A Bíblia e as Bebidas Alcoólicas

O cristão pode beber vinho? Os crentes podem tomar cerveja sem álcool? A Bíblia tem versículos que aprovam bebermos bebidas como o vinho e outras? Ou existem ensinos contra o vício nas bebidas? Paulo recomendou que Timóteo bebesse vinho? O povo de Israel não bebia em suas festas e ocasiões familiares? É pecado beber um pouquinho? Onde está escrito que o cristão não pode beber? Conheço cristãos e igrejas que incentivam e liberam os cristãos a beberem. Por que na minha igreja é proibido? Estas e outras perguntas e argumentações, esse assunto tem inundado a internet e partem desde rodas antigas de discussões até nossos dias, levantando debates e controvérsias mediante textos usados por alguns movimentos e cristãos aleatórios ou de alguma comunidade cristã, que ainda ensine contra esse ato. Vou tentar explorar ao máximo este assunto e teológica e racionalmente responder às dúvidas mais frequentes de todos, desde as mais sem sentido e sem base até as mais controversas com textos bíblicos usados pelos cristãos. Vou tentar ser respeitoso quanto às pessoas, mas nunca quanto a heresias se esse for o caso. E, dentro do possível, vou manter este artigo sempre atualizado com novas revelações, textos e informações complementares que surjam com o tempo. Vamos nessa? Já se inscreva para receber novos artigos quando eu escrever e vamos ao assunto polêmico! Se segura que a leitura pode ser longa e profunda! 

Produção de Vinho na Cultura Oriental

O vinho é uma bebida que tem sido apreciada por muitas culturas ao longo da história. Na antiguidade, os romanos eram conhecidos por sua produção de vinho e por sua apreciação pela bebida. Os gregos e os etruscos também eram grandes consumidores de vinho na Itália antes da ascensão de Roma. Na China, a produção de vinho remonta há cerca de 2.000 a.C. Na época, muitas variedades de vinho eram produzidas na bacia do Mediterrâneo, incluindo branco, tinto, seco, doce, baixo e alto teor de álcool. As uvas eram colhidas e colocadas em um tanque, uma vez que o tanque estivesse cheio, procedia-se à “piggiatura”, ato de pisar as uvas. Embora o vinho fosse uma parte importante da dieta romana, não se tornou o ícone cultural de sua sociedade desde o início. O vinho nem sempre foi tão popular entre os romanos. Os cartagineses que dominaram o comércio do Mediterrâneo antes dos romanos eram os conhecedores do vinho da época, e as primeiras referências antigas anteriores ao latim foram fornecidas na língua púnica. 

O cultivo de uvas e produção de vinho remonta ao princípio da humanidade.
Imagem: Yandex



Antes de mais nada, quero enfatizar que sim, havia o costume dos povos de beber o vinho em suas festas e eventos familiares, dos mais simples até nas refeições, e eu não seria maluco de negar essa verdade histórica nos textos bíblicos. O mesmo costume era cultural em Israel e traz muitos simbolismos e foi o próprio Deus quem criou as vinhas e deu aos homens, agora, o talento para extrair de seus frutos o suco e fazer dele o vinho fermentado; mas ao longo deste artigo, você perceberá que há mais advertências quanto ao embriagar-se do que motivação para beber. Só quem ler as Escrituras por completo notará que a intenção final é ficar longe das bebidas que podem nos fazer perder a noção, a espiritualidade e cair em contradições e vícios ainda mais prejudiciais, como ainda acontece em nossos dias, até em nossos dias presenciamos. Dito isto, sigamos em frente ao que a Bíblia diz sobre bebidas fermentadas ou não fermentadas:
Gênesis

Deus, Criador das Videiras

Inegavelmente, Deus criou todas as árvores frutíferas que existem sobre a face da terra e perduraram depois do dilúvio até nossos dias (exceto enxertos e espécies transformadas pelos homens). Embora não estejam especificamente citadas as videiras, elas foram criadas por Deus no relato de Gênesis e receberam o selo de aprovação do Criador, perfeito em tudo que faz. Sendo assim, demonizar as videiras não é muito inteligente e sábio, mas podemos avaliar as consequências do que os homens fazem com o que Deus deixou para eles. 

"E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nela sobre a terra. E assim foi. E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie e árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie. E viu Deus que era bom."  Gênesis 1.11-12 

 

Não posso deixar de comentar que, embora Deus tenha criado as videiras, não encontramos uma motivação ou ordem expressa de Deus para que o homem criasse uma bebida alcoólica a partir do fruto delas, se embriagasse e causasse problemas, como acontece ainda em nossos dias. É o mesmo dilema da canábis e seus derivados, mas falaremos disso em outro artigo se Deus permitir. 





Primeira Videira de Noé

Temos um texto bem conhecido em Gênesis que trata de Noé e sua vinha após o dilúvio e de como ele causou problemas se embriagando. Note que se fala de um vinho feito a partir de uvas que Noé produziu desde a plantação até a produção da bebida; e ele bebeu exageradamente a ponto de que sem noção se despir, de forma que depois acordou de ressaca e soube que Cão, seu filho mais novo, viu tudo isso e espalhou para seus irmãos e acabou sendo amaldiçoado por ele! Em resumo, Noé não conseguiu beber só um pouquinho, fez merda e o filho mais novo acabou pagando por isso. Confusão na família por imprudência de Noé. O vinho causou graves problemas familiares!

"E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha. E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora. Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai. E despertou Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera. E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos." Gênesis 9:20-25

 

 Hoje existem inúmeros casos piores de pais embriagados e violentos que, perdendo o controle, matam os próprios filhos por coisas banais! Confira várias notícias sobre.

Após o dilúvio, Noé foi o primeiro exemplo na Bíblia de confusão por embriaguez.
Imagem: Yandex


Vinho e Pão como Cortesia

Outro texto que indica claramente que era um costume muito antigo o vinho em qualquer refeição é que Melquisedeque se encontrou com Abraão, que vinha de uma batalha incrível na qual Deus lhe concedeu vitória e lhe deu pão e vinho, sem mais detalhes cabulosos sobre isso. Alguns consideram uma simples refeição para repor as energias e nada mais. Se há alguma simbologia por trás do ato por ser antítipo de Cristo e sacerdote do altíssimo, eu sinceramente desconheço no meio teológico. Apenas entendemos as simbologias ligadas ao pão vinho com mais clareza nos textos seguintes nas Escrituras. Mas aqui, realmente, o intuito era apenas alimentar Abraão e lhe trazer alento e alegria após a grande vitória que Deus havia lhe dado. Observe também que não há relato de embriaguez por parte do nosso pai na fé. 

"E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo. E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo."  Gênesis 14:18-20

Embriagues e Incesto

Temos outro caso envolvendo vinho ainda no Antigo Testamento, onde depois da destruição de Sodoma e Gomorra, Ló escapou com suas duas filhas e sua esposa se tornou estátua de sal após desobedecer à ordem expressa de Deus. Suas filhas, de mentes limitadas, pensavam serem os únicos no mundo de então e tiveram a "brilhante" ideia de usar o vinho para embriagar seu pai a ponto de perder a noção e sensibilidade para terem relações incestais com ele, visando dar continuidade à linhagem do pai. Péssima ideia... Cometeram um pecado, visto não haver de Deus aprovação para esse tipo de relação entre membros da família de mesmo sangue e ainda geraram uma prole que trouxe problemas para Israel a ponto de Deus ter que destruir por seus pecados terríveis. Os Moabitas e Amonitas foram extintos da face da terra! Eis um caso onde as filhas de Ló usaram o vinho para um fim nada exemplar e de crescimento espiritual; mas sim precipitado, errado e infrutífero. 
 
"E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina, lembrou-se Deus de Abraão, e tirou a Ló do meio da destruição, derrubando aquelas cidades em que Ló habitara. E subiu Ló de Zoar, e habitou no monte, e as suas duas filhas com ele; porque temia habitar em Zoar; e habitou numa caverna, ele e as suas duas filhas. Então a primogênita disse à menor: Nosso pai já é velho, e não há homem na terra que entre a nós, segundo o costume de toda a terra; vem, demos de beber vinho a nosso pai, e deitemo-nos com ele, para que em vida conservemos a descendência de nosso pai. E deram de beber vinho a seu pai naquela noite; e veio a primogênita e deitou-se com seu pai, e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou. E sucedeu, no outro dia, que a primogênita disse à menor: Vês aqui, eu já ontem à noite me deitei com meu pai; demos-lhe de beber vinho também esta noite, e então entra tu, deita-te com ele, para que em vida conservemos a descendência de nosso pai. E deram de beber vinho a seu pai também naquela noite; e levantou-se a menor, e deitou-se com ele; e não sentiu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou. E conceberam as duas filhas de Ló de seu pai." Gênesis 19:29-36

 

Embora casos específicos como este nessa ordem sejam mais raros hoje em dia, temos notícias das mais grotescas ainda envolvendo embriaguez; como um pai que, em troca de bebidas, chegou a oferecer sua filha para ter relações sexuais com seu vizinho! Veja matéria sobre isso no G1

Após o livramento da destruição em Sodoma e Gomorra, as filhas de Ló cometeram incesto com ele.
Fonte: Yandex



Costume do Vinho nas Refeições

Já velho e sem visão, Isaque foi enganado por Jacó, seu filho, que recebeu a benção no lugar de seu irmão Esaú e nessa ocasião, ele preparou um prato semelhante ao que seu irmão preparava com ajuda de sua mãe e o serviu com vinho e seu papai tanto comeu, quanto bebeu; mas sem evidência de embriaguez como em outro caso ocorrido com Noé. Mas, por este e outros textos, percebemos que era costume dos filhos de Abraão beber vinho. 

"Então se chegou Jacó a Isaque seu pai, que o apalpou, e disse: A voz é a voz de Jacó, porém as mãos são as mãos de Esaú. E não o conheceu, porquanto as suas mãos estavam cabeludas, como as mãos de Esaú seu irmão; e abençoou-o. E disse: És tu meu filho Esaú mesmo? E ele disse: Eu sou. Então disse: Faze chegar isso perto de mim, para que coma da caça de meu filho; para que a minha alma te abençoe. E chegou-lhe, e comeu; trouxe-lhe também vinho, e bebeu." Gênesis 27:22-25 
 

Êxodo e Levítico

O Vinhos nas Ofertas de Sacrifício

O vinho mais tarde foi inserido também nos rituais de adoração e sacrifícios pelos pecados do povo, quando Deus ordenou toda a organização do sistema de ofertas pelos sacerdotes e sumo sacerdotes que ofereciam tudo que o povo levava conforme cada caso mediante os mandamentos do Senhor. Em uma dessas ofertas, dois cordeiros eram temperados com flor de farinha, azeite batido e vinho e depois queimados como cheiro suave perante o Senhor. Usava-se o equivalente a um litro e meio de seis litros e dois decilitros de vinho. Aproximadamente isso. Mas o vinho já fazia parte dos rituais e sacrifícios também. E nada de embriaguez aqui também. 
 

