NOM - Propósitos de Impérios e Tiranos na História

O movimento das nações no que diz respeito a domínio, destaque e relevância tem tudo a ver com ordens ao longo do tempo e desde os mais antigos impérios, temos nações que se ergueram, dominaram grandemente, brilharam, aterrorizaram, conquistaram além de seus territórios e subjugaram povos por meio das guerras e isso durou muito tempo. Atualmente as nações ainda emitem rugidos de guerra e existem debates e conflitos por conta da inevitável diferença pautada principalmente nas ideologias políticas e também no poderio e destaque no que diz respeito e ser o primeiro, como vemos a China tentando superar os EUA como primeiro país na economia mundial. As disputas permanecem e também o povo entre os poderosos insensatos em suas disputas gananciosas. E se algum bom líder surge na história, logo é assassinado, substituído por outro tirano ou corrupto ou tem que entrar na "dança" conforme as pressões vão aumentando. Mas o foco neste artigo é tentar resumir essas configurações de reinos, impérios e governos ao longo da história como ordens que surgiram no mundo de uma forma geral e seus impactos. Antes, continuo solicitando seu apoio através da visita em nossos amigos e parceiros que exibem seus serviços e produtos por aqui e se ainda não leu nossos demais artigos sobre nova ordem, recomendo também que leia. 


De alguns grandes impérios que marcaram o tempo, só restam ruínas e artefatos. Imagem: Estudo Prático



Nações Predominantes na História

Egito

O Egito é um dos mais antigos impérios registrados na história. Ele escravizou o povo de Israel por mais de dois séculos antes que esse povo se tornasse uma nação. Já abordado em parte aqui, foi durante o reinado de um dos faraós que antecipando pensamentos maldosos matou crianças do povo de Israel temendo que numerosos se rebelassem contra eles ao primeiro ataque de nações inimigas. Em seus períodos mais pujantes, ele ainda exerceu influência no norte, às vezes cooperando e às vezes sendo hostil aos reinos de Israel e Judá. Frequentemente, o seu poder e riqueza levaram-no a conflitos com outros reinos e impérios da região. 

Israel e Judá

Sob o reinado do rei Davi e seu filho e sucessor, Salomão, a nação alcançou o ápice de seu poder e influência. A terra de Israel está localizada, estrategicamente, no ponto de encontro de três continentes — Europa, África e Ásia. Sob o governo de Salomão, essa localização ao longo das rotas comerciais mais importantes do mundo fez com que o país se tornasse extremamente rico. Embora sendo o povo escolhido por Deus para herdar a terra expulsando os povos que ali habitavam e se tornando fortes e prevalecentes, Israel falhou justamente deixando o pecado predominar e sofrendo assim o juízo de Deus. Logo, o reino de Israel abandonou a adoração a Deus, enquanto o reino de Judá hesitou durante décadas segundo os caprichos de seus reis. Os dois guerreariam entre si e também com as nações vizinhas e, eventualmente, seriam punidos por Deus; sendo invadidos e exilados de sua terra pelos impérios da Assíria e da Babilônia.

Assíria

O Império Assírio, situado a nordeste da terra de Israel, atual Iraque, em grande parte, atuou como "vara da ira de Deus" (Isaías 10:5) contra o reino de Israel. A destruição e a deportação de Israel pela Assíria acabou com o seu reinado como superpotência mundial. Em todos os relatos históricos, os assírios são retratados como conquistadores cruéis e implacáveis. Foi uma nação que prevaleceu por um tempo sobre muitos povos, mas por suas crueldades foi julgada e destruída pelo próprio Deus. A Bíblia declara abertamente que Deus foi a causa da ascensão meteórica do poder da Assíria para cumprir o propósito de punir Israel. No entanto, Deus também julgaria os assírios, seus súditos se levantariam contra eles — particularmente os caldeus da Babilônia. A Assíria corresponde em parte ao que hoje é a Síria e o Iraque.

Babilônia

Situada a sudeste da Assíria, a Babilônia emergiu como o próximo instrumento do castigo de Deus — contra a Assíria e o reino de Judá. Os capítulos 2 e 7 de Daniel profetizam, com detalhes notáveis e precisos, a queda da Babilônia diante da Pérsia, a queda da Pérsia diante da Grécia, a queda da Grécia diante de Roma, os diversos reavivamentos do Império Romano e seu eventual fim na chegada da última superpotência — o Reino de Deus, que será estabelecido na Terra quando Jesus Cristo retornar. Note que Deus sempre no comando interage com as nações as usando e julgando conforme sua vontade e seus planos para o mundo e seu povo especificamente, já que o Salvador do mundo viria de Israel. A Babilônia, como a Assíria antes dela, foi derrotada e destruída por causa de seu orgulho contra Deus. Em um espetacular julgamento de Deus, o Império Medo-Persa conquistou a Babilônia em uma só noite (Daniel 5:30-31).

