Nicolau Copérnico - Heliocentrismo Imaginário

Estamos chegando aos tempos mais caóticos na história de "descobrimentos" que os filósofos fizeram desde que abandonaram as antigas crenças e ciência sobre o mundo ao seu redor. Enquanto a Grécia ainda perdurava com sua cultura e conhecimentos; muitos "espertinhos" e sábios se levantaram como sempre, para o bem e para o mal e disseminaram seus conhecimentos para todo o mundo alcançável de então. Nesse tempo, a igreja surge após todos os dias proféticos do nosso Senhor e Salvador Jesus que foi morto e crucificado conforme as profecias. E mesmo depois estes homens coexistiram com os apóstolos e pregadores do Evangelho e pretendo abordar o que há nas Escrituras sobre eles. A Igreja sofreu forte perseguição e martírio e isso já aconteceu durante o domínio do império Romano. Enquanto os homens buscavam conhecer a natureza e o universo em todas as suas limitações; esses servos de Deus apregoavam as boas novas do Evangelho na pessoa bendita de Jesus Cristo. Infelizmente séculos mais tarde a Igreja se abriu para o romanismo e outras culturas pagãs e perdeu sua identidade legítima. Nesse tempo surgiram também homens pensadores que pegando carona nas "vãs filosofias" dos gregos, inventaram e formularam a chamada por mim "matemática fantasiosa" como prova de seus achismos. Um deles foi Nicolau Copérnico. Ante de prosseguir, recomendo que veja outros artigos relacionados: 


Nicolau Copérnico foi o sujeito que resolveu refutar o Geocentrismo criando o Heliocentrismo. Imagem: Aventuras na História

Quem foi Nicolau Copérnico? 

Nascido em 1473, basicamente ele se formou ou estudou sobre astronomia, matemática, teologia e medicina. Se formou na igreja católica como padre e se dedicou a estudar as estrelas durante um grande período da sua vida; buscando nas fontes gregas de informação astronômica e observando os céus a noite de uma torre que posteriormente levou seu nome. Como não é meu objetivo salientar todos os detalhes de sua vida; vou direto ao que diz respeito a astronomia cria e repassada por ele. Mas tem muito mais informações sobre ele nas fontes pesquisadas. 

Mas não pude deixar de notar que a partir dele os supostos astrônomos de pés no chão, já não eram mais intitulados como "filósofos". Mas isso provavelmente ocorreu por conta do fechamento da hipótese Geocêntrica onde por mais de um milênio ninguém questionou ou adicionou mais informações; até o tempo da igreja romana quando comichões despertaram atrevidos que por sua vez, na confusão de seus entendimentos sobre a realidade misteriosa e indecifrável, começaram a levantar novas possibilidades para o universo. Então surge Nicolau Copérnico sendo chamado apenas de astrônomo. Ele em toda sua vida ainda conseguiu escrever dois livros sob muitas desconfiança e resistência da igreja romana e só foram publicados em meados de 1543, ano de sua morte. Somente mais tarde com outros "astrônomos" que começaram a abraçar essa filosofia e hipótese.   





O Heliocentrismo de Copérnico

Como citado anteriormente, Nicolau Copérnico, após mergulhar numa universidade da Cracóvia aos 18 anos. Absorveu de toda repetição que era transmitida a muitos pela sistema de ensino advindo dos filósofos matemáticos imaginadores. O que não poderia culminar em outro fim; ele aprendeu sobre o universo a partir das hipóteses matemáticas ilusórias que se baseavam em eventos oculares e atmosféricos para tentar justificar uma terre esférica e os movimentos dos astros como ainda observamos hoje sem recursos avançados como telescópios, lunetas e câmeras digitais. Foi a partir dos tempos da igreja romana que se consolidou ainda mais as fantasias dos filósofos usando-se dessa matemática sem fundamento real. 

Prova disso são os fenômenos que eles não tinham explicações em seu tempo e hoje tempos quanto a atmosfera e seus efeitos sobre os astros no horizonte; a curvatura impossível e improcedente no mundo real e outros cálculos que não condizem com a realidade hoje desvendada em muitos pontos. Mas ele erroneamente em suas imaginações a exemplo dos magos filósofos matemáticos do passado; imaginou que ao invés da terra bola estar no centro do universo; o sol é que estava fixo e mesmo a terra com as estrelas e planetas giravam em torno dele! E qual a evidência disso? Como dizem alguns oponentes da Globolândia... "Fonte: Minha cabeça". E essa expressão não se trata apenas de comédia caro leitor. Ele imaginou também que estrelas exclusivamente vistas no Egito e na Itália peculiarmente, provavam a esfericidade da terra! Adicionou como prova o fato de não podermos ver as estrelas do extremo sul estando no norte e vice versa. Crendo ser por conta da curvatura inexistente da bola bailarina! Tudo no campo de sua mente! Mas isso não para por aí... 

