Terra Plana - Como Ocorrem os Ventos?

De verdade que eu na minha mais pura ignorância imaginava que os ventos se originavam da rotação da Terra; mas sempre ficava aquela pergunta no meu íntimo: "Mas como pode haver ventos tão variados e dias que nem ventando está se a Terra sempre gira?". Mas como era acomodado ao conhecimento dos brilhantes cientistas que já sabiam como funcionava tudo isso, eu nem me preocupava; mas agora com o universo da Terra Plana revelado eu entendi como realmente as coisas funcionam com explicações lógicas e testadas pela verdadeira ciência! Basicamente a pseudo ciência explica que o vento é a deslocação de gases atmosféricos em grande escala causada por diferenças na pressão atmosférica. Quando uma região da Terra aquece, a pressão atmosférica nessa região diminui e o ar eleva-se. Muitas outras questões surgem a partir dessa como por exemplo; se não temos uma "redoma" bruta e rígida que nos cerca no globo, como o giro supersônico da Terra não gera ventos destruidores? Sempre mais e mais dúvidas; mas trago a vocês uma explicação científica plausível sobre como os ventos surgem na Terra Plana. 

Os ventos na Terra seguem os princípios da eletrostática. São ventos elétricos formados pela movimentação de cargas elétricas nas camadas de ar da Terra. Na física este fenômeno também é conhecido como sopro elétrico. O vento ou os deslocamentos de ar na Terra se dão pela ação eletrostática que ocorrem entre cargas positivas e cargas negativas. A ação eletrostática provoca a atração e repulsão entre as cargas elétricas que flutuam nas camadas de ar, desta forma as cargas positivas se repelem e as cargas negativas se atraem. Os deslocamentos de ar que formam os ventos acontecem quando cargas positivas concentradas em uma determinada região da atmosplana ionizam as moléculas dos gases ao seu redor. Esta alta concentração de íons positivos atraem os íons negativos. Enquanto íons positivos e negativos se atraem, os íons positivos se repelem e consequentemente provocam colisões inelásticas de elétrons com as moléculas. Assim provocam avalanches ou cascatas de elétrons em sucessivas colisões com as moléculas dos gases. As colisões inelásticas de elétrons é de fato o fenômeno elétrico que dá origem aos movimentos ou os deslocamentos do ar.

Experimento do Sopro Elétrico
O universo elétrico que envolve a Terra Plana pode ser constato através de experimentos como este. Imagem: Física Universitária


Descargas de alta tensão no campo elétrico da Terra criam jatos de elétrons que incidem diretamente sobre as moléculas que flutuam nas camadas de ar. Estes jatos de elétrons empurram as moléculas dos gases provocando desta forma um deslocamento direcional das massas de ar ou das moléculas dos gases que flutuam na atmosplana. Geralmente os fluxos elétricos que originam os ventos e furacões se dão em superfícies planas e horizontais ou perpendiculares ao campo elétrico da Terra. Os fluxos de massa de ar são espiralados ou em forma ciclotrônica, mesmo para pequenos deslocamentos de ar. Este movimento acompanha a aceleração das cargas elétricas do campo pela energia cinética. Em outras palavras, os elétrons das moléculas de ar se colidem e escapam das moléculas que perdem sua neutralidade. A molécula com ausência de elétrons passa a ser neutra e desta forma, se torna um agregado de partículas com carga resultante positiva, ou íons positivos. Os íons positivos são atraídos eletrostaticamente pelos íons negativos e desta forma arrastam as moléculas de ar. Este deslocamento de moléculas geram as correntes de ar e os ventos.

Sob intensa ação de um campo elétrico carregado positivamente, as cargas elétricas positivas que flutuam nas camadas superiores da atmosplana ionizam as moléculas que se concentram em grande volume nas regiões mais aquecidas da atmosplana. Desta forma as cargas elétricas positivas passam a se repelir, sendo consequentemente atraídas pelas partículas negativas que se concentram em regiões mais próximas da superfície terrestre. A colisão inelástica de elétrons é mais intensa em zonas de aquecimento solar. Este fato se dá em razão da grande concentração de ar quente que se forma nas camadas superiores da atmosplana, o que provoca intensas descargas elétricas. A eletrostática entre cargas passa a ser mais violenta quando o Sol está mais próximo da borda terrestre, onde a incidência de cargas positivas é maior e mais intensa. Desta forma, o Sol eletricamente positivo tem sua voltagem aumentada, sua radiação eletromagnética dobra de força e as temperaturas aumentam, Este processo eletrônico provoca resultados no circuito elétrico da atmosplana, dando origem aos tornados, ciclones ou furacões.