Pérsia

O Império Persa, atual Irã, era distintamente tolerante com as religiões de seus súditos. A Babilônia era um instrumento de punição contra o povo de Deus, mas o objetivo com a Pérsia era proporcionar alívio e permitir certo grau de restauração do culto judaico. Deus estava olhando muito além ao usar o Império Persa. Para cumprir profecias messiânicas através de Jesus Cristo, o povo de Judá precisava ser reassentado na terra de Israel. O Império Persa reposicionou Judá para a vinda do Messias, e o Império Grego e o Império Romano prepararam o caminho para a propagação do evangelho de Jesus Cristo de variadas formas. Parece um tanto teológicas demais estas informações, mas na verdade, foi profético, real e tudo gira em torno realmente dos planos de Deus e na luta do mal contra o bem. 

Grécia

O rei macedônio Alexandre, o Grande, subiu ao poder do reino da Grécia e invadiu o mundo com celeridade e eficiência inéditas, conquistando e subjugando a Pérsia em apenas dez anos. Enquanto a Babilônia e a Pérsia procuraram controle político e riqueza, o Império Helenístico de Alexandre impuseram uma dominação cultural. Esta notando como cada império teve seu papel, impacto, objetivo e atuação diferentes no seu contexto de mundo? A língua grega tornou-se o idioma comum no mundo conhecido, e continuou assim até ao período romano. A universalidade língua grega permitiu a rápida propagação do evangelho, tanto na linguagem falada quanto na escrita. O Novo Testamento foi escrito e preservado em grego. Lembrando que mesmo em uma pequena mensagem da NOM escrita nas Pedras Guias da Geórgia, o idioma grego consta como uma das traduções. Uma pequena mensagem, no topo, escrita em quatro antigas línguas: babilônio, sânscrito, grego e em hieróglifos egípcios, contendo as teses de Albert Pike, "construtor de lojas" de grau 33.

Quando Alexandre morreu, seu império foi enfim dividido em quatro partes, com duas delas sendo mais proeminentes. A dinastia selêucida governou a Grande Síria, incluindo as terras da Assíria, da Babilônia e da Pérsia. E a dinastia ptolemaica — os faraós gregos — governou o Egito. Estes dominaram, alternadamente, os judeus reassentados na Terra Santa. O domínio grego sírio se caracterizaria pela crueldade e flagrante desrespeito às práticas religiosas dos judeus no templo, particularmente sob Antíoco Epifânio, o que levou a uma revolta judaica em torno do ano 167 a.C. Essa divisão do império de Alexandre resultou nesses faraós gregos intolerantes ao judaísmo que sofreu uma tremenda perseguição que ainda hoje acontece em nossos dias sutilmente e foi ainda mais terrível em eventos futuros. O domínio grego sobre o resto do império continuou declinando gradualmente até que os romanos tomaram o poder, conquistando Jerusalém em 63 a.C.





Roma

Roma era a quarta e última besta das visões de Daniel, que era "diferente de todos" (Daniel 7:7). Fiel às terríveis imagens vistas por Daniel, o Império Romano exerceu um domínio militar muito diferente de qualquer império antes dele. Além de sua singular organização e estratégia de guerra, os romanos também atraíam soldados de todos os povos conquistados por meio da possibilidade de obtenção da cidadania romana, que acarretava importantes privilégios sociais e econômicos. Todo o mundo romano gozava de paz e estabilidade regionais, conhecido como Pax Romana ("Paz de Roma"), proporcionando um ambiente adequado para a Igreja primitiva crescer. Durante algum tempo, houve tolerância tanto para com judeus, quanto para a emergente igreja de Cristo neste império. Posteriormente a Igreja e os judeus foram perseguidos e torturados de forma cruel. O próprio Senhor Jesus Cristo foi executado pelos romanos pela solicitação dos líderes religiosos judeus que gozavam de certa liberdade e prestígio para julgar causas religiosas conforme suas leis. 