Ele ainda ousou de forma hipotética encaixar o fenômeno das estações do ano nessa mesma esfera que agora bailava em seus movimentos no espaço infinito (ou não). A melhor parte foi ele estudando sobre os supostos movimentos da terra, das estrelas e dos planetas segundo sua concepção imaginária. Relembrando que o Geocentrismo priorizava a terra no centro do universo com todos os demais astros se movendo ao redor dela. Meio que sob as bençãos da igreja romana isso ficou assim até Nicolau Copérnico perturbar a paz dos companheiros padres e astrônomos de então. Assim se iniciava de vez a ruptura entre a igreja romana e os filósofos ateístas; justamente através de um padre católico! Óbvio que dessa metamorfose mental toda surgiram as explicações teologicamente corrompidas sobre as Escrituras e os astrônomos cristãos que tentavam justificar as besteiras ateístas usando as mesmas. Mas prossigamos com Nicolau Copérnico. 

Essa foi a formação e base de mais um astrônomo que NUNCA tirou os pés do chão. Aprendeu com as bases filosóficas matemáticas superficiais de seu tempo; passava noites estudando as estrelas a seu modo imaginário e ganhou status se formando padre no seio da teologia e na igreja romana; de onde conseguiu coragem de ousar publicar dois livros intitulados "Pequeno Comentário" e "Sobre Revoluções dos Corpos Celestes". Tudo no campo da mente fértil; observações limitadas e má compreensão de fenômenos naturais. Assim se formou o sistema heliocêntrico já abandonado e ainda mais incrementado de imaginações fantasias e mentiras que NINGUÉM consegue conferir por métodos científicos verdadeiros. Caso contrário explane a metodologia usada por Nicolau Copérnico e explanarei o seu engano com as descobertas posteriores como o próprio Samuel Birley Rowbotham nos deixou em seu legado "Astronomia Zetética - A terra não é um globo".  





Considerações e Conclusão

Estudando a história de Nicolau Copérnico e como ele abusou de sua posição com padre católico implementando o sistema heliocêntrico; descubro como essas mentiras e invencionices ganharam força entre cristãos católicos e protestantes; mas vou reservar isso com mais detalhes para outras publicações. A igreja romana se abriu para a crença numa terra esférica e posteriormente depois de muita resistência; para aceitar o sistema heliocêntrico e mesmo ensiná-lo em suas escolas e faculdades como verdade. Mesmo contrariando as Escrituras e o senso comum. Tudo NUNCA passou de imaginação, confusão de interpretação do universo e sua mecânica e fantasias acrescidas de malandragem e recursos modernos visuais! O sistema heliocêntrico de Nicolau Copérnico foi incrementado ainda mais por outros iludidos como ele e vastamente ensinado nas escolas seculares doutrinando crianças e mantendo mentes crentes nessas mentiras com filmes e mídias até nossos dias. 

Não posso deixar de comparar a riqueza de detalhes da existência de Nicolau Copérnico e os filósofos gregos que em sua maioria só levantaram suspeitas quanto a sua existência na história. Citei esse detalhe apenas para que percebesse a estranha diferença entre eles; já que temos até Abraão com tanta riqueza de detalhes até sobre seu caráter nas Escrituras e sobre tais personagens só perguntas e obscuridade. Mas ainda concluindo sobre o sonhador Nicolau Copérnico; para quem queira teimar que tudo não passa de imaginação humana; eu recomendo que visitem a página do artigo escrito por Dilva Frazão que é do time oposto e bacharel em Biblioteconomia pela UFPE e professora do ensino fundamental e veja o que ela mesmo escreveu sobre as conclusões de Nicolau Copérnico: 

"O novo sistema planetário imaginado por Copérnico contradizia as ideias geocêntricas de Ptolomeu - de que a Terra era o centro do Universo e em torno dela giravam todos os corpos celestes."

É difícil concluir que desde os fundamentos dessa maluquice tudo não passa de mera imaginação humana? Eu preferia ficar com os delírios mitológicos e culturais dos povos antigos sobre o universo que ainda tinham um cerne verdadeiro do que toda essa mentira que nos coloca até mesmo contra nossos sentidos perfeitos! Agora quanto ao compasso no contexto histórico de Copérnico, nem vou comentar agora... Já que o mesmo só veio a existência anos mais tarde. Não me admira que essa pintura também foi imaginada... 

Fontes:


Comente sua opinião, compartilhe e muito obrigado por acompanhar nosso trabalho aqui no blog Verdade Urgente e se você esta chegando agora, não deixe de conhecer também nosso trabalho no YouTube: Verdade Urgente. Deus abençoe e não se esqueça de se inscrever aqui no blog e em nosso canal para receber as atualizações! Abraço! 😉



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Onde estão os manuscritos originais do Novo Testamento?

Respostas contra 12 argumentos dos ateus

Quantos crentes haviam no momento da ascensão?