NOM - Globalização Moderna: Vantagens e Prejuízos

Dando aquele salto na história para eventos mais contemporâneos ou próximos disso, quero falar um pouco sobre o princípio desse movimento que passou a unir cada vez mais povos e nações em intuitos em comum e desde então muita coisa boa disso surgiu mas também ideologias e planos malignos por parte de pessoas com ideologias que estiveram no comando de nações e órgãos internacionais proliferando malignidades e ataques a democracias, liberdade religiosa e promovendo criminalidade, imoralidade e outras deturpações condenadas por Deus em sua eterna Palavra. Da minha parte, me lembro que em meados de 1999 e pouco antes já estudávamos esse tema nas escolas e hoje em dia me caiu a ficha porque... O sistema de ensino sempre serviu de doutrinação para muitas ideologias e sempre foram eliminando matérias importantes e benéficas para ensinar porcarias. Mas foi nessas dias que nos doutrinaram sobre essas mudanças no mundo. Antes de trazer um pouco mais de informações sobre isso, me ajude a manter sempre nosso trabalho em alta nos resultados do Google interagindo com nossos anunciantes; comentando e compartilhando com outras pessoas nosso conteúdo. E recomendo que leia sempre mais artigos sobre o assunto. 


O globalismo seria bom ou ruim para todas as nações com suas culturas peculiares? Imagem: Carta Capital



Globalização e suas Origens

A rigor, as sociedades do mundo estão em processo de globalização desde o início da História, acelerado pela época dos Descobrimentos. Mas o processo histórico a que se denomina "globalização" é bem mais recente, datando (dependendo da conceituação e da interpretação) do colapso do bloco socialista e o consequente fim da Guerra Fria (entre 1989 e 1991), do refluxo capitalista com a estagnação econômica da União Soviética (a partir de 1975) ou ainda do próprio fim da Segunda Guerra Mundial. Vale ressaltar que este projeto não é uma criação exclusiva do estado norte-americano e que tampouco atende exclusivamente aos interesses deste, mas também é um projeto das empresas, em especial das grandes empresas transnacionais, e governos do mundo inteiro. Sendo assim, quero reforçar que não acredito em mãos poderosas que regem a história toda para um fim macabro senão as mãos de Deus que diretamente ou por permissão, rege as nações em seus caminhos. Mas não tem como negar a participação consciente de oportunistas com suas intenções e ideologias que se aproveitam de cada vantagem, brecha ou meio para difundir o mal e daí surge a NOM como a percebemos cada vez mais nitidamente com suas agendas controversas. 

A globalização é um dos processos de aprofundamento internacional da integração econômica, social, cultural e política, que teria sido impulsionado pela redução de custos dos meios de transporte e comunicação dos países no final do século XX e início do século XXI sendo considerada a maior mudança da história da economia nos últimos 40 anos. Embora vários estudiosos situem a origem da globalização em tempos modernos, outros traçam a sua história muito antes da era das descobertas e viagens ao Novo Mundo pelos europeus. Alguns até mesmo traçam as origens ao terceiro milênio a.C.  O termo "globalização" tem estado em uso crescente desde meados da década de 1980 e especialmente a partir de meados da década de 1990. Em 2000, o Fundo Monetário Internacional (FMI) identificou quatro aspectos básicos da globalização: comércio e transações financeiras, movimentos de capital e de investimento, migração e movimento de pessoas e a disseminação de conhecimento onde os países relevantes se integram para dar força ao capital transnacional. Além disso, os desafios ambientais, como a mudança climática, poluição do ar e excesso de pesca do oceano, estão ligados à globalização. Só esclarecendo que o termo "globalização" esta intimamente ligado a crença geral de que a terra seja um globo e por isso manterei o termo como esta. 