O Império Romano não acabou com a queda de Roma no Ocidente em 476 d.C., e tampouco acabou com a queda da capital oriental de Constantinopla quase mil anos depois — ou com o fim do Sacro Império Romano alguns séculos depois disso. De acordo com Daniel, o Império Romano passaria por dez ressurreições, nas últimas sete tendo um pacto com um falso poder religioso, até o tempo da segunda vinda de Jesus Cristo — em outras palavras, durante o nossos dias! Na história mais recente, ocorreu através da Alemanha de Hitler. Note que o título honorífico alemão "Kaiser" provém diretamente do título romano "César". Reconhecemos os esforços atuais para criar um superestado europeu unificado como etapas significativas no processo de formação do último renascimento profetizado do Império Romano. Isso sustenta e corrobora a análise da evolução dos acontecimentos na Europa. Roma ainda não morreu plenamente e tem voz ativa entre as nações por meio de seus sacerdotes inclusive. 

Dinastia Qing

A história do império na China já existia antes mesmo da constituição do Império Romano, com Shang e Zhou, entre 1500 e 770aC. Foram, ao todo, mais de sete séculos.  Iniciada na Manchúria, ao Norte da China, no século XVII, o Império Qing foi uma das mais antigas dinastias chinesas e o maior império da história do país. Ela formou as fronteiras da China moderna e unificou os mongóis, manchus e han sob o mesmo governante. Mas foi só no século XIX que os problemas começaram, com a ascensão do Cristianismo e a eclosão de revoltas e revoluções ao longo do século.  Assim como o Império Romano, a Dinastia Qing também caiu em decorrência de invasões externas. Esse império tentou unir os povos chineses mas onde chega a mensagem do evangelho libertando a mente e os corações da subserviência e doutrinação; sempre haverão conflitos e até queda de impérios que se valem de ferramentas do mal para seu sustento. 

"Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas. Acautelai-vos, porém, dos homens; porque eles vos entregarão aos sinédrios, e vos açoitarão nas suas sinagogas; e sereis até conduzidos à presença dos governadores, e dos reis, por causa de mim, para lhes servir de testemunho a eles, e aos gentios. E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai o filho; e os filhos se levantarão contra os pais, e os matarão. E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo. Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e assim os inimigos do homem serão os seus familiares." Mateus 10.16-18,21,22,34-36

Ainda em nossos dias o cristianismo e suas mensagens tem incomodado nações inteiras e cada vez mais as pessoas tem comprado a narrativa de que somos um problema para a paz mundial e o equilíbrio da humanidade. Mas os conflitos se dão justamente por conta do Evangelho de Cristo ser libertador e conceder ao homem um destino completamente diferente de ser um escravo explorado e dominado por tiranos vivendo uma vida também como preso à sua própria natureza caída e quando confrontado com a mensagem do arrependimento, muitos a rejeitam com ódio e passam a perseguir os cristãos, blasfemarem contra Deus e incitarem confrontos de ordem pessoal até criando leis contra nós. Tenha em mente o que sempre destacarei aqui: Luta do bem contra o mal

Império Mongol

É importante ressaltar que existem dois principais tipos de império: os terrestres e as talassocracias, sendo que aos primeiros se chega à conquista por terra e, aos segundos, pelo mar. O Império Mongol é um grande exemplo do primeiro, pois se espalhou a partir da Mongólia, pela ação de Genghis Khan. No início, o governante enviou invasões a todas as direções para derrotar e reinar sobre o máximo de lugares, o mais rápido possível. Os mongóis conquistaram muitos territórios, inclusive a Ásia Central. Outros casos de império já haviam ocorrido na Ásia. Como destaque, podemos citar o Grande Império Coreano que, embora não possuísse mais terras que a própria Coréia, foi engolido pelo Japão após 8 anos. Seu império se estendia de Pequim, no Leste Asiático, até Danúbio e o Golfo Pérsico, a oeste. Impressionantes nove milhões de quilômetros quadrados. No entanto, apesar de estabelecer um período de paz sem precedentes nas terras que conquistou - conhecida como Pax Mongolica - o império só durou, de fato, até 1294, quando se dividiu em quatro partes. Elas se tornaram politicamente independentes e, mais tarde, entraram em colapso, uma a uma. Assim começam e assim terminam, porque são homens... 