"Isto, pois, é o que oferecereis sobre o altar: dois cordeiros de um ano, cada dia, continuamente. Um cordeiro oferecerás pela manhã, e o outro cordeiro oferecerás à tarde. Com um cordeiro a décima parte de flor de farinha, misturada com a quarta parte de um him de azeite batido, e para libação a quarta parte de um him de vinho, e o outro cordeiro oferecerás à tarde, e com ele farás como com a oferta da manhã, e conforme à sua libação, por cheiro suave; oferta queimada é ao Senhor. Este será o holocausto contínuo por vossas gerações, à porta da tenda da congregação, perante o Senhor, onde vos encontrarei, para falar contigo ali. E ali virei aos filhos de Israel, para que por minha glória sejam santificados." 
Êxodo 29:38-43
"E no dia em que moverdes o molho, preparareis um cordeiro sem defeito, de um ano, em holocausto ao Senhor, e a sua oferta de alimentos, será de duas dízimas de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta queimada em cheiro suave ao Senhor, e a sua libação será de vinho, um quarto de him.Levítico 23:12,13

 

Havia também uma oferta de aspersão usando a mesma medida de vinho citada nesse texto em Levítico. Existem ainda outros textos que repetem a mesma ordenança e forma de oferta, como no livro de Números, mas vou evitar usar repetições para economizar linhas e não cansar o leitor, pois são as mesmas informações. Mas um dos textos que mais me chamam a atenção no Antigo Testamento está no chamado de Arão e seus filhos depois dele, e quanto à advertência que Deus faz a eles: 


"Falou também o SENHOR a Arão, dizendo: Vinho ou bebida forte tu e teus filhos não bebereis quando entrardes na tenda da congregação, para que não morrais; estatuto perpétuo será isso entre as vossas gerações, para fazerdes diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo e para ensinardes aos filhos de Israel todos os estatutos que o SENHOR lhes tem falado por intermédio de Moisés." Lv 10.8–11. 

Novamente, se trata de uma ordem expressa de Deus contra o consumo de quaisquer bebidas fermentadas ou misturadas que embriagasse. Eles não deveriam em hipótese alguma entrar no santuário de qualquer forma ou seriam mortos! E destaque para que isso deveria ser estatuto perpétuo no meio deles, mas veremos que eles não serviram ao Senhor como convinha com o passar dos anos e relaxaram de perder o controle se embebedando. As coisas santas não devem ser levadas de qualquer forma e vale a intenção do nosso Deus que nos cobra santidade: "para fazerdes diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo". Temos que fazer a diferença e demonstrar pelo exemplo que somos diferentes e reverenciamos nosso Deus Santo. Não como alguns que ministram e dizem servir ao Senhor, até mesmo se embebedando antes dos cultos. 





Números

Proibição na Lei do Nazireado

Em Número temos a primeira proibição expressa de Deus para que nem se bebesse ou mesmo comesse qualquer essência da casca aos caroços das uvas! Eram mandamentos específicos para os nazireus, que eram homens que fossem separados para Deus ou que em atitude pessoal se separassem por algum tempo para santificação. Sansão se enquadra nessa lei específica e logo falarei dele e seu envolvimento com a bebida. Note que em alguns casos era por um determinado tempo, podendo durar uma vida inteira conforme cada caso. Mas notemos que Deus estabeleceu essas leis visando proibir qualquer contato com a essência do fruto da videira. 

"Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando um homem ou mulher se tiver separado, fazendo voto de nazireu, para se separar ao Senhor, de vinho e de bebida forte se apartará; vinagre de vinho, nem vinagre de bebida forte não beberá; nem beberá alguma beberagem de uvas; nem uvas frescas nem secas comerá. Todos os dias do seu nazireado não comerá de coisa alguma, que se faz da vinha, desde os caroços até às cascas." Números 6:2-4

Vale ressaltar que embora alguns defendam que não havia diferenças entre vinhos e vinhos nos originais; perceba que mesmo em nosso português, ficou claro que existiam desde essa época "vinho", "bebida forte", "vinagre de vinho", "vinagre de bebida forte" e "beberagem de uvas". Advertindo contra quaisquer bebidas extraídas das uvas, até mesmo o simples suco! Nesse ato de oferta pessoal e santificação, a pessoa teria que evitar consumir tais derivados da uva.

Deuteronômio

A Benção de Deus sobre as Videiras

Deus, na ocasião da citação das bençãos e maldições nos montes Ebal e Gerizim perante o povo de Israel, deixou claro que se obedecessem seriam muito abençoados e se desobedecessem, seriam ainda mais amaldiçoados. E dentre as bençãos citadas, Ele promete abençoar toda produção das vides de seu povo. No original hebraico tiyrowsh, traz o sentido de vinho, vinho fresco ou novo, mosto, vinho recém-espremido. Deixando claro que essa benção especificamente recaía sobre o suco fresco das uvas recém-extraídas e não sobre o suco fermentado ou alcoolizado como vinho. Perceba que a benção de Deus é sobre a abundância do que as vides produziriam e não sobre qualquer bebida forte onde os homens poderiam se perder, como já havia acontecido e aconteceria mais adiante. Deus é sábio demais…  

"Guarda, pois, os mandamentos e os estatutos e os juízos que hoje te mando cumprir. Será, pois, que, se ouvindo estes juízos, os guardardes e cumprirdes, o Senhor teu Deus te guardará a aliança e a misericórdia que jurou a teus pais; e amar-te-á, e abençoar-te-á, e te fará multiplicar; abençoará o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, o teu grão, e o teu mosto, e o teu azeite, e a criação das tuas vacas, e o rebanho do teu gado miúdo, na terra que jurou a teus pais dar-te." Deuteronômio 7:11-13

"E será que, se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos que hoje vos ordeno, de amar ao Senhor vosso Deus, e de o servir de todo o vosso coração e de toda a vossa alma, então darei a chuva da vossa terra a seu tempo, a temporã e a serôdia, para que recolhais o vosso grão, e o vosso mosto e o vosso azeite." Deuteronômio 11:14

Dízimo do Vinho perante o Senhor

Dentre os dízimos organizados e exigidos por Deus na adoração, sustento dos ministros do santuário, solicitou também que dos dízimos, votos, ofertas voluntárias e alçadas relacionadas a grãos, suco de uva, azeite, bezerros e cordeiros fossem consumidos perante Ele no lugar onde Ele escolhesse para isso. Novamente a raiz da palavra nos leva também ao suco fresco extraído das uvas e não ao fermentado. Tudo isso era tão somente para que o povo se reunisse com alegria em adoração ao Senhor e os levitas não ficassem desamparados sem sustento; já que dependiam completamente dessas contribuições do povo, por trabalharem incansavelmente desde o santuário até o templo do Senhor mais tarde. Mas reforço que Deus é a fonte de toda sabedoria e por isso mesmo não pediu para trazerem vinho fermentado…   

"Dentro das tuas portas não poderás comer o dízimo do teu grão, nem do teu mosto, nem do teu azeite, nem os primogênitos das tuas vacas, nem das tuas ovelhas; nem nenhum dos teus votos, que houveres prometido, nem as tuas ofertas voluntárias, nem a oferta alçada da tua mão. Mas os comerás perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher o Senhor teu Deus, tu, e teu filho, e a tua filha, e o teu servo, e a tua serva, e o levita que está dentro das tuas portas; e perante o Senhor teu Deus te alegrarás em tudo em que puseres a tua mão. Guarda-te, que não desampares ao levita todos os teus dias na terra." Deuteronômio 12:17

"Certamente darás os dízimos de todo o fruto da tua semente, que cada ano se recolher do campo. E, perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao Senhor teu Deus todos os dias." Deuteronômio 14:22,23

 

Em outras passagens, Deus fala sobre o mesmo assunto e ainda sobre as bençãos e pragas no tocante às vides e à produção do povo nesse sentido, mas não citarei as mesmas por se tratar das mesmas verdades repetidas. O Senhor também recomendou que, se alguém morasse muito distante, que vendesse tudo e levasse em dinheiro e, chegando ao lugar de adoração, poderia comprar os itens novamente e comer perante o Senhor. Em Juízes, vemos um cidadão viajando para a Casa do Senhor levando tudo que precisava para si, sua esposa e seus servos. 

"Levantando ele, pois, os olhos, viu a este viajante na praça da cidade, e disse o ancião: Para onde vais, e donde vens? E ele lhe disse: Viajamos de Belém de Judá até aos lados da montanha de Efraim, de onde sou; porquanto fui a Belém de Judá, porém agora vou à casa do Senhor; e ninguém há que me recolha em casa, todavia temos palha e pasto para os nossos jumentos, e também pão e vinho há para mim, e para a tua serva, e para o moço que vem com os teus servos; de coisa nenhuma há falta." Josué 19:17-19

Vinhas Amaldiçoadas pela Idolatria

Deus faz questão de citar como eram amaldiçoadas as vinhas e o vinho dos que usavam o fruto da videira para fazer sacrifícios e ofertas a outros deuses. Faz menção à Sodoma e Gomorra e como suas uvas eram venenosas e amargas, produzindo consequentemente um vinho de péssima qualidade. Vemos o mau uso da bebida que eles produziam para fins idolátricos, distorcendo completamente aquilo que Deus criou para eles; não o reconhecendo como Deus e muito menos oferecendo em gratidão a quem realmente merecia sua adoração! Nos serve de exemplo o uso das bençãos de Deus para fins corrompidos e o fazer das bençãos, maldições. Mas quem obedece a Deus e lhe oferta tudo com temor, reverência, gratidão e obediência sempre será abençoado! 

"Porque a sua vinha é a vinha de Sodoma e dos campos de Gomorra; as suas uvas são uvas venenosas, cachos amargos têm. O seu vinho é ardente veneno de serpentes, e peçonha cruel de víboras.  Então dirá: Onde estão os seus deuses? A rocha em quem confiavam, de cujos sacrifícios comiam a gordura, e de cujas libações bebiam o vinho? Levantem-se, e vos ajudem, para que haja para vós esconderijo." Deuteronômio 32:32,33,37,38


"Israel, pois, habitará só, seguro, na terra da fonte de Jacó, na terra de grão e de mosto; e os seus céus gotejarão orvalho. Bem-aventurado tu, ó Israel! Quem é como tu? Um povo salvo pelo Senhor, o escudo do teu socorro, e a espada da tua majestade; por isso os teus inimigos te serão sujeitos, e tu pisarás sobre as suas alturas." Deuteronômio 33:28,29

Ressaltando mais uma vez que o termo no original remete ao suco fresco extraído das uvas nesse texto das bençãos sobre Israel da parte de Deus. 