O movimento global de pessoas, bens e ideias expandiu significativamente nos séculos seguintes. No início do século XIX, o desenvolvimento de novas formas de transporte, como o navio a vapor e ferrovias, e as telecomunicações permitiram um intercâmbio global mais rápido. É tido, como início da globalização moderna, o fim da Segunda Guerra mundial, e a vontade de impedir que uma monstruosidade como ela ocorresse novamente no futuro, sendo que as nações vitoriosas da guerra e as devastadas potências do eixo chegaram a conclusão que era de suma importância, para o futuro da humanidade, a criação de mecanismos diplomáticos e comerciais para aproximar, cada vez mais, as nações uma das outras. É tido, como início da globalização moderna, o fim da Segunda Guerra mundial, e a vontade de impedir que uma monstruosidade como ela ocorresse novamente no futuro, sendo que as nações vitoriosas da guerra e as devastadas potências do eixo chegaram a conclusão que era de suma importância, para o futuro da humanidade, a criação de mecanismos diplomáticos e comerciais para aproximar, cada vez mais, as nações uma das outras. Deste consenso, nasceu as Nações Unidas, e começou a surgir o conceito de bloco econômico, pouco após isso, com a fundação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço - CECA.





 Atualmente, os grandes beneficiários da globalização são os grandes países emergentes, incluindo o BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), com grandes economias de exportação, grande mercado interno e cada vez maior presença mundial. Antes do BRICS, outros países fizeram uso da globalização e de economias voltadas à exportação para obter rápido crescimento e chegar ao primeiro mundo, como os tigres asiáticos na década de 1980 e o Japão na década de 1970. A globalização das comunicações tem sua face mais visível na internet, a rede mundial de computadores, possível graças a acordos e protocolos entre diferentes entidades privadas da área de telecomunicações e governos no mundo. Isto permitiu um grande fluxo de troca de ideias e informações sem paralelos na história da humanidade. Um exemplo da universalização do acesso à informação pode ser o próprio Brasil, hoje com 42 milhões de telefones instalados, e um aumento ainda maior de número de telefones celulares em relação à década de 1980, ultrapassando a barreira de 100 milhões de aparelhos em 2002. Isso também abriu brecha para a corrupção sem precedentes nas famílias conservadoras e tradicionais com pessoas tendo tudo que acessam contaminando suas mentes e corações pela influência que já falei sobre aqui.

No Irã, Arábia Saudita e outros países islâmicos com grande influência da religião nas esferas governamentais, a internet sofre uma enorme pressão do estado, que tenta implementar diversas vezes barreiras e dificuldades para o acesso a rede mundial, como bloqueio de sites de redes de relacionamentos sociais como Orkut e MySpace, bloqueio de sites de noticias como CNN e BBC. Acesso a conteúdo erótico também é proibido. Me lembro de quando nas igrejas se pregava contra programas de rádio e TV. Aquilo parecia sensato e uma medida de proteção já que era tudo novo e tinha aparência de mal em casos como das TVs. Hoje alguns veem esse capítulo na história das igrejas conservadoras como ridículo e de ignorância. Mas eu pergunto, os cristãos e a própria sociedade em si não sofreram mudanças comportamentais? Não se sujeitaram a influências e modismos? Não absorveram das essências do que viam e ouviam? Eu duvido que não. Essas influências foram notórias na sociedade em geral e mesmo hoje com o advento da internet ainda somos influenciados se darmos lugar. Essa é só uma das vertentes da globalização. O mundo em dois sentidos dentro dos lares de todos. Infelizmente, este mesmo livre fluxo de informações é tido como uma ameaça para determinados governos ou entidades religiosas com poderes na sociedade, que têm gasto enorme quantidade de recursos para limitar o tipo de informação a que seus cidadãos tem acesso como nos casos extremos de países como a China. 

A República Popular da China, onde a internet tem registrado um expressivo crescimento, já contando com 136 milhões de usuários graças à evolução, iniciada em 1978, de uma economia centralmente planejada para uma nova economia socialista de mercado, é outro exemplo de nação notória por tentar limitar a visualização de certos conteúdos considerados "sensíveis" pelo governo, como a do Protesto na Praça Tiananmem em 1989. Além disso, em torno de 923 sites de notícias ao redor do mundo estão bloqueados no país, incluindo os da CNN e BBC. Sites de governos como Taiwan e sites de defesa da independência do Tibete também são proibidos. O número de pessoas presas na China por "ação subversiva" por ter publicado conteúdos críticos ao governo é estimado em mais de 40 ao ano. A própria Wikipédia já sofreu diversos bloqueios por parte do governo chinês. Se por um lado temos as vias de corrupção do povo de bem; do outro temos os efeitos colaterais com pessoas sendo libertas de amarras políticas tiranas e pela pregação do evangelho pelos meios midiáticos "globais". É uma via de mão dupla na verdade e louvado seja Deus por isso! 