"Porque o reino é do Senhor, e ele domina entre as nações." Salmos 22:28

Império Otomano

Depois que o Império Romano se dividiu em duas partes, a metade oriental ficou conhecida como Império Bizantino e se sediou em Constantinopla. Isso durou até 1453, quando a cidade foi conquistada por Mehmed, o Conquistador, descendente de Osman I, o primeiro imperador otomano, que estabeleceu o império, em 1301. Sua dinastia regeu Istambul (novo nome para Constantinopla) por mais de seis séculos. Império pode ser definido como um conjunto de terras sujeito a um só governante, direta ou indiretamente. Por essa razão, pode apresentar uma diversidade étnica, religiosa, linguística e cultural significativa. O Império Otomano é um exemplo disso. Á certa altura, países tão diversos como Egito, Bulgária, Grécia e Líbano, estavam todos sob o domínio dos otomanos, estabelecidos na Turquia. A dissolução do Império Otomano é um período que se estende de 1908 seguindo o período de declínio do império até 1922 com a Revolução dos Jovens Turcos que leva ao estabelecimento de uma Segunda Era Constitucional e posteriormente a divisão do império entre os vitoriosos da Primeira Guerra Mundial.

Até aqui vimos impérios que oscilavam entre crueldade e tolerância para com outras religiões e mesmo outros povos. Vamos ver mais de perto os grandes tiranos da história? Salvo se houverem fatos constatados de histórias paralelas ao que for apresentado aqui, peço as fontes para investigação mais profunda e estarei atualizando o artigo. Obrigado! 





15 Maiores Tiranos da História da Humanidade

O século XX está cheio de exemplos de ditadores na Europa, América, África e Ásia. São dirigentes que chegaram ao poder às vezes por via democrática ou derrubando pela força um regime constituído. Desejavam construir uma "nova sociedade", e para isso, cometeram crimes contra a Humanidade. Sendo eles de direita ou de esquerda. 

Adolf Hitler (1889-1945)

Presidente e chanceler da Alemanha, Adolf Hitler foi precursor do nazismo, concebeu e fez a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Este fato vai moldar sua atitude política, pois ele se junta aos que culpavam os comunistas, judeus e capitalistas internacionais pela derrota germânica. Com alguns companheiros, trama o Golpe de Munique, mas é derrotado e preso. Hitler defendia a ideia da superioridade da raça ariana e, por isso, tratou de eliminar todos aqueles que considerava inferiores como judeus, ciganos, deficientes físicos e intelectuais, homossexuais, etc. Para isso, criou e utilizou os campos de concentração nazistas para seus macabros objetivos. Essas foram as principais vítimas do nazismo. Além disso, levou a Alemanha a guerrear em duas frentes, ocidental e oriental,em batalhas que custaram a morte de milhares de jovens. Ao perceber que a Alemanha seria derrotada, Hitler suicidou-se. Embora algumas pessoas tenham uma narrativa paralela à comumente difundida na história, não conheço outra vertente convincente até aqui que tenha sido de forma diferente. Embora defenda o direito de cada ser humano ser quem bem queira ser dentro dos limites da lei; alguns movimentos continuam extrapolando os direitos seus e atropelando os de outras pessoas para ofender, atrapalhar eventos e impor seus prazeres carnais e deturpados. Isso tem sido promovido constantemente pelas bolhas midiáticas e aplaudido pelas sociedades modernas como normal. 

Josef Stalin (1879-1953)

Após a morte de Lenin em 1924, Josef Stalin alcançou o poder da União Soviética. Seu primeiro passo foi estatizar os meios de produção e coletivizar as terras cultiváveis. O objetivo era alcançar o nível de industrialização de países como a Alemanha ou Inglaterra. As crises de fome devido às políticas agrícolas equivocadas mostraram ao povo russo e ao mundo a pior face do socialismo. Também perseguiu implacavelmente seus inimigos exilando-os, enviando-os às prisões de trabalho forçado conhecidas como Gulags ou matando-os. Em 30 anos de Stalin no poder, calcula-se que morreram cerca de 20 milhões de pessoas. Stalin faleceu de causas naturais em 1953. Eis as primeiras pitadas do socialismo prático que temos ouvido o tempo todo sem censura no Brasil e seu principal defensor disputará "livremente" as eleições nesse ano de 2022. Essa essência socialista ainda permeia nações pelo mundo todo e onde elas ganharam poder, os países vivem miséria e escravidão. 

Mengistu Haile Mariam (1937)

Militar e político etíope, também conhecido como “Negus Rojo”. Subiu ao poder destronando o imperador Haile Selassie I e instalou na Etiópia um governo de inspiração socialista. Sua administração esteve marcada por crimes contra os Direitos Humanos, fome coletiva, perseguição à oposição e guerra contra a Somália. Seu regime foi responsável por entre 725.000 e 1.285.000 mortes. No ano de 2006, a justiça etíope declarou a Mengistu Haile Mariam culpado de genocídio e crimes contra a humanidade. Apesar disso, hoje em dia, Mengistu Haile Mariam vive no Zimbábue. Negus Rojo, o socialista é mais um notório exemplo do que um homem pode fazer com poder nas mãos e ideologias erradas. Pessoas acabam sendo iludidas, contrariadas reagem e se tornam inimigas sendo até mesmo mortas. 