Josué





Estratégia dos Gibeonitas Levando Vinho

Numa experiência embaraçosa, o povo de Israel, sem consultar ao Senhor, recebeu de braços abertos inimigos que deveriam julgar e até expulsar de suas terras, segundo o mandamento do dono das mesmas. Acontece que, seguindo costumes da época, levaram supostas provisões para eles que "envelheceram" no caminho, incluindo o odre de vinho de tanto que durou a viagem e o povo caiu nessa cortesia e recepção calorosa deles. Resultado: Entraram em um acordo com juramento que tiveram que cumprir, mantendo apenas como servos aquele povo gibeonita. Embora pareça não ter alguma conexão com ensinos relacionados com o vinho em si; essa "camaradagem" e falar uma mentira, levou o povo de Israel a se embaraçar nisso. Está aqui quem confiou num antigo amigo de baladas que sabia que eu era um novo homem; bebeu Coca-Cola misturada com conhaque sem saber! O mesmo que ofereceu durante o dia num gesto de amizade num calor terrível e sendo aproximadamente duas horas da tarde, não poderia imaginar que fosse aquela mistura! Fingi demência e segui meu caminho sem dar moral ou demonstrar que fui ludibriado. Foi o jeito... Cuidado com as cortesias envolvendo bebidas! 

"E os moradores de Gibeom, ouvindo o que Josué fizera com Jericó e com Ai, usaram de astúcia, e foram e se fingiram embaixadores, e levando sacos velhos sobre os seus jumentos, e odres de vinho, velhos, e rotos, e remendados; e nos seus pés sapatos velhos e remendados, e roupas velhas sobre si; e todo o pão que traziam para o caminho era seco e bolorento. E vieram a Josué, ao arraial, a Gilgal, e disseram a ele e aos homens de Israel: Viemos de uma terra distante; fazei, pois, agora, acordo conosco. Então os homens de Israel tomaram da provisão deles e não pediram conselho ao Senhor. E Josué fez paz com eles, e fez um acordo com eles, que lhes daria a vida; e os príncipes da congregação lhes prestaram juramento." Josué 9:3-6,14,15

Juízes

O Vinho Alegra a Deus e os Homens

Infelizmente, nas nossas traduções, tudo quanto é bebida extraída das uvas é "vinho" e não é bem assim nos originais, como nesse caso da parábola de Jotão em advertência contra o povo que escolheu para si um rei mau. Ele cita, dentre os candidatos para reinar sobre as árvores na parábola, a videira, que também rejeitou e disse não deixar de alegrar a Deus e os homens com seu vinho, que remete ao suco fresco da uva recém-extraída (tirosh). Mas notamos que era essa a cultura de então, nos dias dos juízes. O povo tinha, sim, o costume de beber o suco fresco das uvas e, quanto a Deus, me faz lembrar do que Ele mesmo disse quanto criou todas as árvores frutíferas com perfeição: "E viu que era bom". 

"Então disseram as árvores à videira: Vem tu, e reina sobre nós. Porém a videira lhes disse: Deixaria eu o meu mosto, que alegra a Deus e aos homens, e iria pairar sobre as árvores?" Juízes 9:12,13

Convém reforçar que demonizar tudo que provém da videira e é benéfico ou nos fornece vantagens não é minha intenção. Apenas demonstrar a verdade essencial no que se refere aos servos de Deus e às bebidas de qualquer natureza que embriaguem. 

A Mãe de Sansão proibida de beber

Já chegando na incrível e triste história de Sansão, Deus aparece para sua mãe e lhe dá uma notícia maravilhosa do fim de sua esterilidade e, ao mesmo tempo, mandamentos para uma gravidez saudável e sem problemas, evitando beber qualquer tipo de bebida e comer coisas imundas. Note como Deus é zeloso e cuidadoso nos mínimos detalhes com seu povo! Tirou-a daquela triste condição de estéril para ser mãe de um dos grandes e poderosos juízes que traria liberdade a Israel! Louvado seja Deus! Em meio a essa incrível notícia, ele deixa claro que esse menino seria separado para Ele desde o ventre conforme as leis do nazireado, conforme leu aqui já anteriormente, e seguiria, portanto, sem consumir bebidas conforme manda o Senhor nessa lei. Outro exemplo a ser seguido por aqueles que querem ser do Senhor e servir de uma forma mais profunda em santificação: se manter puro e consciente. 

A exemplo de Sansão, no tocante à santificação ordenada pelo Senhor, deveríamos ser santos e separados para honrar e glorificar ao Senhor em nossa missão até a morte. Infelizmente, ele vacilou e se entregou justamente aos seus desejos e, dando mole para uma prostituta pela qual se apaixonou, ficou vulnerável e exposto, foi dominado, subjugado e sem forças, acorrentado; servindo de diversão e troféu para os filisteus. Pobre homem... Nos deixou a importante lição de obedecer ao Senhor nos mínimos detalhes de Sua vontade.

"E o anjo do Senhor apareceu a esta mulher, e disse-lhe: Eis que agora és estéril, e nunca tens concebido; porém conceberás, e terás um filho. Agora, pois, guarda-te de beber vinho, ou bebida forte, ou comer coisa imunda. Porque eis que tu conceberás e terás um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu de Deus desde o ventre; e ele começará a livrar a Israel da mão dos filisteus." Juízes 13:3-5

"Porém disse-me: Eis que tu conceberás e terás um filho; agora pois, não bebas vinho, nem bebida forte, e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre até ao dia da sua morte." Juízes 13:7  


Infelizmente, não são poucas as mães que, além de se embriagar enquanto grávidas, se drogam, prejudicando sua própria saúde e também de seu filho no ventre. Sem contar as mães que dão bebidas alcoólicas para seus filhos em desenvolvimento! A lei determina que é crime "vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica". Mas existem notícias aos montes de mães entorpecidas no alcoolismo cometendo tal crime contra Deus e contra seus filhos. Confira várias matérias sobre isso

Rute

O pão molhado no vinho

Outro costume notório, tanto no Antigo Testamento quanto no Novo Testamento, é o de molhar o pão no vinho antes de comer. Tanto Boaz, acolhendo Rute, recomendou a ela que fizesse isso, como também na ocasião da ceia, o Senhor Jesus ofereceu o bocado molhado para Judas, o traidor. Neste texto de Rute em apreço, o original nos remete ao vinagre apenas. Já na ocasião da ceia, não há citação específica que possamos consultar o original grego. Mas Paulo nos dá uma luz sobre isso em Coríntios: "Quando, pois, vos reunis no mesmo lugar, não é a ceia do Senhor que comeis. Porque, ao comerdes, cada um toma, antecipadamente, a sua própria ceia; e há quem tenha fome, ao passo que há também quem se embriague. Não tendes, porventura, casas onde comer e beber? Ou menosprezais a igreja de Deus e envergonhais os que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto, certamente, não vos louvo." 1 Coríntios 11:20-22 

"E, sendo já hora de comer, disse-lhe Boaz: Achega-te aqui, e come do pão, e molha o teu bocado no vinagre. E ela se assentou ao lado dos segadores, e ele lhe deu do trigo tostado, e comeu, e se fartou, e ainda lhe sobejou." Rute 2.14
"Jesus respondeu: É aquele a quem eu der o bocado molhado. E, molhando o bocado, o deu a Judas Iscariotes, filho de Simão." João 13:26

 

Interessante como em um evento é usado o "vinho" como forma de cuidado e amparo e em outro para indicar quem seria o traidor assentado junto à mesa. A lição que podemos extrair é que num mesmo elemento podemos fazer o bem e descobrir o mal. Podemos abençoar e ser amaldiçoados! Podemos acolher e fazer o bem, ou sermos hipócritas e farsantes em nome de Cristo! Assim era Judas no meio do ajuntamento em uma das maiores confraternizações dos cristãos; um traidor hipócrita e farsante que só foi exposto por meio de um "bocado molhado" pelo Senhor. Paulo mais tarde nos dá a entender que nas festas dos cristãos e na ceia do Senhor, irmãos acabavam se embriagando por sua avidez na solenidade. O exagero é evidente e o descontrole também por parte desses irmãos.

Jesus ceou com seus discípulos usando vinho e pão para representar seu corpo e sangue.
Imagem: Yandex



1 e 2 Samuel

Ana e os Filhos de Belial

Chegamos aos dias de Samuel e temos um momento antes de seu nascimento muito interessante e cheio de lições sobre muitas coisas. Sua mãe se encontrava no templo em um dos horários para orar, como era de costume, e apenas mexia seus lábios, expressando a dor que a consumia de querer ter um filho e não poder por ser estéril. Eli, de modo precipitado, julgou que ela estaria embriagada e pediu que afastasse de si o vinho. Lembrando que era mandamento do Senhor que eles levassem também vinho para o templo e bebessem perante o Senhor para se alegrarem, e por isso ela tinha esse vinho com ela quando Eli disse isso. Note que, pelas palavras de Eli, havia níveis de consumo onde as pessoas poderiam ou não ficarem embriagadas e Ana não havia bebido o suficiente para estar falando como ébrios. 