O acesso instantâneo de tecnologias, principalmente novos medicamentos, novos equipamentos cirúrgicos e técnicos, o aumento na produção de alimentos e o barateamento no custo têm causado, nas últimas décadas, um aumento generalizado da longevidade dos países emergentes e desenvolvidos. De 1981 a 2001, o número de pessoas vivendo com menos de um dólar estadunidense por dia caiu de 1,5 bilhão de pessoas para 1,1 bilhão, sendo a maior queda da pobreza registrada exatamente nos países mais liberais e abertos à globalização. E aqui temos uma das preocupações criminosas dos poderosos que tem trabalhado para tentar impedir de alguma forma esse crescimento populacional em consequência da própria globalização e suas facilidades benéficas. Já tratamos sobre isso aqui em artigos sobre a Redução Populacional. Embora alguns estudos sugiram que, atualmente, a distribuição de renda ou está estável ou está melhorando, sendo que as nações com maior melhora são as que possuem alta liberdade econômica pelo Índice de Liberdade Econômica, outros estudos mais recentes da Organização das Nações Unidas indicam que "a 'globalização' e 'liberalização', como motores do crescimento econômico e do desenvolvimento dos países, não reduziram as desigualdades e a pobreza nas últimas décadas". Nesse sentido, mesmo comunas navegaram nas ondas capitalistas para manterem seu legado e ao mesmo tempo temos aqui as preocupações quanto a desigualdade e pobreza por parte dos poderosos unidos. Sabemos bem o que eles querem a esse respeito... Palavras superficiais para intenções profundas. 

Para o ganhador do Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel Joseph Stiglitz, a globalização, que poderia ser uma força propulsora de desenvolvimento e da redução das desigualdades internacionais, está sendo corrompida por um comportamento hipócrita que não contribui para a construção de uma ordem econômica mais justa e para um mundo com menos conflitos. Esta é, em síntese, a tese defendida em seu livro A globalização e seus malefícios: A promessa não cumprida de benefícios globais. Eu vejo nações e pessoas ricas ainda mais ricas com a globalização. Vamos relembrar a grande fraude dos covardes e seus benefícios a nível mundial. Você se lembra quais nações mais enriqueceram? E quem mais lucrou sendo empresário nela? E quais empresas multiplicaram seus ganhos distribuindo recursos para o mundo? Alguém pode imaginar que isso seja normal no mundo dos negócios e eu concordo; mas quando isso enche os olhos e o coração de pessoas malignas ao ponto de mentirem e em conluio aterrorizarem por mentiras; oprimirem e tirarem as liberdades dos povos para empurrar suas mercadorias prejudiciais ou no mínimo experimentais não seria danoso? Isso ficou mais que evidenciado nos artigos sobre isso quando escrevi sobre os lucros na fraude dos covardes. Me lembrei também de um fato histórico que devo ter salvo em alguma pasta de favoritos sobre povos escondidos da civilização moderna que viviam em montanhas com longevidade incrível e alimentação saudável e advinha? Alguém os encontrou e enfiaram a "modernidade alimentícia" neles... Fim de mais uma civilização preservada até ali saudável... Malditos! 

Nicholas A. Ashford, acadêmico do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, conclui que a globalização aumenta o ritmo das mudanças disruptivas nos meios de produção, tendendo a um aumento de tecnologias limpas e sustentáveis, apesar que isto irá requerer uma mudança de atitude por parte dos governos se este quiser continuar relevante mundialmente, com aumento da qualidade da educação, agir como evangelista do uso de novas tecnologias e investir em pesquisa e desenvolvimento de ciências revolucionárias ou novas como nanotecnologia ou fusão nuclear. O acadêmico nota, porém, que a globalização, por si só, não traz estes benefícios sem um governo proativo nestas questões, exemplificando o cada vez mais globalizado mercado dos Estados Unidos, com aumento das disparidades de salários cada vez maior, e os Países Baixos, integrante da União Europeia, que se foca no comércio dentro da própria UE em vez de mundialmente, e que apresenta as disparidades em redução. Aqui percebemos o desequilíbrio a longo prazo entre países que estão muito desenvolvidos a ponto de tirar empregos das pessoas substituindo as mesmas por máquinas, robôs, computadores e carros autônomos e por outro lado, pessoas na velha forma de fazer comércio e trabalhar (que ainda aprecio e valoriza homens e mulheres como seres inteligentes e necessários). O mundo da tecnologia demasiada também é uma preocupação de muitas pessoas que não querem viver um apocalipse ao estilo Exterminador do Futuro com máquinas regendo a humanidade. 