As jets streams geralmente ocorrem nas trilhas por onde o Sol mais incide seus raios eletromagnéticos. As ondas eletromagnéticas produzidas pela eletricidade solar agitam as moléculas por atrito nas regiões mais próximas a superfície e assim provocam um aumento na temperatura terrestre. Nas regiões mais frias e, portanto suscetíveis às mudanças de temperatura, o aquecimento das moléculas é mais intenso em razão das frequências eletromagnéticas atuarem mais intensamente nas camadas mais altas da atmosplana, ou seja: Onde as massas de ar frio se concentram em maior volume. Devido à alta temperatura resultante da combustão, os gases ou moléculas que flutuam em regiões mais frias se ionizam mais facilmente em razão do calor solar. Os raios solares produzem mais rapidamente os íons positivos e negativos e desta forma a colisão de elétrons é mais intensa nesta região. Os ventos ou correntes de ar são produzidos mais intensamente e deslocam o ar em diversas proporções acima e sobre a superfície terrestre. Em regiões mais próximas a borda terrestre, onde a massa de ar é mais fria e mais densa, a força cinética do sopro elétrico empurra as moléculas com mais força, tornando as correntes mais intensas em razão de sua densidade.O deslocamento do ar é mais pesado e a força dos ventos é maior.
Em um campo elétrico, se as duas camadas de ar estiverem próximas e eletrizadas, haverá um diferencial no potencial elétrico e consequentemente, correntes elétricas serão constituídas em razão do calor produzido. Desta forma uma forte convulsão eletrostática será descarregada no ar que por sua vez, agitará as moléculas dos gases com maior intensidade, provocando desta forma, ventos e correntes de ar mais intensas. A descarga elétrica através do ar pode acontecer como descarga de corona ou também como descarga provocada por arcos elétricos. A descarga de corona ocorre quando há um campo elétrico suficientemente intenso para promover a ionização do ar – intensidade da ordem de 10^6 V/m no ar a 1 atm. A ionização dos gases submetidos a um intenso campo elétrico conseguem provocar as colisões inelásticas dos elétrons nas moléculas dos gases. Este processo parte diretamente dos eletrodos do campo. Existem sempre elétrons livres nas moléculas dos gases. Estes elétrons livres são decorrentes da radiação cósmica ou da radiatividade de fundo, que sendo acelerados pelo campo elétrico servem de sementes para as cascatas ou avalanches que ionizam fortemente os gases.


Arvores derrubadas por fortes ventos
Todos os ventos acontecem justamente por fenômenos explicáveis numa Terra Plana estacionária. Imagem: G1 

A ocorrência de campos elétricos suficientemente intensos (cerca de 10^6 V/m a 1 atm) que desencadeiam uma forte ionização do ar, acontece mais facilmente nas proximidades de eletrodos com pequeno raio de curvatura. O campo elétrico terrestre apresenta esta curvatura em razão da cúpula eletromagnética que cobre a atmosplana terrestre ser em forma de abóboda. Desta forma, os ventos, as jets streams, os tornados, furacões e ciclones ocorrem por uma variação do campo elétrico terrestre e não pelo diferencial de pressão e temperatura. A pressão do ar é vertical, ou seja, a massa de ar é atraída ou empurrada para baixo pelos campos magnéticos da Terra e do Sol ou pela própria densidade, massa e peso dos gases. A movimentação dos gases é sempre na vertical, ou seja, as massas de ar são ascendentes ou descendentes. O ar quente mais próximo da superfície sobe e colide com as massas de ar mais frias acima da superfície. O deslocamento de ar ou ventos não acontecem em razão destas colisões de massas de ar quentes com massa de ar frias, mas sim pela variação elétrica do campo elétrico terrestre que ionizam as moléculas dos gases. Neste processo ocorre a repulsão e atração de cargas elétricas, ou jatos de elétrons. É neste processo que ocorre a eletrostática dentre as cargas positivas e negativas que agitam as moléculas dos gases.
Segundo a ciência vigente a Terra dispõe de oito circuitos fechados de corrente elétrica que permitem a troca de carga entre a atmosplana e a superfície através de fluxos verticais. Em condições de bom tempo, os cientistas observam um fluxo de carga positiva se movendo desde a atmosplana até a superfície da Terra. Esta interação elétrica tem início na área do capacitor atmosplano, onde a carga positiva é predominante. A interação elétrica é vertical, ou seja, de cima para baixo. Desta forma as cargas positivas são atraídas para a superfície terrestre onde a carga negativa é predominante. O fenômeno elétrico que proporciona os ventos é também definido cientificamente como vento iônico. A tecnologia atual se espelha neste processo elétrico da Terra para criar motores de propulsão por vento iônico. A inovação tecnológica permitirá a construção de motores mais potentes para aeronaves terrestres e espaciais. Este tipo de motor já é usado em algumas naves espaciais. Agora os engenheiros esperam esticar a tecnologia para construção de aviões de médio e grande porte. O motor por vento iônico dispensa o uso de querosene e são mais silenciosos que os atuais motores turbinados.
Quando uma corrente elétrica passa entre dois eletrodos, um mais grosso do que o outro, ela cria um vento no ar entre os dois. Se for aplicada uma tensão suficiente, o vento resultante pode produzir um impulso sem a ajuda de motores ou de algum combustível. Este processo é definido como propulsão eletro hidrodinâmica. O processo é totalmente espelhado no processo elétrico da Terra ou na versatilidade do campo elétrico terrestre. Na Terra plana todos os fenômenos da natureza estão interligados ao sistema eletrônico que envolve o campo elétrico da Terra, os campos magnéticos e elétricos da Terra, do Sol e das Luas e por fim, que envolve também a composição eletrônica da atmosplana. Correntes de ar, ventos, furacões, ciclones, tornados e tempestades são fenômenos onde a física da eletricidade está envolvida. Até os terremotos e erupções vulcânicas também são processos elétricos que envolvem a magnitude do campo eletromagnético da Terra. Em matérias futuras abordaremos vulcões e terremotos.