Talvez isso cause excitação naqueles que amam o pretexto de "beber moderadamente" um vinho, mas segura a empolgação, pois as palavras de Ana são reveladoras de uma forma pesada e que divide as águas nesse assunto. Ela esclarece que não está embriagada e que Eli a não tivesse como uma "filha de Belial". Quem era Belial, você sabe? Belial é um demônio presente na mitologia de Canaã, que o determinava como o adversário do povo escolhido. É o 68º espírito listado na Goetia. No Cristianismo, Belial é mencionado também no Novo Testamento como o oposto da luz, do bem e de Jesus Cristo. Ignorando as aplicações mais modernas, se agarre ao fato de ele ser um demônio e leia novamente as palavras de Ana abaixo: 

"E sucedeu que, perseverando ela em orar perante o Senhor, Eli observou a sua boca. Porquanto Ana no seu coração falava; só se moviam os seus lábios, porém não se ouvia a sua voz; pelo que Eli a teve por embriagada. E disse-lhe Eli: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de ti o teu vinho. Porém Ana respondeu: Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito; nem vinho nem bebida forte tenho bebido; porém tenho derramado a minha alma perante o SENHOR. Não tenhas, pois, a tua serva por filha de Belial; porque da multidão dos meus cuidados e do meu desgosto tenho falado até agora. Então respondeu Eli: Vai em paz; e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste." 1 Samuel 1:12-17

Eu concluo com o texto me dá espaço que o beber até se embriagar era reprovável mesmo pelo sacerdote; que Ana sabia que todo aquele que se embriagava era tido por filho de Belial e, portanto, temos um vislumbre de que, realmente, era cultura do povo se alegrar perante o Senhor com o extrato da uva não fermentado e que deviam evitar se embriagar demais com doses exageradas que os levassem a fazer atos perversos ou precipitados como aconteceu com Noé, ou as filhas de Ló que o embriagaram para cometer um incesto com o próprio pai. Mesmo em nossos dias, temos que pessoas que bebem demais costumam dar trabalho e cometer coisas das mais engraçadas e humilhantes, até as mais terríveis e imorais. Sendo assim, temos dois extremos revelados aqui. Ana bebia, mas não era bebida forte que a embriagasse e identificasse com os tais filhos de Belial, ou do demônio. 

Nabal Bêbado e Egoísta

Nabal era outro exemplo de falta de noção que encontramos nas Escrituras no Antigo Testamento. Ele "era duro, e maligno nas obras, e era da casa de Calebe", sendo assim, das tribos de Israel e conhecedor do Senhor e dos seus mandamentos. Nessa ocasião, Davi fugia de Saul e tinha vários rejeitados e fugitivos que o seguiam fielmente enquanto andava de um lado para outro naquelas terras. Numa dessas jornadas, ele solicitou amparo a Nabal através dos seus servos, que retornaram com uma resposta bem direta e rude por parte dele, negando provisão a Davi e sendo grosso com seus enviados. Após saber do ocorrido, sua mulher, que era bem diferente, fez de tudo para não serem atropelados por Davi e seus guerreiros. O abasteceu de provisões, acalmou seu coração e se humilhou por seu marido arrogante e egoísta. 

"E havia um homem em Maom, que tinha as suas possessões no Carmelo; e era este homem muito poderoso, e tinha três mil ovelhas e mil cabras; e estava tosquiando as suas ovelhas no Carmelo. E era o nome deste homem Nabal, e o nome de sua mulher Abigail; e era a mulher de bom entendimento e formosa; porém o homem era duro, e maligno nas obras, e era da casa de Calebe. E, vindo Abigail a Nabal, eis que tinha em sua casa um banquete, como banquete de rei; e o coração de Nabal estava alegre nele, e ele já muito embriagado, pelo que ela não lhe deu a entender coisa alguma, pequena nem grande, até à luz da manhã. Sucedeu, pois, que pela manhã, estando Nabal já livre do vinho, sua mulher lhe deu a entender aquelas coisas; e se amorteceu o seu coração, e ficou ele como pedra." 1 Samuel 25:2,3, 36, 37

Enquanto tudo se desenrolava nos bastidores e Abigail salvava o dia e todos naquela casa, ele, com uma mesa farta, enchia a cara todo feliz e somente no outro dia, quando vinho evaporou de seu organismo, Abigail contou o que aconteceu. Depois disso, ele entrou em choque e o próprio Deus o feriu de morte. Lições? Não sermos egoístas, mal-educados e enchermos a cara, perdendo a noção do perigo que nos ronda em consequência de nossas palavras e atos! Nabal só caiu em si de toda a desgraça que poderia ter acontecido quando a bebida que alegrava seu coração o deixou! Quase ele foi completamente destruído, com todos os inocentes com ele, incluindo Abigail, por fazer merda e se distrair, enchendo a cara. Realmente, todas as pessoas que têm costume de viver alegres demais por encher a cara, sempre caem em desgraça no final de cada excesso. Com o coração partido, eu atesto que meu irmão mais velho, que me restava, morreu com um recipiente de bebida alcoólica no short enquanto nadava num rio na região onde moro…  

Amnom Bêbado é Assassinado

Mais um caso triste no Antigo Testamento, onde, num ato de vingança contra seu irmão por parte de pai, Absalão, por meio de seus servos, mata Amnom. Foi um ato de retaliação por seu irmão ter estuprado sua irmã de sangue, mas vemos a confusão tomando conta da família de Davi, que colhia já os frutos do seu pecado contra Urias, a quem também tentou embriagar e enganar. Note que tristemente Amnom ignorou qualquer possível perigo e encheu a cara e "cheio de alegria" pelo vinho; foi morto à traição pelos servos de Absalão. Quantas pessoas não foram mortas assim de forma traiçoeira enquanto estavam "alegres" demais? Amnom se distraiu bebendo demais e se tornou um alvo fácil para seu irmão. Devemos cuidar com todos os maus exemplos que podemos extrair da família de Davi; inclusive alegrar demais nosso coração com bebidas ao ponto de facilitarmos para nosso inimigo feroz! 

"E Absalão deu ordem aos seus servos, dizendo: Tomai sentido; quando o coração de Amnom estiver alegre do vinho, e eu vos disser: Feri a Amnom, então o matareis; não temais: porque porventura não sou eu quem vo-lo ordenei? Esforçai-vos, e sede valentes." 2 Samuel 13:28

Vinho Revigora do Cansaço

Davi, em suas andanças e guerras, teve o amparo de Ziba, que levou, dentre outras provisões, vinho para os cansados que com ele estavam e, de fato, a ciência comprova que o vinho pode ajudar no cansaço excessivo. Claro que isso fica listado na página de coisas boas extraídas do vinho e nunca tire de sua mente que a intenção não era embriagar os que estavam com Davi, mas apenas revigorar suas forças e ânimo. Basta imaginar-se saindo do deserto e sedento e cansado, poder tomar aquela boa e moderada dose de vinho sem álcool dos tempos bíblicos. Sem nenhuma hipocrisia, eu fiquei até com vontade de tomar um suco gelado de uva! Acredite, um bom e puro suco de uva ainda em nossos dias é maravilhoso demais da conta! Particularmente, eu não necessitaria de vinho alcoolizado para recobrar minhas energias. Desnecessário tal pretexto para se embriagar, claro. 

"E passando Davi um pouco mais adiante do cume, eis que Ziba, o servo de Mefibosete, veio encontrar-se com ele, com um par de jumentos albardados, e sobre eles duzentos pães, com cem cachos de passas, e cem de frutas de verão e um odre de vinho. E disse o rei a Ziba: Que pretendes com isto? E disse Ziba: Os jumentos são para a casa do rei, para se montarem neles; e o pão e as frutas de verão para comerem os moços; e o vinho para beberem os cansados no deserto."  2 Samuel 16: 1,2

 

Ester

Assuero e o Banquete do Vinho

No livro de Ester entendemos que naqueles dias do rei Assuero, havia um costume de servir vinho à vontade e sem limites em taças de ouro de diferentes tipos aos convidados do rei. Era realmente uma festa com dias de duração e embriaguez e num desses dias, bêbado, o rei quis expor a rainha como uma espécie de item belo e impressionante perante os homens naquele lugar e deu problema com certeza, e ele prepotente não aceitou o "não" como resposta e a destituiu de rainha. Era uma provisão de Deus para que Ester entrasse em cena salvando os judeus da destruição, mas temos mais um resultado de festas regadas a vinho e bebedeira. 

"E, acabados aqueles dias, fez o rei um banquete a todo o povo que se achava na fortaleza de Susã, desde o maior até ao menor, por sete dias, no pátio do jardim do palácio real. As tapeçarias eram de pano branco, verde, e azul celeste, pendentes de cordões de linho fino e púrpura, e argolas de prata, e colunas de mármore; os leitos de ouro e de prata, sobre um pavimento de mármore vermelho, e azul, e branco, e preto. E dava-se de beber em copos de ouro, e os copos eram diferentes uns dos outros; e havia muito vinho real, segundo a generosidade do rei. E o beber era por lei, sem constrangimento; porque assim tinha ordenado o rei expressamente a todos os oficiais da sua casa, que fizessem conforme a vontade de cada um." Ester 1:5-8

"E ao sétimo dia, estando já o coração do rei alegre do vinho, mandou a Meumã, Bizta, Harbona, Bigtá, Abagta, Zetar e Carcas, os sete camareiros que serviam na presença do rei Assuero, que introduzissem na presença do rei a rainha Vasti, com a coroa real, para mostrar aos povos e aos príncipes a sua beleza, porque era formosa à vista. Porém a rainha Vasti recusou vir conforme a palavra do rei, por meio dos camareiros; assim o rei muito se enfureceu, e acendeu nele a sua ira." Ester 1:10-12

"Disse o rei a Ester, no banquete do vinho: Qual é a tua petição? E ser-te-á concedida, e qual é o teu desejo? E se fará, ainda até metade do reino." Ester 5:6

A lição que podemos extrair do tal "banquete do vinho" cheio de pessoas "alegres pelo vinho" é que expor sua esposa nessas condições não é uma atitude muito sábia e demonstra como o rei estava entorpecido e sem noção, consideração e amor por sua rainha. Já que ele, de forma egoísta e embriagado, tentou expor ela contra sua vontade arrogante e, após um não de Vasti, ele não somente a tirou do trono, como também a substituiu como mulher. E se isso tudo não bastasse, ele deu ouvidos ao bando de ébrios sensíveis naquela festa e promulgou uma lei covarde contra todas as mulheres do rei, temendo uma insubordinação em massa por parte das esposas dos reis e demais homens. Pensamentos de um bêbado mesmo... Assim, todas as mulheres ficaram debaixo de uma lei onde seus maridos mandavam a vontade em seus lares e elas deveriam ser subordinadas por completo. 