Para o pensador italiano Negri, esta nova dominação (que ele batiza de "Império") é constituída por redes assimétricas, e as relações de poder se dão mais por via cultural e econômica do que pelo uso coercitivo de força. Negri entende que entidades organizadas como redes (tais como corporações, organizações não governamentais e até grupos terroristas) têm mais poder e mobilidade (portanto, mais chances de sobrevivência no novo ambiente) do que instituições paradigmáticas da modernidade (como o Estado, partidos políticos e empresas tradicionais). E aqui convém citar as intervenções em políticas internacionais e mesmo tentativa de regência da ONU, OMG e OTAN entre outras que cagam regras, sugerem métodos e criam narrativas como aconteceu também na fraude dos covardes nitidamente. E muitas nações se deixaram influenciar e guiar por quem estava no comando desses órgãos em muitas assuntos. Mesmo em nosso país sendo democrático e tendo um presidente que defende a soberania do Brasil, por meio de agentes curvados a NOM, percebemos os mesmos seguindo diretrizes e regras da OMS por exemplo. O que dizer dos problemas envolvendo a OTAN recentemente no que diz respeito a Rússia e a Ucrânia? Aos poucos eles vão "colocando ordem na casa" e nações coniventes vão se sujeitando a eles nessa união também perigosa. 

O economista português Mário Murteira, autor de uma das abordagens científicas mais antigas e consistentes sobre o fenômeno da Globalização, que, no século XXI, se verifica uma 'desocidentalização' da Globalização, visto que se constata que os países do Oriente, como a China, são os principais atores atuais do processo de Globalização e a hegemonia do Ocidente, no sistema econômico mundial, está a aproximar-se do seu ocaso, pelo que outras dinâmicas regionais, sobretudo na Ásia do Pacífico, ganharam mais força a nível global. Note mais uma vez como a China comunista esta encabeçando a Globalização com suas ideologias e planos de se tornar a primeira economia mundial. Suas ideologias nefastas e contrárias aos bons valores pautados nas Escrituras são uma ameaça a nossa cultura ocidental que sobrevive aos ataques constantes dos que nessa evolução buscam eliminá-los de vez. Isso é um fato e esta acontecendo em muitos lugares no mundo e até no Brasil por pessoas entregues a causa. Benjamim Barber acredita que a democracia, como regime de governo particular do modo de produção da sociedade industrial, não se aplica mais à realidade contemporânea. Nem se aplicará tampouco a quaisquer dos futuros econômicos pretendidos pelas duas tendências apontadas por Barber: ou o pré-industrialismo tribalista ou o pós-industrialismo globalizado. Os modos de produção de ambos exigem outros tipos de organização política cujas demandas o sistema democrático não é capaz de atender. Segundo ele, mais cedo ou mais tarde, a democracia não caberá mais entre as nações que seguem o globalismo, ficando cada vez mais isoladas. Será? 

Para Conversi, os acadêmicos ainda não chegaram a um acordo sobre o real significado do termo globalização, para o qual ainda não há uma definição coerente e universal: alguns autores se concentram nos aspectos econômicos, outros nos efeitos políticos e legislativos, e assim por diante. Para Conversi, a 'globalização cultural' é, possivelmente, sua forma mais visível e efetiva enquanto "ela caminha na sua trajetória letal de destruição global, removendo todas as seguranças e barreiras tradicionais em seu caminho." É também a forma de globalização que pode ser mais facilmente identificada com uma dominação pelos Estados Unidos. Não tem com tapar o sol com a peneira no que diz respeito à forte influência dos EUA no que diz respeito a relações internacionais se metendo em conflitos e guerras até mesmo por armas com soldados. Isso tem seu lado benéfico, mas também seus excessos e aí esta o problema... Mas focando no que Conversi pensa sobre tradições e seguranças; eu poderia falar sobre como nós brasileiros por exemplo somos um tanto "americanizados" em nossa cultura e poderia citar no quesito segurança, a denúncia de que os EUA estavam espionando nações por muito tempo como denunciou Edward Snowden; analista de sistemas, ex-administrador de sistemas da CIA e ex-contratado da NSA que tornou públicos detalhes de vários programas que constituem o sistema de vigilância global da NSA americana. 