Hissène Habré (1942)

Militar e político foi presidente do Chade de 1982 até 1990. Hissène Habré chegou ao poder através de um golpe de Estado que derrubou o presidente eleito Goukouni Oueddei. Neste época, Oueddei contava com o suporte da Líbia, de Gaddafi. Durante seu governo, Hissène Habré cometeu genocídios contra as tribos e etnias que lhe faziam oposição. Calcula-se que a polícia secreta tenha torturado umas 200.000 pessoas e assassinado cerca de 40.000. Habré recebeu o duvidoso apelido de "Pinochet da África" devido aos seus métodos de desaparecimento e tortura de presos políticos. Ao ser derrotado, em 1990, foi para o Senegal. Após tentativas infrutíferas da justiça europeia deportá-lo à Bélgica para ser julgado, o Senegal criou uma corte especial que o condenou à prisão perpétua. Atualmente, Hissène Habré cumpre pena de prisão perpétua em Dakar.

Augusto Pinochet (1915-2006)

Militar e ditador chileno. Em 1973, dirigiu o Golpe de Estado que derrotou o governo do presidente eleito Salvador Allende. Durante a Guerra Fria, os Estados Unidos intervinham em governos que fossem de orientação socialista. O Chile experimentava mudanças políticas e sociais importantes após a eleição de Allende. Foi a primeira vez que um político de esquerda havia chegado ao poder pela via eleitoral na América Latina. Os militares, liderados por Augusto Pinochet, declararam hostilidade a Allende e invadiram o palácio presidencial em 11 de setembro de 1973. Allende se suicidou e Pinochet assumiu o controle do Chile. Pinochet cometeu graves violações dos Direitos Humanos como a censura, o uso da tortura em interrogatórios e o desaparecimento de pessoas. O regime de Pinochet terminou com mais de 3.200 pessoas desaparecidas e 38.000 torturadas. Embora as autoridades chilenas tenham levado a cabo investigações com o objetivo de levá-lo aos tribunais, Pinochet faleceu sem ir a julgamento. Este caso se assemelha muito ao que aconteceu aqui no Brasil com excessos durante o regime militar, mas com a esquerda sempre tentando deformar a boa memória daqueles que combateram o mal que se alastrava no país. É bom tomar cuidado com as narrativas que também são armas de guerra na conquista de mentes e de propósitos. 

Idi Amin Dada (1920-2003)

Ditador militar e presidente de Uganda, Idi Amin Dada subiu ao poder com o golpe de Estado de 1971. Seu governo se caracterizou pela repressão à liberdade de expressão, corrupção, a perseguição étnica e assassinatos de inimigos políticos. Idi Amin Dada passou da ideologia pró-ocidental, para o anti-imperialismo. Desta maneira, conseguiu o apoio da Líbia, União Soviética e Alemanha Oriental. Desde sempre, os homens se alinham de acordo com propósitos e ideologias para conseguir apoio em suas metas. Expulsou indianos, paquistaneses e cristãos europeus do país a fim de transformar Uganda num país somente para negros. O número de vítimas atribuído ao seu regime oscila entre as 100.000 e 500.000 pessoas. Além disso, chegou a mandar assassinar altos membros do seu governo como ministros e o bispo anglicano Janani Luwum, que denunciava as atrocidades do seu regime. De personalidade megalomaníaca, ofereceu-se para ser rei da Escócia a fim de liderar os escoceses para derrotar a Inglaterra. Em 1978, Idi Amin Dada declarou guerra a Tanzânia, mas seria derrotado por este país. Assim, exilou-se na Líbia e, posteriormente, na Arábia Saudita, onde faleceria após 24 anos de exílio. Esse, diferente de Hitler, queria uma nação apenas de pessoas negras... Eu fico escandalizado dos limites que os humanos ultrapassam para alcançar o que querem... 





