Terra Plana - Prova 104 - Precessão dos Equinócios

Precessão dos Equinócios é mais um conjunto de explicações fictícias fundamentadas em um emaranhado de explicações não empíricas e desenvolvidas ao longo dos anos para tentar justificar os movimentos imaginários da Terra Esférica. Segue uma descrição do que seria esse fenômeno e como ele acontece: "Precessão é um fenômeno físico que consiste na mudança do eixo de rotação de um objeto. Esse efeito giroscópico, observado nos movimentos dos pontos de referência celestes, pode ser explicado pela análise vetorial das grandezas envolvidas, torque e momento angular." Já em seu tempo, Samuel Birley Rowbotham analisou tais explicações e logo expôs quão frágeis elas são e não mostram nada quanto a realidade diante de nossos olhos. Antes de continuar com mais essa brilhante refutação, te convido a ler mais artigos publicados por aqui no Verdade Urgente: 

Movimentos da Terra / Terra Plana


Resumindo: A "rebolatura" da Terra seria como um peão cambaleando em seu giro. Imagem: ArmazemAqui


 As teorias copernicanas ou newtonianas de astronomia afirmam que os "eixos da terra estão inclinados a 23º 28‟ à eclíptica."

"A partir de observações sabe-se que o sol não corta o equador no mesmo ponto. Se em certo dia ele corta o equador em um certo ponto, no mesmo dia no próximo ano ele corta em outro ponto situado a 40º103‟ a oeste do anterior, e assim chega ao equinócio em 20‟23‟‟ antes de ter completado toda sua volta nos céus, ou passado de uma estrela à outra. Assim, o ano tropical, ou o ano real das estações é mais curto do que o ano sideral. Retroagindo a cada ano 50‟103" a oeste, o equinócio faz uma revolução completa em 25.868 anos. Assim, o primeiro ponto de Aries, que anteriormente correspondia ao equinócio vernal (primaveril), está agora 30º mais a oeste, embora por convenção entre os astrônomos isso sempre responda aos equinócios. Essa mudança na obliquidade do equador à eclíptica é confirmado por observações de astrônomos antigos, e por cálculos. Podemos nos convencer ao comparar a atual posição das estrelas com respeito à eclíptica na qual elas ocuparam nos primeiros tempos. Assim encontramos para aquelas que, de acordo com relato dos antigos, estavam situadas ao norte da eclíptica, próximas ao solstício de verão, estão agora mais adiantadas em direção ao norte, e tem recuado desse plano. Aquelas que estavam ao sul da eclíptica, próximas ao solstício de verão, se aproximaram deste plano, e algumas que passaram dentro disso, e mesmo além desse plano, no seu caminho em direção ao norte. As mudanças contrárias ocorreram próximo ao solstício de inverno." 131





Que o sol não "corta o equador" todo ano no mesmo ponto, e que "as estrelas as quais estavam, nos primórdios, situadas ao norte do solstício de verão, estão agora, em relação à posição do sol, mais adiantadas em relação ao norte", não há dúvidas, mas por que a terra não é um globo, e nem gira nos eixos, nem se move numa órbita ao redor do sol, essas mudanças não podem ser atribuídas ao que é chamado de "precessão dos equinócios", tem sido encontrado, como afirmado na página 105 - 9 deste trabalho, que o percurso do sol é sempre acima da terra, e concêntrico com o centro norte, e que a distância do percurso anual sempre aumenta gradualmente desde que se tem feito observações, mais do que um quarto de século. E quando nós consideramos que na Grã Bretanha, e nações ainda estão mais ao norte, tem sido encontradas evidências de mais de uma condição tropical existindo, somos forçados a concluir que esse alargamento gradual do curso do sol ocorre por séculos, e que em um período anterior o centro norte, e lugares como Groenlândia, Islândia, Sibéria, etc., e não muito longe disso, foram regiões tropicais.