Apesar das contradições, há um certo consenso a respeito das características da globalização que envolve o aumento dos riscos globais de transações financeiras, perda de parte da soberania dos Estados, com a ênfase das organizações supragovernamentais, aumento do volume e velocidade como os recursos vêm sendo transacionados pelo mundo, através do desenvolvimento tecnológico etc. Há, no entanto, aspectos tanto positivos quanto negativos na globalização. No que concerne aos aspectos negativos, há a referir a facilidade com que tudo circula, não havendo grande controle, como se pode facilmente depreender pelos atentados de 11 de Setembro nos Estados Unidos. Outro dos aspectos negativos é a grande instabilidade econômica que se cria no mundo, pois qualquer fenômeno que acontece num determinado país atinge rapidamente outros países, criando-se contágios que, tal como as epidemias, se alastram a todos os pontos do globo como se de um único ponto se tratasse. E por que não pensar em como fica muito mais fácil difundir uma mentira "global" generalizada como aconteceu nessa fraude dos covardes levando muitas pessoas a histeria? Os países, cada vez, estão mais dependentes uns dos outros e já não há possibilidade de se isolarem no seu ninho, pois ninguém é imune a estes contágios positivos ou negativos sejam eles reais ou planejados... 





Considerações e Conclusão

"As nações se embraveceram; os reinos se moveram; ele levantou a sua voz e a terra se derreteu.
O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. (Selá)" Salmos 46:6,7

Esta "globalização" serve para os mais fracos se equipararem aos mais fortes, pois tudo se consegue adquirir através desta grande autoestrada informacional do mundo que é a Internet. Aqui me delicio na resposta a todos os pobres críticos que tentando se colocar como superiores citam suas formações e conhecimentos adquiridos no sistema de ensino tradicional se esquecendo que qualquer reles mortal que tenha despertamento para aprender, pode ter acesso gratuito a todas quantas informações necessitar. Bolhas midiáticas corruptas e vendidas tentam a todo custo sufocar as informações reais que levamos às pessoas, mas graças a Deus pelo lado bom de acessarmos informações alternativas por outras fontes externas como sites americanos e outras de outros países também denunciando eventos e suas verdades. Eu mesmo me utilizei de muitos artigos estrangeiros traduzidos para pesquisa e base de informações sobre a fraude dos covardes. É assim que as coisas funcionam debaixo do domínio de um Deus justo e poderoso. E no ditado mais simples que citamos por aqui: "Pau que dá em Chico, também pega em Francisco.". Usamos sempre das armas do mal para combater o mal! E as ferramentas de desinformação para denunciar a contradição! Não importa quem nesse sistema "global" maligno esteja no comando do que, como no caso das plataformas vermelhas vendidas; mídias mentirosas e poderosos corruptos; nós continuaremos a denunciar e mostrar a verdade custe o que custar! Tem muito mais para se mostrar dentro do tema NOM e "Globalização" e com paciência pretendo trazer muito mais para você. Você vê a "globalização" como benéfica ou maléfica? Gostaria de saber sua opinião. 

Fontes:


Deixe sua opinião que é muito importante para mim; compartilhe este artigo para mais pessoas aprenderem e despertarem e obrigado por acompanhar este humilde trabalho e se esta chegando agora, se inscreva com seu email abaixo para receber artigos novos sempre:
 

Digite seu Email:

Verdade Urgente no YouTube



Deus abençoe muito sua vida e espero ter contribuído de alguma forma para seu crescimento em busca de verdades. Abraço! 😉

Respondeu Jesus: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim." João 14:6




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Claudio Ptolomeu - Geocentrismo Astrológico

Hicetas - Rotação ou Translação da Terra?

Ecfanto "Inexistus" - Movimento Leste a Oeste da Terra