Saddam Hussein (1937-2006)

Saddam Hussein nasceu na cidade de Tikirit e era oriundo de uma família pobre que se dedicava ao pastoreio. Aos 20 anos ingressou no Partido Socialista Árabe Ba'ath e dali foi construindo sua carreira. Este partido tinha como ideologia conciliar as ideias socialistas com o nacionalismo árabe. Durante o governo de Saddam, as empresas petroleiras e os bancos foram nacionalizados. Também aboliu os tribunais e a lei islâmica - a sharia - e isso lhe valeu críticas dos setores religiosos. Também reprimiu duramente as etnias curda e xiita, acusadas de colaborarem com os inimigos do Iraque. O governo de Saddam Hussein foi marcado por prisões arbitrárias e torturas. Participou na Guerra do Golfo e na Guerra do Iraque e é o responsável do Genocídio Curdo durante o conflito Irã-Iraque. Capturado por tropas americanas foi entregue à justiça do Iraque. A corte iraquiana o condenou à morte por enforcamento. Mais um socialista perseguindo "inimigos" e entre eles, religiosos. 

Francisco Franco Bahamonde (1892-1975)

Militar e ditador espanhol integrante do golpe de Estado que derrubou a república espanhola na qual desembocou na Guerra Civil Espanhola (1936-1939). Durante a guerra, verificam-se prisões arbitrárias e julgamentos sumários. Franco permitiu que os países aliados, Alemanha e Itália, bombardeassem cidades como Guernica, Barcelona e Madri. Somente de desnutrição calcula-se que morreram na Espanha umas 50 mil pessoas. Posteriormente, seu regime foi marcado por uma violenta perseguição aos opositores, censura, repreensão aos nacionalismos, exílio para aqueles que haviam lutado pela causa republicana. Em quarenta anos de governo, a pena de morte estava instituída e foram fuziladas 23.000 pessoas. Faleceu em 1975 de causas naturais. Até hoje, a memória e o legado de Franco são um assunto controverso na Espanha. A destruição do nacionalismo inclusive é uma das metas dos que fazem parte da NOM e visam um governo único mundial. 

Jorge Rafael Videla (1925-2013)

Militar e ditador argentino. Em 1976, após consumar o golpe de Estado na Argentina contra a presidente Isabelita Perón semeou o terror pelo país. Seu regime autodenominou-se "Processo de Reorganização Nacional" e se baseava em eliminar a oposição por meio de prisões arbitrárias, sequestros e assassinatos. Calcula-se que foram deixados cerca de 30.000 desaparecidos nesta época. Sob sua proteção, alguns militares argentinos aproveitavam-se dos bens daqueles que foram detidos. Inclusive sequestravam os bebês nascidos nas prisões e os davam para adoção. Igualmente, promoveu a abertura de mercado, a supressão de sindicatos e se envolveu numa disputa territorial contra o Chile. Com desavenças entre seus companheiros de armas, Videla foi substituído pelo general Roberto Viola. Por fim, em 2010, foi condenado à prisão perpétua, onde morreria com 87 anos.

Pol Pot (1925-1998)

Saloth Sar, mais conhecido como Pol Pot, foi um ditador cambojano e líder do Khmer Vermelho. Atraído pelo socialismo, especialmente o maoismo, pegou em armas contra a monarquia e os vietnamitas. Uma vez no poder, sua ideia era construir um país agrário. Tudo que fosse modernidade como máquinas e tecnologia foi banido do Camboja. Os intelectuais, a religião e o estudo foram banidos. Também obrigou as pessoas que viviam nas cidades a irem para o campo. Ali, eram confinadas em campos de trabalho forçados onde morriam de inanição e fadiga. Tornou-se o principal responsável do denominado "Genocídio Cambojano" que eliminou um terço da população do Camboja. A tortura era usada de maneira sistemática e grandes fossas comuns eram abertas para enterrar os mortos. Em 1979, o Vietnã invade o Camboja. Para combatê-los, Pol Pot manda minar os campos do país, o que deixa consequências até hoje, pois as minas terrestres continuam fazendo vítimas. Mesmo derrotado, ele se retira para o interior onde lidera a dissidência. O conflito se transforma numa guerra entre o governo e o Khmer Vermelho, ainda comandados por Pol Pot. Pol Pot morre sem ser julgado por suas atrocidades em 1998. Olhando para vidas como esta guiadas pela corrupção do poder e com um coração cheio de maldades e a mente saturada de ideologias; custo a acreditar do que o homem é capaz, mas olhando para as Escrituras eu entendo que isso é possível e acontece... 

