Agora vamos analisar mais de perto a genealogia de Jesus Cristo descrita por Mateus:

"Livro da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.
Abraão gerou a Isaque; e Isaque gerou a Jacó; e Jacó gerou a Judá e a seus irmãos;
E Judá gerou, de Tamar, a Perez e a Zerá; e Perez gerou a Esrom; e Esrom gerou a Arão;
E Arão gerou a Aminadabe; e Aminadabe gerou a Naassom; e Naassom gerou a Salmom;
E Salmom gerou, de Raabe, a Boaz; e Boaz gerou de Rute a Obede; e Obede gerou a Jessé;
E Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi gerou a Salomão da que foi mulher de Urias.
E Salomão gerou a Roboão; e Roboão gerou a Abias; e Abias gerou a Asa;
E Asa gerou a Josafá; e Josafá gerou a Jorão; e Jorão gerou a Uzias;
E Uzias gerou a Jotão; e Jotão gerou a Acaz; e Acaz gerou a Ezequias;
E Ezequias gerou a Manassés; e Manassés gerou a Amom; e Amom gerou a Josias;
E Josias gerou a Jeconias e a seus irmãos na deportação para babilônia.
E, depois da deportação para a babilônia, Jeconias gerou a Salatiel; e Salatiel gerou a Zorobabel;
E Zorobabel gerou a Abiúde; e Abiúde gerou a Eliaquim; e Eliaquim gerou a Azor;
E Azor gerou a Sadoque; e Sadoque gerou a Aquim; e Aquim gerou a Eliúde;
E Eliúde gerou a Eleázar; e Eleázar gerou a Matã; e Matã gerou a Jacó;
E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se chama o Cristo."
Mateus 1:1-16

A linhagem da qual Jesus pertence é tanto real como sacerdotal! Nota-se nas gerações descritas por Mateus. Agora vamos analisar a genealogia passada por Lucas em seu Evangelho.



Genealogia descrita por Lucas

Para entender bem as aparentes confusões nessas genealogias, é necessário um estudo bem mais longo e profundo sobre costumes dos judeus e das próprias genealogias contidas nas Escrituras. O que não caberia só num artigo. Mas vamos tentar ser o mais breve e claro possível.
Esquema Gráfico das Genealogias de Jesus Cristo
Fonte: http://jonathaann.files.wordpress.com/

"E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José, e José de Heli, e Heli de Matã, e Matã de Levi, e Levi de Melqui, e Melqui de Janai, e Janai de José, e José de Matatias, e Matatias de Amós, e Amós de Naum, e Naum de Esli, e Esli de Nagaí, e Nagaí de Máate, e Máate de Matatias, e Matatias de Semei, e Semei de José, e José de Jodá, e Jodá de Joanã, e Joanã de Resá, e Resá de Zorobabel, e Zorobabel de Salatiel, e Salatiel de Neri, e Neri de Melqui, e Melqui de Adi, e Adi de Cosã, e Cosã de Elmadã, e Elmadã de Er, e Er de Josué, e Josué de Eliézer, e Eliézer de Jorim, e Jorim de Matã, e Matã de Levi, e Levi de Simeão, e Simeão de Judá, e Judá de José, e José de Jonã, e Jonã de Eliaquim, e Eliaquim de Meleá, e Meleá de Mená, e Mená de Matatá, e Matatá de Natã, e Natã de Davi, e Davi de Jessé, e Jessé de Obede, e Obede de Boaz, e Boaz de Salá, e Salá de Naassom, e Naassom de Aminadabe, e Aminadabe de Arão, e Arão de Esrom, e Esrom de Parez, e Perez de Judá, e Judá de Jacó, e Jacó de Isaque, e Isaque de Abraão, e Abraão de Terá, e Terá de Nacor, e Nacor de Seruque, e Seruque de Ragaú, e Ragaú de Fáleque, e Fáleque de Éber, e Éber de Salá, e Salá de Cainã, e Cainã de Arfaxade, e Arfaxade de Sem, e Sem de Noé, e Noé de Lameque, e Lameque de Metusalém, e Metusalém de Enoque, e Enoque de Jarete, e Jarete de Maleleel, e Maleleel de Cainã, e Cainã de Enos, e Enos de Sete, e Sete de Adão, e Adão de Deus." Lucas 3:23-38

Lucas escreve seu Evangelho mais focado nos gentios, onde em uma escala decrescente, descreve a linhagem de Jesus Cristo até Adão, pai da humanidade. Ressaltando assim que Jesus Cristo também era como nós um ser humano comum.