"Então disse Memucã na presença do rei e dos príncipes: Não somente contra o rei pecou a rainha Vasti, porém também contra todos os príncipes, e contra todos os povos que há em todas as províncias do rei Assuero. Porque a notícia do que fez a rainha chegará a todas as mulheres, de modo que aos seus olhos desprezarão a seus maridos quando ouvirem dizer: Mandou o rei Assuero que introduzissem à sua presença a rainha Vasti, porém ela não veio. E neste mesmo dia as senhoras da Pérsia e da Média, ouvindo o que fez a rainha, dirão o mesmo a todos os príncipes do rei; e assim haverá muito desprezo e indignação. Se bem parecer ao rei, saia da sua parte um edito real, e escreva-se nas leis dos persas e dos medos, e não se revogue, a saber: que Vasti não entre mais na presença do rei Assuero, e o rei dê o reino dela a outra que seja melhor do que ela. E, ouvindo-se o mandado, que o rei decretará em todo o seu reino (porque é grande), todas as mulheres darão honra a seus maridos, desde a maior até à menor. E pareceram bem estas palavras aos olhos do rei e dos príncipes; e fez o rei conforme a palavra de Memucã. Então enviou cartas a todas as províncias do rei, a cada província segundo a sua escrita, e a cada povo segundo a sua língua; que cada homem fosse senhor em sua casa, e que se falasse conforme a língua do seu povo." Ester 1:16-22

Banquetes dos Filhos de Jó

No livro de Jó, também temos referências claras ao costume de consumir vinho nos banquetes e temos também uma inferência de como isso era prejudicial à família. Quando notamos, Jó, após cada rodada de baquetes na casa de cada filho dele, levantava um clamor fazendo sacrifícios por todos eles. Ele tinha a certeza de que eles pecavam contra o Senhor nesses banquetes regados a vinho fermentado. E sim, o termo hebraico original se refere à bebida fermentada! Não conhecia bem Jó, seus filhos? Toda festa e banquete regado a vinho alcoolizado em nossos dias não gera atitudes e palavras descontroladas e sem noção por parte dos que se embriagam? Sim, com certeza! E nada mudou quanto a isso! Jó era um pai cuidadoso e zeloso da comunhão com Deus e cuidava sempre em manter sua casa protegida, buscando o perdão mesmo para seus filhos festeiros que talvez se embriagavam e cometiam glutonaria. 

"E iam seus filhos à casa uns dos outros e faziam banquetes cada um por sua vez; e mandavam convidar as suas três irmãs a comerem e beberem com eles. Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente. E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam, e bebiam vinho, na casa de seu irmão primogênito..." Jó 1:4,5,13

Não é preciso ser aprofundado para fazer uma pesquisa no Google e ver a incontável lista de links de matérias onde festas regadas as bebidas levaram até a morte mesmo por ingestão exagerada e em outros casos, brigas mortais e sem contar os pequenos delitos em palavras e atos ofensivos e imorais contra Deus e contra o próximo. Os filhos de Jó pecavam contra Deus nessas festas e isso é revelado pelo pai deles em suas palavras! "Porventura pecaram meus filhos e amaldiçoaram a Deus no seu coração."

A Metáfora do Vinho

Tomarei o livro e as palavras de Jó por referência e base para explanar um pouco mais sobre o processo milenar de produção de vinho natural fermentado, do qual era extraído o suco natural das uvas num lagar onde pessoas com pés limpos pisoteavam as uvas colocadas ali. Após escoar o suco em vasos, eram colocados em odres de madeira novos e ficavam depositados em locais por um determinado tempo até fermentar e envelhecer o odre, ele chegava a romper. E quanto mais velho o vinho, melhor era o sabor. Claro que isso dependia muito do tipo de uvas e da qualidade da safra. Jó foi o primeiro a falar sobre esse processo numa metáfora, falando de como estava a ponto de estourar com suas emoções em angústia por todas as desgraças que estava passando e pelas palavras de julgamento precipitadas de seus amigos ao seu redor. 

"Porque estou cheio de palavras; o meu espírito me constrange. Eis que dentro de mim sou como o mosto, sem respiradouro, prestes a arrebentar, como odres novos. Falarei, para que ache alívio; abrirei os meus lábios, e responderei." Jó 32:18-20

Jesus também falou desse processo em suas parábolas e ensinos e deu mais detalhes sobre o processo de produção de vinho fermentado naturalmente. Que fique claro que não há como atribuir outras variações de vinhos e suas misturas que já existiam naqueles dias aqui. Para se embriagar com o vinho fermentado, era necessário beber muitas taças em comparação com os muitos vinhos de hoje em dia. Mas a analogia de Jó foi certeira e reveladora ao mesmo tempo que expõe o quanto ele estava segurando suas emoções e sentimentos em sofrimento. 

Salmos

Alegria do Vinho e Alegria de Deus 

Até aqui já tem ficado mais do que claro teologicamente e pelo cotidiano que o efeito das bebidas de qualquer natureza que embriagam é passageiro e mais uma vez o salmista compara a alegria dos homens vãos que correm atrás de vaidades e bens transitórios com a alegria que o Senhor colocava em seus coração e descreve como sendo muito superior. Ele destaca a alegria de tais homens naqueles dias, que era uma boa safra de trigo e vinho de onde extraíam sua alegria, como visto de fato em vários textos até aqui. Logo, temos que a alegria que a bebida pode gerar não se compara à que o Senhor pode colocar em nossos corações! A alegria do vinho é meramente vaidade e passageira; quando não chega a ser prejudicial e pecaminosa, leva os homens a cometer excessos.


"Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia? Até quando amareis a vaidade e buscareis a mentira? (Selá.) Puseste alegria no meu coração, mais do que no tempo em que se lhes multiplicaram o trigo e o vinho." Salmos 4:2,7
"E o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem." Salmos 104:15

Está aqui quem bebeu toda sorte de bebidas em determinado tempo e realmente sentiu essa alegria passageira que me contagiava, mudava minha personalidade, me enchia de coragem e me colocava em condições controversas, confusões e humilhações; e no final, sempre passava. Mas desde quando conheci a alegria que vem do céu da parte de Deus, nunca mais senti necessidade ou vontade de me suprir dessa alegria dos homens. Glória a Deus!

Vinho e Figura de Linguagem 

O vinho é usado em muitas metáforas, analogias e como base para ensinamentos, como vimos no livro de Jó e em outros. No Salmo 60, o autor, expressando sua lamentação pela rejeição de Deus a Israel por seus pecados, descreve como se o povo estivesse confuso, atordoado e tonto, tal qual aquele que se embriagava com o vinho fermentado ou bebida forte. Isso fica ainda mais explícito no texto original que traz também a tradução de "tontura". É uma figura de linguagem, mas que deixa claro como o vinho atordoava e tonteava as pessoas, as deixando sem noção e com tudo "girando ao redor". Afinal, o resultado de quem se embriaga permanece o mesmo até nossos dias. No salmo 75, o vinho fermentado é usado para falar sobre os juízos de Deus que serão derramados sobre os ímpios e isso tem forte conexão com as taças de Deus nos eventos do Apocalipse e chegaremos lá também.  

"Fizeste ver ao teu povo coisas árduas; fizeste-nos beber o vinho do atordoamento." Salmos 60.3

"Porque na mão do Senhor há um cálice cujo vinho é tinto; está cheio de mistura; e dá a beber dele; mas as escórias dele todos os ímpios da terra as sorverão e beberão." Salmos 75:8

"Então, o Senhor despertou como de um sono, como um valente que grita excitado pelo vinho; fez recuar a golpes os seus adversários e lhes cominou perpétuo desprezo." Salmos 78:65,66

 

Provérbios

Lagares Abençoados

Em provérbios, temos que Deus honra os que o honram em todos os sentidos, incluindo benção sobre a produção de uvas e de vinho nos lagares (locais onde se pisavam as uvas para extração do suco). A verdade é clara como água cristalina! Todo aquele que honrasse ao Senhor com seus bens seria fartamente abençoado nas suas colheitas de trigo e produção de vinho! Calma! Mais uma vez, Deus é a fonte de toda a sabedoria e, por isso mesmo, o autor fez questão de colocar no original que se trata do suco virgem novo extraído das uvas e não do vinho fermentado ou alcoolizado. Trata-se do suco fresco extraído no ato do pisoteio nos lagares. 

"Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares." Provérbios 3:9,10

Os Justos e os Maus

Em provérbios, a luz sobre esse tema começa a ficar ainda mais forte e a distinção entre beber ou não beber fica mais refinada. Salomão, com todo seu currículo de sabedoria, compôs estes provérbios com toda essência de sua experiência e observação de tudo que acontecia ao seu redor. E em um deles, ele fez clara distinção entre a vereda dos justos e dos maus, como completamente opostas. Ao falar sobre os maus, ele inclui o ato de beberem o "vinho das violências" numa alusão ao efeito que essas bebidas causam em muitas pessoas. Elas ficam violentas e sem controle emocional; ficam valentes sem causa e cometem injustiças contra inocentes até mesmo. Isso não acontece mesmo em nossos dias? Eu sei que o texto especificamente faz menção de que eles consomem este sentimento como se fosse vinho, mas de fato, muitos homens embriagados se tornam violentos e se transformam perto de tais bebidas! 

"Não entres na vereda dos perversos, nem sigas pelo caminho dos maus. Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo; pois não dormem, se não fizerem mal, e foge deles o sono, se não fizerem tropeçar alguém; porque comem o pão da impiedade e bebem o vinho das violências. Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito." Provérbios 4:14-18

O conselho é claro e a vereda do justo completamente diferente! Devemos brilhar mais e mais até nos tornarmos dia perfeito na gloriosa luz da transformação de nossos corpos corruptíveis em glória! Se você já foi um ébrio mau e trilhou tais caminhos, por que voltar novamente? Nosso caminho é seguir em frente e nos tornarmos cada vez melhores.

Convite da Sabedoria

Esse é mais um dos provérbios de Salomão que fazem menção simbólica do vinho, onde a sabedoria constrói sua casa, prepara um banquete com vinho fermentado e convida a todos a participarem; comerem e beberem. Claro que isso não é doutrina e muito menos mandamento de Deus para ninguém beber vinho fermentado. Faz nos ensinar que a sabedoria está o tempo todo aqui e ali, convidando a todos os homens para aprenderem com ela e se alegrarem, deixando seus caminhos de insensatez, tolice e inocência. Afinal, todo aquele que é sábio sabe como isso o faz diferente e feliz diante de tudo na vida e de todos! Bom seria que todos banqueteassem com a sabedoria e aprendessem dela! 

"Carneou os seus animais, misturou o seu vinho e arrumou a sua mesa. Vinde, comei do meu pão e bebei do vinho que misturei. Deixai os insensatos e vivei; andai pelo caminho do entendimento." Provérbios 9:2,5

 

É preciso, antes de sair citando e usando textos como pretextos fora de seus contextos, entender não só a gravidade disso, como o perigo de criar heresias, desviar inocentes do caminho da verdade e também bagunçar a interpretação da Palavra de Deus em cada aplicação. Neste caso, é apenas uma figura de linguagem focada em advertir os homens a buscarem a sabedoria e se relacionarem com ela como num banquete. Não há mandamento de Deus aqui e muito menos incentivo de Salomão a se embriagarem e caírem na desgraça do vício.  