Mao Tsé-Tung (1893-1976)

Assim como nas ideologias chinesas, no final dos tempos, a besta terá sua imagem e exigirá adoração. Imagem: GZH



Líder da Revolução Chinesa que instaurou o socialismo na China. Calcula-se que suas políticas de industrialização e reorganização agrícola tenham deixado 70 milhões de mortos. MaoTsé-Tung se aproximou da União Soviética a fim de conseguir apoio externo e mercado para os produtos chineses. Admirava Stalin e imitou seus métodos de coletivização forçada e o culto à personalidade do líder, por exemplo. A versão do socialismo na China foi chamada de maoismo e inspirou movimentos de esquerda no mundo inteiro. O legado de Mao permanece controverso. Se por um lado, ele assentou as bases para a modernização chinesa, industrializando o país, por outro, acabou por comprometer várias gerações por conta das perseguições políticas, desnutrição e jornadas de trabalho extenuantes. Mao Tsé-Tung morreu em 1976 devido à doenças. Adoradores de si mesmos; perseguidores terríveis contra os opositores e admiradores de males. Nesse país ainda predominam as mesmas ideologias até nossos dias. 

Benito Mussolini (1883-1945)

Benito Mussolini nasceu numa família humilde na Itália e a princípio se encantou com as ideias socialistas, por seu conteúdo revolucionário. No entanto, ressentido pela derrota da Itália na Primeira Guerra, rompe com o socialismo. Passa a defender o fascismo, o nacionalismo extremo, violento e antidemocrático como solução para recuperar os territórios e o orgulho perdidos. Em 1922, mostra o poder do seu Partido Fascista colocando 50.000 militantes para desfilar no episódio conhecido como “A Marcha sobre Roma”. Como todos os ditadores, Mussolini não poupou esforços em perseguir opositores, como comunistas e socialistas. Aliado de Hitler, promulgou leis antissemitas que resultaram na deportação e morte de milhares de judeus. Em 1943, Mussolini é deposto e preso, mas foi resgatado por paraquedistas alemães. Ainda tenta fundar uma república no norte da Itália. Expulso, tentaria atravessar a fronteira suíça, mas é descoberto e fuzilado em 1945. Um movimento de direita com ideologias nobres mas um homem perverso no poder não poderia ter outro resultado; e sua maldade transpareceu cometendo crimes contra a humanidade. 

Muammar Gaddafi (1942-2011)

Político, militar e revolucionário líbio. Derrubou a monarquia através de um golpe de Estado e foi proclamado o líder do país. Usou o lucro da produção do petróleo para modernizar a Líbia construindo casas, promovendo a educação e saúde gratuitas. Sob seu comando o país teve o maior IDH da África. 
Muçulmano praticante, não concordava com o comunismo por esta ideologia ser ateia. Gaddafi foi eliminando, literalmente, qualquer oposição interna. Para isso, contava com a polícia secreta que vigiava e prendia os cidadãos líbios sem precisar de acusações formais. Em junho de 1996, mandou executar cerca de 1.000 prisioneiros, acusados de “oposição ao regime”. Igualmente, promoveu uma série de atentados terroristas. Os mais notórios foram o sequestro de atletas israelenses na Olimpíada de Munique em 1972, que terminou com 12 mortos e a explosão do avião da Pam Am 103, em 1988, que matou 270 pessoas. Apesar disso, Gaddhafi não apoiava o terrorismo praticado por grupos como o Al-Qaeda ou o Estado Islâmico, pois os via como concorrentes. Dessa maneira, condenou o ataque de 11 de Setembro e se declarou amigo das potências ocidentais. Na primeira década do século XXI recebeu uma série de dirigentes da França, Espanha e Reino Unido. No entanto, com a Primavera Árabe, organizações líbias se levantaram contra Gaddhafi com apoio das tropas da ONU. Conseguiram expulsá-lo da capital e posteriormente, o dirigente foi perseguido enquanto se dirigia para sua cidade natal. Ali, foi capturado e assassinado a tiros. Já começamos a ver a atividade de organizações unidas intervindo no cenário mundial, como no caso da ONU. 

Papa Doc (1907-1971)

Papa Doc, apelido pelo qual era chamado François Duvalier, foi um médico e político haitiano. Chegou ao poder através das eleições, mas rapidamente se tornou o "presidente eterno" do Haiti. Para tanto, substituiu os comandantes do Exército por homens de sua confiança e criou os "Tontons Macoute". Estes consistiam numa guarda pessoal que obedecia diretamente a Duvalier. As vítimas feitas pelos Tontons Macoute podem chegar a 150.000 pessoas entre assassinatos e desaparecimentos. Igualmente, muitos haitianos foram exilados ou saíram do país por causa da perseguição política. O aumento do poder de Papa Doc se explica pelo apoio financeiro e estratégico dos Estados Unidos que temiam perder mais um aliado no Caribe, após a Revolução Cubana. Também Papa Doc soube usar o vodu, religião animista afro-caribenha, para aterrorizar a população haitiana. Assim, se criou a lenda que todos aqueles que se opunham aos seus desejos, morriam. Papa Doc faleceu em 1971 em decorrência de complicações devida à diabetes. Foi sucedido pelo seu filho Jean-Claude Duvalier, o "Baby Doc" que governou até 1986. As estratégias e ferramentas de dominação e opressão sempre variam ao longo do tempo; mas o povo sempre padece a opressão, perseguição e morte... 