Cruzamento de famílias entre os judeus era comum de se acontecer, como casamento de primos ou outros graus de parentesco que não fossem irmãos diretos. Vamos a um breve estudo dos costumes judaicos:

O antigo testamento está repleto de passagens onde avós ou bisavós são tidos como “Pai”, e também netos e bisnetos tidos como “filhos”. Este costume era comum ao se relatar que tal pessoa era descendente de outra. Assim, os judeus usavam os termos “pai ou filho”.

Outro costume muito comum, e que é encontrado até hoje, é o genro ser considerado como filho do sogro e/ou o sogro como pai do genro. Isso ocorria no momento em que um homem assumia uma mulher. Neste ato, o homem passava a ser também considerado como “filho” do Sogro.

Na língua inglesa, a palavra Sogro é traduzida por “Father in Law” (Pai na Lei) e Genro “Son in Law” (filho na Lei). De forma muito semelhante do que ocorria no primeiro século.


Um terceiro costume judaico da época era excluir mulheres de qualquer tipo de contagem. Isto se estendia também às genealogias. Quando uma mulher aparecia na genealogia, era apenas como ilustração ou informação adicional relacionada a um homem desta genealogia, porém não eram peças importantes nestas. Vemos em diversas passagens que a contagem era sempre feita aos homens. (mil e tantos homens e seus filhos, mulheres e animais). Ou seja, se fossem, por exemplo, contados 500 mil homens, o total geral de pessoas podia ultrapassar os 2 milhões, contando mulheres e filhos.

José - Filho de Heli ou de Jacó?

Outrossim, existem duas possíveis explicações do porque José é citado como filho de Jacó e filho de Heli em ambas as genealogias.

1. Explicação - José por exemplo, é filho de Jacó que é filho de Natan. Natan casado com a avó de José. A avó de José ficou viúva e foi casada duas vezes.

Ela foi casada com Levi pai de Matã, pai de Joaquim que se casou com Ana e teve Maria mãe de Jesus. Portanto Joaquim pai de Maria era primo de José.

2. Explicação - Alguns estudiosos, tentando explicar a diferença dos dois textos, recorrem à lei do levirado: pensam que Jacó e Eli eram irmãos, mas que um deles teria morrido antes de gerar um filho. Como ordena a lei (Dt 25,5-10 que aparece também em Mt 22,24), quando um homem casado falece sem deixar filhos, o seu irmão mais velho deve se casar com a viúva para lhe dar filhos. Tal lei visava dar descendência a toda família. Os filhos nascidos de tais casamentos eram efetivamente considerados filhos do primeiro marido, que tinha falecido. Jacó e Eli podem ter sido dois irmãos, tendo um deles falecido e deixado a esposa viúva. O outro então teria se casado e os filhos nascidos do segundo matrimônio podem ter sido atribuídos ao primeiro marido ou eventualmente também ao segundo.

Conclusão

Jesus Cristo era filho biológico de Maria, e Lucas na verdade mostrava isso em sua genealogia; enquanto José era pai legal dele, mostrado também na genealogia de Mateus; já que Deus não tem genealogia sendo Ele o Pai legítimo de Jesus Cristo; a José foi dado esse direito e ele, como Maria possuíam uma linhagem familiar que provinham do rei Davi.

Com isso Jesus Cristo de qualquer jeito era descendente legítimo de Davi, indicado a assumir o trono e ser o Rei de Israel. Esse era o verdadeiro propósito de Mateus e Lucas em descrever essas genealogias de Jesus Cristo em José e Maria.

Ainda que Lucas não cite Maria, mantendo apenas a descrição da linhagem pelos homens, sabe-se claramente que sua genealogia sobre Jesus é a mesma de Maria, sua mãe.