Escárnio, Alvoroço e Pobreza

Infelizmente, muitos cristãos já viciados evitam citar e ler tais textos como realmente devem ser lidos, porque confrontam diretamente seus achismos e conclusões precipitadas baseadas em textos erroneamente interpretados. Salomão, com toda sua sabedoria advinda de Deus, deixa claro que o vinho é escarnecedor ou zombador e toda bebida forte alvoroçadora e essas verdades nunca mudaram ao longo de milênios na vida dos que caem nesses caminhos do vício em bebidas fermentadas ou alcoolizadas (que são piores ainda). Ou negará que muitos perdem a noção de realidade e de bom senso, se tornando escarnecedores sem limites? Não observamos pessoas pelo mundo que ficam completamente alteradas e alvoroçadas quando a bebida invade seu sistema? Salomão era sábio e Deus a fonte do seu saber! 

"O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio." Provérbios 20:1

"Quem ama os prazeres empobrecerá, quem ama o vinho e o azeite jamais enriquecerá." Provérbios 21:17

Ele conclui sem hesitação que todos os que se deixam vencer pelo vício no vinho e se comportam conforme seus efeitos, não são considerados sábios. Então, tire suas conclusões, se entrar por esse caminho é ser sábio ou ser vencido... Ele ainda esclarece que não enriquecerão porque vivem apenas de futilidades e prazeres passageiros. Já vimos essa avaliação pelo salmista e isso é natural dos homens sem Deus, buscarem essas coisas apaixonadamente e com vício. A sentença foi revelada e também podemos confirmar que quem vive viciado correndo atrás de bebida não consegue muito na vida e ainda pode perder o que tem! 

Bebedeira e Glutonaria

Aqui fica ainda mais claro e pesado o tom de advertência contra o vício nas bebidas e não somente nelas, mas também em comer carne! Exatamente, e isso tem a ver com ostentação e má administração, quando os homens caem em vícios e precisam a todo custo ostentar e sustentar o desejo voraz que os domina. Eles trabalham e só querem comer e encher a cara, caindo em ruína financeira e nunca passam disso, até perderem de vez o controle e ficarem em completa ruína! Você conhece ou conheceu alguém assim que se arruinou na vida de prazeres que lhe tirou tudo que tinha até a miséria completa? Eu conheci e conheço muitos! A recomendação é: "Não estejas entre os bebedores de vinho nem entre os comilões de carne." 

"Ouve, filho meu, e sê sábio; guia retamente no caminho o teu coração. Não estejas entre os bebedores de vinho nem entre os comilões de carne. Porque o beberrão e o comilão caem em pobreza; e a sonolência vestirá de trapos o homem." Provérbios 23:19-21

Esse texto condena enfaticamente a embriaguez, a glutonaria, a preguiça e alerta contra estar entre esse tipo de pessoas seguindo seus comportamentos danosos e prejudiciais. Devemos evangelizar essas pessoas e tentar resgatar cada uma delas sem nos corrompermos e sermos arrastados pelos seus convites para festinhas amigáveis. Eis a "revelação progressiva" que costumo citar aos aprendizes da Palavra. Embora a Bíblia não seja clara ou enfática em determinados pontos sobre muitos assuntos, continue buscando e sempre terá uma luz mais adiante, quando novas revelações e aprofundamentos são registrados e compartilhados, como nesse caso claro e essencial para a vida cristã. 

Evite o Vinho!

Por observações e experiência a essas alturas, Salomão sabia muito bem as consequências dos vícios nas bebidas intoxicantes, como também são chamadas nos originais. Ele descreve cada efeito delas no homem de forma tão precisa que até nossos dias isso permanece da mesma forma! Os homens erram nos mesmos caminhos, passam pelas mesmas experiências e terminam do mesmo jeito desde os tempos antigos! As bebidas mudaram, mas os efeitos não! Leia e tire suas conclusões sobre as descrições riquíssimas de Salomão sobre como agiam os homens que buscavam embriagar-se, depois de todos os efeitos e consequências, queriam beber ainda mais! 


"Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as rixas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos? Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco. Os teus olhos verão coisas esquisitas, e o teu coração falará  perversidades. Serás como o que se deita no meio do mar e como o que se deita no alto do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando despertarei? Então, tornarei a beber." Provérbios 23:29-35


Claro que cabe aqui ressaltar o alerta para não olharmos para aquele copo de vinho vermelho resplandecente no copo ou na taça, gelado e escoando suavemente aos nossos olhos. Ficou com água na boca? Viu a cena em sua mente? Pois é, seria hipócrita se negasse que também aconteceu comigo; mas aí está o segredo e a diferença entre justos e maus, obedientes e desobedientes. Não podemos nos deixar levar por essas coisas vãs, por mais atraentes e deliciosas que sejam ou pareçam ser! O final é a vergonha, a confusão, o desvario e os prejuízos que sabemos elas causam! Não convém arriscar minha preciosa vida em Cristo nisso; ainda mais saindo desse meio em que vivi e sei que é assim mesmo que acontece…  

Os Reis e Príncipes

A mãe de Lemuel, muito sábia, o aconselhava quanto aos reis beberem vinho e bebida forte e esclarecia que não era uma boa ideia, pois se esqueciam da lei e pervertiam o direito de todos os aflitos. Imagine uma nação governada por um rei ou presidente que não se aparta de uma "boa bebida forte" ou cachaça, no caso do Brasil (😂). Claro que isso causa desconfiança nos bons cidadãos e insegurança nas pessoas que prezam por uma sociedade saudável e que seja conduzida por pessoas sérias e sem vícios. Imagine a influência desse rei ou presidente sobre as pessoas mais fracas e levadas por qualquer ídolo? Seria uma tragédia! Sem contar que o que acontece com qualquer bêbado num bar da periferia no tocante a decisões distorcidas pode acontecer com um rei ou presidente no controle de uma nação! Deus é sábio demais!
 

"Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte. Para que não bebam, e se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos." Provérbios 31:4,5


Não há como negar que, em qualquer esfera da sociedade, quem se prejudica são geralmente os que não bebem e convivem com os que bebem e perdem o controle e a noção das leis e da realidade. Deus nos livre dos tais e os liberte de seu vício!

Me perdoe eu não consigo ser tão sério assim. Afinal, bêbados convivem com memes também.
Imagem: Yandex

 

Provisório Consolo na Amargura

Eis um texto áureo na boca dos que lambem os beiços para beberem! Achei muito engraçado quando um amigo me trouxe um vídeo superficial e controverso de um cidadão mostrando este texto como se a Bíblia incentivasse pessoas a beberem. Salomão aqui não está criando um mandamento e muito menos recebendo da parte de Deus nenhuma revelação para criar uma brecha em tudo que está ensinado em contrário. Na verdade, ele está fazendo alusão a um contexto social que podemos observar até nossos dias nas classes mais sofridas em várias cidades pelo país. Pessoas que perderam tudo por algum motivo e, em desgraça, só lhes resta beber para esquecer de seus problemas. Me sangra o coração lembrar que em muitas ocasiões meus parentes que assim viviam se atolavam em bebidas e drogas para "anestesiar" sua dor e esquecer das adversidades que passavam... Sem poder fazer nada, muitos de nós chegamos a compreender a saída que eles buscam no desespero. 

"Dai bebida forte aos que perecem e vinho, aos amargurados de espírito; para que bebam, e se esqueçam da sua pobreza, e de suas fadigas não se lembrem mais." Provérbios 31:6,7

 

Esse texto fala de um ato desesperado de consolar os que perecem e viviam amargurados, mas não se trata de uma doutrina espiritual e muito menos mandamento de Deus. Basta ter conhecimento amplo das Escrituras e perceber que mais de 90% dos ensinamentos e citações referentes a qualquer bebida intoxicante são de advertência e fatos tristes que aconteceram com quem se perdeu nela. Então, essa realidade social ainda acontece em nossos dias e as pessoas buscam nas bebidas um anestésico, consolo e esquecer tudo que vivem em sofrimento. Mas que Cristo possa resgatar todos que se afundaram a esse ponto e sua luz possa resplandecer sobre eles e os transformar em novas criaturas, como também aconteceu com muitos como eu. Sim, eu bebia por desgosto de ver que minha própria mãe era uma alcoólatra viciada e isso me levou a cair nesse vício no passado. 

Eclesiastes

Salomão, o Experiente

Todos os entendidos nas Escrituras que conhecem o básico da vida de Salomão, sabem que ele não foi sempre o sujeito sábio e regrado como quando iniciou seu reinado perante o Senhor e isso está registrado claramente nas páginas principalmente de Eclesiastes, onde ele deixa exposto muito de suas obras e sabedoria. Mas também seus desvarios e busca pela felicidade nas coisas dessa vida. Numa dessas decisões, ele abertamente narra que se deixou levar pelo vício no vinho fermentado, porém, tentando se conduzir com sabedoria. Seria isso possível? 


"Resolvi no meu coração dar-me ao vinho, regendo-me, contudo, pela sabedoria, e entregar-me à loucura, até ver o que melhor seria que fizessem os filhos dos homens debaixo do céu, durante os poucos dias da sua vida." Eclesiastes 2:3 

 

Basta ler as palavras de Salomão e perceber como parecem sem sentido e não estou dizendo que ele tenha escrito isso bêbado. Ele resolve "mergulhar" no vinho livremente, mas agindo com sabedoria, depois fala de se entregar à loucura, buscando assim ver e experimentar o que seria melhor para os homens buscarem durante seus dias passageiros. Em resumo, ele mergulhou em todas as experiências possíveis da vida humana para sentir o quanto pudesse e tirar disso algum aprendizado e transmitir para outros, como assim aconteceu em seus livros. Ele comeu e bebeu de tudo, construiu e obteve muitas coisas, teve muitas mulheres e concubinas e riquezas sobremaneira, mas ao final de tudo isso, entrou em contradições e fala sobre isso justamente neste mesmo livro de Eclesiastes.

 

"De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más." Eclesiastes 12:13,14

 

Essa foi a brilhante, essencial e inalterável experiência de Salomão em tudo que buscou fazer e se empenhou em buscar em todos os seus dias. Basta conhecer a verdade e ser inteligente para avaliar se o que faz é bom ou é mau perante o Senhor. 

"Viva a Vida! Beba Vinho!"

Mais um texto que a galera que quer voltar a beber adoraria conhecer e ler. Mas infelizmente ainda não é um texto de Deus mandando ninguém consumir bebida intoxicante... Na verdade, como exposto anteriormente, Salomão estava em sua busca humana pelas coisas da vida e nessa jornada ele ainda não havia concluído suas "pesquisas" ou experiências. E, como já sabemos, era costume dos povos de então consumir vinho em suas festas, banquetes e outras ocasiões especiais. Neste texto, ele fala da alegria de quem, diante de Deus, andava corretamente em suas obras e desfrutava prazerosamente de suas conquistas honestas e recomendava que curtissem tais momentos de forma prazerosa. 

"Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe gostosamente o teu vinho, pois Deus já de antemão se agrada das tuas obras." Eclesiastes 9:7

Embora no original seja mesmo o vinho fermentado, já sabemos que aqui não faz alusão à embriaguez e o resultado do excesso é sempre o pior. É mandamento oficial bíblico? Não. Somos produtores de vinho e temos videiras como cultura e meio de sobrevivência e mantimento? Não. Então, as chances de usar esse texto como pretexto se reduzem drasticamente. Mas sigamos adiante. Convém lembrar que justamente desse capítulo de Eclesiastes o movimento herético das Testemunhas de Jeová tirou sua doutrina de que depois da morte não existe mais nada em referência à vida após a morte. Então, tome cuidado com doutrinas que não sejam doutrinas...


"Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma." Eclesiastes 9:10


O Vinho Alegra

Esse é mais um texto em potencial para ser usado pelos defensores das bebidas intoxicantes, já que nele, Salomão afirma que o vinho alegra a vida. Eu vou negar isso? Com certeza que não! Mas abordamos textos anteriores e sabemos que essa alegria é vaidade, passageira e pode levar os homens ao descontrole emocional e a fazer besteiras! Eu bem sei como qualquer bebida que entra em nosso corpo e mente nos deixa diferentes e, geralmente, alegres. Mas sabemos como isso termina no final das contas. As pessoas querem sempre mais e mais e tomam decisões precipitadas e perdem o controle, causando problemas entre a família, ao volante no trânsito e mesmo sozinho se machuca, caindo aqui e ali alcoolizado. De fato, esse texto também fala do vinho fermentado nos bastidores do hebraico. 

"O festim faz-se para rir, o vinho alegra a vida, e o dinheiro atende a tudo." Eclesiastes 10:19

Mas deixo a pergunta: compensa buscar ou viver dessa alegria? Para os já experimentados e cheios da alegria de Cristo através da pessoa do Espírito Santo, isso se torna desnecessário. Sua alegria nos enche e preenche, e vai além dos limites superficiais da carne! Mas se você ainda não é liberto e não compreende isso, cabe aqui a triste recomendação de Salomão para afogar suas mágoas e anestesiar suas tristezas nas bebidas; mas que tudo isso te leve a quem de fato possa preencher seu coração angustiado: Jesus Cristo, nossa paz.

Cantares de Salomão 

Romantismo e Espiritualidade

Neste livro, onde Salomão se encontra completamente apaixonado por uma mulher específica, eles trocam frases de amor com elogios e usam diversas figuras de linguagens, se referindo também ao vinho. E na maioria delas, comparam o amor um do outro melhor que o vinho. Mas claro que esse livro tem ainda mais profundidade espiritual e é repleto de simbolismos complexos que remetem ao amor de Deus por Israel e de Cristo pela Igreja, que são quase a mesma essência: Deus ama seu povo que o ama profundamente. Não tendo muito o que comentar concernente ao assunto neste livro, passarei ao próximo; pois ele apenas retrata a cultura do vinho ainda naqueles dias e era usado em parábolas, poemas, analogias e outras figuras de linguagem. 

"Beija-me com os beijos de tua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho." Cantares 1.2

"Em ti nos regozijaremos e nos alegraremos; do teu amor nos lembraremos, mais do que do vinho; não é sem razão que te amam." Cantares 1.4

"Que belo é o teu amor, ó minha irmã, noiva minha! Quanto melhor é o teu amor do que o vinho, e o aroma dos teus unguentos do que toda sorte de especiarias!" Cantares 4.10

"Já entrei no meu jardim, minha irmã, noiva minha; colhi a minha mirra com a especiaria, comi o meu favo com o mel, bebi o meu vinho com o leite. Comei e bebei, amigos; bebei fartamente, ó amados." Cantares 5.1 

"Dizia eu: subirei à palmeira, pegarei em seus ramos. Sejam os teus seios como os cachos da vide, e o aroma da tua respiração, como o das maçãs. Os teus beijos são como o bom vinho, vinho que se escoa suavemente para o meu amado, deslizando entre seus lábios e dentes." Cantares 7.8-9.

"Levar-te-ia e te introduziria na casa de minha mãe, e tu me ensinarias; eu te daria a beber vinho aromático e mosto das minhas romãs." Cantares 8.2

 

Isaías 

O Povo em Decadência

Nos dias do rei Uzias e de Isaías, no meio do povo, havia os que, perdidos no vício pelo vinho, logo cedo despertavam consumindo a bebida e faziam isso até a noite! Eles banqueteavam, enchendo a cara e não adoravam a Deus por suas maravilhosas obras. Já vimos isso e parecia um resultado corriqueiro dos que se perdiam nas bebidas, como nos dá a entender Jó com seus filhos.

"Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice e continuam até alta noite, até que o vinho os esquenta! Liras e harpas, tamboris e flautas e vinho há nos seus banquetes; porém não consideram os feitos do SENHOR, nem olham para as obras das suas mãos." Isaías 5.11–12.

"Ai dos que são heróis para beber vinho e valentes para misturar bebida forte, os quais por suborno justificam o perverso e ao justo negam justiça! Pelo que, como a língua de fogo consome o restolho, e a erva seca se desfaz pela chama, assim será a sua raiz como podridão, e a sua flor se esvaecerá como pó; porquanto rejeitaram a lei do SENHOR dos Exércitos e desprezaram a palavra do Santo de Israel." Isaías 5.22–24.

"O Senhor, o SENHOR dos Exércitos, vos convida naquele dia para chorar, prantear, rapar a cabeça e cingir o cilício. Porém é só gozo e alegria que se veem; matam-se bois, degolam-se ovelhas, come-se carne, bebe-se vinho e se diz: Comamos e bebamos, que amanhã morreremos. Mas o SENHOR dos Exércitos se declara aos meus ouvidos, dizendo: Certamente, esta maldade não será perdoada, até que morrais, diz o Senhor, o SENHOR dos Exércitos." Isaías 22.12–14.

 

Corrupção Generalizada

O Senhor ainda adverte os que, nessa embriaguez e perversão toda, se corrompiam em subornos e negavam justiça aos justos. O juízo contra estes é sempre certo! Perderam a noção do perigo! Perderam o temor ao Senhor e cometeram transgressões inimagináveis em seus vícios! Eram valentes para beber e ficarem bêbados! Quantos não se corrompem entrando por esses caminhos? Deus os confrontava por seus modos perante Ele. Eles estavam viciados em prazeres banais e vão se esquecendo de Deus e dos seus mandamentos. A sentença para quem só queria saber de comer e beber sem limites era a morte. Pesada, mas com Deus não se brinca e não se arrisca, meu irmão. Devemos vigiar em viver somente de alegria e fartura perante o Senhor, nos esquecendo da adoração e reconhecimento devido a Ele que tudo nos provê! Mas Deus não justificou as impiedades destes e os levou a juízo, causando destruição e tirando-lhes sua alegria vã nessas coisas. 

"Por isso, a maldição consome a terra, e os que habitam nela se tornam culpados; por isso, serão queimados os moradores da terra, e poucos homens restarão. Pranteia o vinho, enlanguesce a vide, e gemem todos os que estavam de coração alegre. Cessou o folguedo dos tamboris, acabou o ruído dos que exultam, e descansou a alegria da harpa. Já não se bebe vinho entre canções; a bebida forte é amarga para os que a bebem. Demolida está a cidade caótica, todas as casas estão fechadas, ninguém já pode entrar. Gritam por vinho nas ruas, fez-se noite para toda alegria, foi banido da terra o prazer." Isaías  24.6–11.

"Ai da soberba coroa dos bêbados de Efraim e da flor caduca da sua gloriosa formosura que está sobre a parte alta do fertilíssimo vale dos vencidos do vinho!" Isaías 28.1.

"Mas também estes cambaleiam por causa do vinho e não podem ter-se em pé por causa da bebida forte; o sacerdote e o profeta cambaleiam por causa da bebida forte, são vencidos pelo vinho, não podem ter-se em pé por causa da bebida forte; erram na visão, tropeçam no juízo." Isaías 28.7.

Realmente, não é difícil para um homem bêbado perder a noção de tudo, inclusive de seu compromisso de adorar a Deus com reverência e gratidão e se manter lúcido como servo do Altíssimo. A verdade é que bebida intoxicante, qualquer que seja, não combina com servos do Senhor e só causa desvios! Eis mais um exemplo triste por parte daqueles que se perderam nesse vício! O mais terrível é perceber que, do mais simples do povo aos líderes religiosos, muitos se perderam de modo a cambalear e não parar em pé de tanto que bebiam vinho! Ignorar que estes começaram por modestas taças de vinho louvando a Deus pela safra é estupidez! Ninguém começa a beber qualquer bebida forte ou intoxicante nesse nível! Todos começam lenta e timidamente! Assim foi comigo até chegar em casa, sem saber o caminho que percorri um dia! 

"Estatelai-vos e ficai estatelados, cegai-vos e permanecei cegos; bêbados estão, mas não de vinho; andam cambaleando, mas não de bebida forte. Porque o SENHOR derramou sobre vós o espírito de profundo sono, e fechou os vossos olhos, que são os profetas, e vendou a vossa cabeça, que são os videntes. Toda visão já se vos tornou como as palavras de um livro selado, que se dá ao que sabe ler, dizendo: Lê isto, peço-te; e ele responde: Não posso, porque está selado; e dá-se o livro ao que não sabe ler, dizendo: Lê isto, peço-te; e ele responde: Não sei ler." Is 29.9–12.

Deus, após começar seu julgamento espiritualmente, entrega os tais ébrios à cegueira espiritual de modo a andarem confusos e sem suas profecias e revelações. Só quem sabe o que é viver sem a graça de Deus e suas manifestações não desejariam isso para si! Nós ficamos realmente perdidos, confusos e sem direção certa para nossa vida! Agora, Deus, por figura de linguagem, diz que estou cambaleando sem direção por castigo e não pelo vinho que se embriagavam. Triste fim dos que entraram por esse caminho... Valeu a pena? E quantos em nosso meio não se desviaram e terminaram tragicamente nesses vícios até a morte? Eu conheci um irmão assim, que era filho de pastor, regente de orquestra e se perdeu nas bebidas ainda no meio cristão. Ele tentava disfarçar e aos poucos foi perdendo o controle até abandonar a igreja e se entregar de vez e, por fim, faleceu de problemas de saúde e foi desviado da fé.