Kim Jong-un (1983)

É o atual ditador da Coreia do Norte desde 2011, nascido em Pyongyang. É o terceiro membro da dinastia comunista Kim a ocupar o poder. Seu avô, Kim Jong-sum (1912-1994), foi o fundador do estado comunista da Coreia do Norte e travou a Guerra da Coreia. Como consequência, a península coreana foi dividida em dois países que seguiam zonas de influências diferentes. A do norte aliada à União Soviética e a do sul, vinculada aos Estados Unidos. Durante o governo de Kim Jong-um cerca de um milhão de pessoas podem ter morrido de inanição, fuzilamentos, torturas e doenças. Foi sucedido pelo filho, Kim Jong-il (1941-2011), que continuou com as políticas de culto à personalidade, partido único e o encerramento da Coreia do Norte ao mundo. Kim Jong-il foi o provável mandante do atentado contra dirigentes sul-coreanos levados a cabo na Birmânia, em 1983, onde 21 pessoas morreram. Também em retaliação às Olimpíadas de Seul, teria explodido um avião da Korean Air, em 1987, onde faleceram 115 pessoas.

Esperava-se que Kim Jong-un fosse começar a abertura da Coreia do Norte ao mundo, pois ele havia se educado no Ocidente. No entanto, Kim Jong-un tem se mostrado tanto ou mais despótico que o avô e o pai. Uma das suas primeiras medidas foi mandar matar o próprio tio acusando-o de espionagem. Em seguida, promoveu um expurgo na cúpula militar, prendendo ou matando todos aqueles que julgavam que não lhe seriam leais. Agora, dedica-se a mostrar ao mundo o arsenal de armas que possui. Isto já causou mais de um incidente internacional e tem fomentado o conflito entre EUA e Coreia do Norte. As maiores aberrações vem sempre do lado mais negro da humanidade pelo comunismo e socialismo; mas repito que além das ideologias e por trás delas sempre tem um coração maldoso e distante de Deus. 





Considerações e Conclusão

Eu poderia sobrecarregar ainda mais este artigo mostrando os demais tipos de homens que subiram ao poder e como influenciaram toda uma nação com suas ideologias ou desejos pessoais fundamentados nos sonhos mais loucos e controversos. Censuraram pessoas; prenderam; tiraram os bens; escravizaram; mataram e baniram do país. Basta apenas uma mudança no comando de um país e tudo pode se tornar um caos para as pessoas de bem que não militam cegamente fazendo maldades a seu próximo. Não me faltaria ainda mais exemplos modernos em mudanças que ocorreram recentemente como em Cuba, Chile, Venezuela entre outros, onde o comunismo e socialismo tem deixado claro como as coisas ficam quando um militante chega ao poder pelo voto ou por um golpe de Estado. E isso tem muito a ver com o que estamos pesquisando; pois a NOM não segue caminhos diferentes mas vem justamente dessas vertentes, consistindo em homens poderosos com intentos e ideologias em comum, visando um mundo unificado onde as pessoas sigam seus caminhos e obedeçam suas metas para "uma nova ordem mundial". E aquilo que era tido como conspiração anteriormente vai ganhando forma, na mesma forma dos ordens antigas. A essência do mal é a mesma; seja partindo de um homem só ou de uma organização inteira. Pessoas inocentes sofrem e morrem nas mãos de poderosos malucos e insanos. Você conseguiu perceber onde um homem mau pode chegar incitado com poder? 

Fontes: 

Deixe sua opinião que é muito importante para mim; compartilhe este artigo para mais pessoas aprenderem e despertarem e obrigado por acompanhar este humilde trabalho e se esta chegando agora, se inscreva com seu email abaixo para receber artigos novos sempre:
 

Digite seu Email:

Verdade Urgente no YouTube



Deus abençoe muito sua vida e espero ter contribuído de alguma forma para seu crescimento em busca de verdades. Abraço! 😉

Respondeu Jesus: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim." João 14:6




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Claudio Ptolomeu - Geocentrismo Astrológico

Hicetas - Rotação ou Translação da Terra?

Ecfanto "Inexistus" - Movimento Leste a Oeste da Terra