"Escavações têm sido feitas na Escócia e no Canadá, mais frio ainda, ou menor, mesmo nas costas congeladas da Baía de Baffin, e na Ilha Melville, a região mais ao norte da terra já alcançada pelo homem, e o que se encontrou? Magnificentes florestas enterradas, e árvores gigantescas, às quais só poderiam ter sido encontradas nas regiões mais quentes da terra, palmeiras e imensas samambaias, as quais, nos dias de hoje, mal tem luz e calor suficientes para crescer, mesmo nas regiões mais tórridas." 132

"Sabe-se, como um assunto histórico, que quando a Groenlândia foi descoberta, ela tinha um clima muito mais quente do que no momento. As bancadas de gelo tem se estendido do sul nas regiões polares por alguns séculos. A causa disso é desconhecida, apenas se sabe o fato." 133

Como resultado natural do mesmo alargamento do percurso do sol, o sul tem gradualmente mudado, seu congelamento e trevas têm diminuído, e muitos tem declarado que isso é um fato.

"O clima parece estar em geral muito mais temperado agora (1822) do que era quarenta anos atrás. Imensas massas de gelo têm sido encontradas anualmente na latitude de 50º ao sul. Durante as três viagens que fiz nesses mares, eu nunca tinha visto gelo indo em direção ao norte do sul da Geórgia (54º). Grandes mudanças tem portanto acontecido nesses lugares no congelado sul polar." 134

Quando comparamos o registro de viagens, tanto ao norte quanto ao sul, feitos pelos primeiros navegadores, com as afirmações feitas por aqueles dos períodos recentes, muitas provas incidentes são encontradas do aumento do frio nas regiões árticas, e correspondente declínio na antártica. Consequentemente encontramos que as várias mudanças que são atribuídas à "precessão dos equinócios", são na realidade em função do gradual aumento da distância do sol do centro norte, e o avanço em direção ao sul. Quanto o caminho do sol tem se movido ao sul, ou quão próximo ele estava do centro polar quando o afastamento começou, ou se alguma vez foi vertical ali, são questões que ainda não podem ser respondidas. Se alguma vez o sol teve uma posição vertical sobre o centro norte, não poderia, certamente, haver alternância de calor e frio, ou dia e noite, mas um dia perpétuo e verão tropical. É evidente que desde que começou o dia e a noite, o sol tem se movido em um percurso concêntrico a certa distância do centro polar, mas porque o percurso era muito mais próximo do que é atualmente, toda a região norte precisava ser tropical, com longos dias, e pouquíssimas trevas durantes as noites, mas dias continuamente longos, com amanhecer e entardecer suaves, e com o verão alternando com a primavera e o outono, mas nunca com trevas e inverno. 

Assim, com tanto dia, e tão pouca noite, e suaves alternâncias de temperatura, e a luz do sol quase continuamente brilhando em uma considerável altitude, essa região fervilhava com vida animal e vegetal das mais belas espécies. Tudo se desenvolvia na mais perfeita estrutura, nas mais brilhantes cores, com muito poder físico, e a mais intensa capacidade moral e mental. Tal região não poderia ser menos do que um paraíso, tão lindo e perfeito como jamais registrado nos livros sagrados dos primeiros teólogos, ou, do qual seja possível para a mente humana jamais conceber. Há frequentes e singulares referências encontradas nos livros sagrados, lendas e poemas de várias nações, que o norte foi o lar de alegria, poder, e dos seres mais inteligentes.

Considerações e Conclusão

Quando qualquer pessoa desperta para a ficção científica que é tais movimentos dessa esfera improvável e começa a questionar o modelo; logo os papagaios repetem as mesmas explicações de sempre. Isso quando eles decoraram as mesmas; porque mesmo para eles é tudo muito complexo e por isso mesmo mal tentam refutar os argumentos quando não entendem nem as bases do modelo que aprenderam. Nesse caso é muito simples refutar tal "rebolatura" da Terra; basta simplesmente dizer que não acredita nisso e que quer provas mais concretas além de cálculos e elucubrações humanas e não por observações reais em se falando de fato de movimentos da Terra. O que dizer se de fato são os astros que se movem diante de nossos olhos e nossa inteligência nos atesta isso mesmo?? Deixe sua opinião nos comentários e participe compartilhando este artigo nas redes sociais; se inscreva em nosso feed para receber as atualizações de novos artigos e também no canal para novos vídeos. Deus o abençoe!  

Fontes:

Brasil Escola - Precessão dos Equinócios

Astronomia Zetética - A terra não é um globo (Páginas 321 à 323)

131 Lectures on Astronomy," by M. Arago.

132 Professor L. Gaussen "World's Birthday

133 London Journal," February 14, 1857.

134 Voyages to the South," by Captain James Weddell, F.R.S.E., p. 95.





Comentários