Simbolismo na Graça 

Mesmo no livro de Isaías, podemos encontrar, em profecias referentes ao tempo da graça, o vinho usado como símbolo da alegria que encontrariam os povos em Cristo. Alegria que poderia ser adquirida sem dinheiro e também o leite, usado figurativamente como um sinal de abundância. Já o vinho é frequentemente associado à alegria, celebração e comunhão. O vinho também é símbolo da presença de Deus e da sua bênção sobre o seu povo. Então, o uso simbólico desses elementos remete à essência da graça que haveria de vir na nova aliança de Deus com seu povo. O convite é espiritual e o vinho também.

"Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite." Is 55.1.
Bebedeira sem Limites!

Enquanto Deus garantia um novo tempo com uma nova aliança, muitos dentre os judeus e mesmo suas lideranças ainda estavam perdidos nos vícios sem se preocupar com o amanhã. Eles não contavam com os juízos de Deus que pagariam por suas obras infrutuosas. Afinal, o Deus do Antigo Testamento em suas misericórdias lhes deu muito tempo para se arrependerem, mas eles abusaram, O levando a tomar providências como Pai que corrige os que ama. Mas eles apostavam em dias melhores, com muito mais bebedeira e glória. Pobres coitados…  

"Vinde, dizem eles, trarei vinho, e nos encharcaremos de bebida forte; o dia de amanhã será como este e ainda maior e mais famoso." Is 56.12.

 

Bençãos Vindouras

Deus sempre trabalhou simultaneamente com correções e promessas de restauração para que o povo não se endireitasse. Eu chamo isso de caminhos paralelos de Deus, baseados nas decisões de seu povo ou mesmo de um indivíduo. Deus sempre tem um plano reserva e jamais será pego desprevenido em nada. Mas focando no tema central, ele faz promessas de que o povo não daria mais o fruto de suas plantações e colheitas a outros povos que os dominavam, mas usufruiriam do que colhessem, incluindo o vinho das vides e aqui está Deus novamente em toda sua sabedoria sem nunca se contradizer como alegam alguns pobres teólogos de internet. Vamos ao texto primeiro:

"Jurou o SENHOR pela sua mão direita e pelo seu braço poderoso: Nunca mais darei o teu cereal por sustento aos teus inimigos, nem os estrangeiros beberão o teu vinho, fruto de tuas fadigas. Mas os que o ajuntarem o comerão e louvarão ao SENHOR; e os que o recolherem beberão nos átrios do meu santuário." Is 62.8–9. 

No texto original, mais uma vez, "vinho" remete ao suco fresco extraído das uvas e não a "bebidas fortes intoxicantes". Por isso, é bom se aprofundar um pouco mais antes de tirar conclusões ou gritar pelas plataformas que Deus está abençoando os mesmos bêbados que condenava em capítulos anteriores! É preciso perceber e entender os termos hebraicos e específicos dentro de cada contexto e suas aplicações. Sempre que Deus fala de um modo normal ou abençoador no que se refere ao vinho, está implícito no texto o suco fresco natural extraído das uvas e não o vinho fermentado! Vigia crente! Alguns do povo se desviaram a tal ponto de fazerem culto com vinho misturado para divindades pagãs de nome Fortuna e Destino! 

Bons Cachos Preservados

"Assim diz o SENHOR: Como quando se acha vinho num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei por amor de meus servos e não os destruirei a todos. Farei sair de Jacó descendência e de Judá, um herdeiro que possua os meus montes; e os meus eleitos herdarão a terra e os meus servos habitarão nela. Sarom servirá de campo de pasto de ovelhas, e o vale de Acor, de lugar de repouso de gado, para o meu povo que me buscar. Mas a vós outros, os que vos apartais do SENHOR, os que vos esqueceis do meu santo monte, os que preparais mesa para a deusa Fortuna e misturais vinho para o deus Destino, também vos destinarei à espada, e todos vos encurvareis à matança; porquanto chamei, e não respondestes, falei, e não atendestes; mas fizestes o que é mau perante mim e escolhestes aquilo em que eu não tinha prazer. " Is 65.8–12.

Novamente, Deus, no original, usa o suco fresco recém-extraído na primeira sentença e na segunda se refere a uma oferta de libação, como nas que ordenou ao povo que fizessem para O adorar. Ou seja, Deus, em analogia, usa os remanescentes do povo como cachos de uva bons em meio a uma safra ruim de uvas; onde Ele não destruiria a todos pela sua qualidade boa para extrair suco bom desses cachos. Em contraste, Ele faz menção aos demais que se apartaram do Senhor para adorar outros deuses com libações semelhantes às que deveriam ser oferecidas a Deus. Deus tentou os corrigir e chamar atenção até conseguirem sobre si uma sentença de morte! Eram bêbados, viciados e idólatras contumazes contra o Senhor! Temos em Isaías muitas repreensões contra todos, de pequenos a grandes do povo, que se afundavam no vício das bebidas e chegavam ao cúmulo da idolatria. 

Jeremias

Abismo após Abismo

Em Jeremias, temos ainda Deus alertando e confirmando que traria juízo contra o povo, de forma que ficariam como bêbados confusos que se atiram uns contra os outros. Já assistiu àqueles filmes onde sempre rolava uma briga de bar e todos se espancavam sem aparente motivo? Bem, isso. Deus, de fato, trouxe tão grande confusão por parte dos babilônios que o povo ficou estarrecido e decepcionado por serem massacrados, espoliados os bens e levados em cativeiro por 70 anos! Tudo isso, Ele cumpriu conforme todas as palavras que proferiu. A analogia coube perfeitamente no que aconteceria com Israel, já que realmente todo bêbado entra em estado de confusão e mal sabe o caminho de casa, até mesmo. 

"Pelo que dize-lhes esta palavra: Assim diz o SENHOR, Deus de Israel: Todo jarro se encherá de vinho; e dir-te-ão: Não sabemos nós muito bem que todo jarro se encherá de vinho? Mas tu dize-lhes: Assim diz o SENHOR: Eis que eu encherei de embriaguez a todos os habitantes desta terra, e aos reis que se assentam no trono de Davi, e aos sacerdotes, e aos profetas, e a todos os habitantes de Jerusalém. Fá-los-ei em pedaços, atirando uns contra os outros, tanto os pais como os filhos, diz o SENHOR; não pouparei, não terei pena, nem terei deles compaixão, para que os não destrua." Jr 13.12–14.

Analogias Depreciativas

Em outra ocasião, Jeremias se compara a um bêbado profundamente embriagado que mal se sustenta de pé e fica todo mole e incapaz de se mover pelas palavras de maldição da parte de Deus. O povo estava completamente perdido e desviado para beberem sem limites, corromperem as leis, adulterarem e cometerem idolatria e sacrilégios na casa de Deus! Infelizmente, não se limita a esse tempo as profanações na casa de Deus. Vivi para presenciar pessoas assim em começo de decadência, tentarem manter as aparências, mas não se guardando perante o Senhor e chegando a um final de morte espiritual e física. O Senhor denuncia tristemente que os profetas e sacerdotes estão contaminados! Claro que não eram todos e Deus sempre faz distinção entre uns e outros. 

 "Acerca dos profetas. O meu coração está quebrantado dentro de mim; todos os meus ossos estremecem; sou como homem embriagado e como homem vencido pelo vinho, por causa do SENHOR e por causa das suas santas palavras. Porque a terra está cheia de adúlteros e chora por causa da maldição divina; os pastos do deserto se secam; pois a carreira dos adúlteros é má, e a sua força não é reta. Pois estão contaminados, tanto o profeta como o sacerdote; até na minha casa achei a sua maldade, diz o SENHOR."  Jr 23.9–11.

Cálice da Ira de Deus

Deus estende as ameaças de juízo contra todos os povos além de Israel e usa novamente a analogia do bêbado quando se embriaga extremamente ao ponto de tremerem, perderem o juízo. Eles vomitam e caem sem ter quem os consiga levantar novamente. Assim ficariam os povos perante o Senhor com seu juízo por espada. Cabe uma pergunta para pessoas inteligentes... Essa analogia de ébrios sofrendo com sua bebedeira sendo usada por Deus para ilustrar seus juízos, pode ser vista como uma coisa notável, boa e proveitosa ou depreciativa demais? Pense e, observando os bêbados ao seu redor, entenda que não há nada lindo e nobre em bêbados fazendo tudo isso. Deus tomou esse exemplo como algo ruim para se refletir e chegar à conclusão de que o povo com certeza sofreria pela sua espada e sentenças! Pobre bêbado, se tornou um péssimo exemplo e em nossos dias ainda se torna um meme infelizmente.

"Porque assim me disse o SENHOR, o Deus de Israel: Toma da minha mão este cálice do vinho do meu furor e darás a beber dele a todas as nações às quais eu te enviar. Para que bebam, e tremam, e enlouqueçam, por causa da espada que eu enviarei para o meio delas. Recebi o cálice da mão do SENHOR e dei a beber a todas as nações às quais o SENHOR me tinha enviado: a Jerusalém, às cidades de Judá, aos seus reis e aos seus príncipes, para fazer deles uma ruína, objeto de espanto, de assobio e maldição, como hoje se vê; a Faraó, rei do Egito, a seus servos, a seus príncipes e a todo o seu povo; a todo misto de gente, a todos os reis da terra de Uz, a todos os reis da terra dos filisteus, a Asquelom, a Gaza, a Ecrom e ao resto de Asdode; a Edom, a Moabe e aos filhos de Amom; a todos os reis de Tiro, a todos os reis de Sidom e aos reis das terras dalém do mar; a Dedã, a Tema, a Buz e a todos os que cortam os cabelos nas têmporas; a todos os reis da Arábia e todos os reis do misto de gente que habita no deserto; a todos os reis de Zinri, a todos os reis de Elão e a todos os reis da Média; a todos os reis do Norte, os de perto e os de longe, um após outro, e a todos os reinos do mundo sobre a face da terra; e, depois de todos eles, ao rei da Babilônia. Pois lhes dirás: Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Bebei, embebedai-vos e vomitai; caí e não torneis a levantar-vos, por causa da espada que estou enviando para o vosso meio. Se recusarem receber o cálice da tua mão para beber, então, lhes dirás: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Tereis de bebê-lo. Pois eis que na cidade que se chama pelo meu nome começo a castigar; e ficareis vós de todo impunes? Não, não ficareis impunes, porque eu chamo a espada sobre todos os moradores da terra, diz o SENHOR dos Exércitos."  Jr 25.15–29.

Abundância Futura de Colheitas

Novamente, Deus também faz menção ao futuro de restauração para os remanescentes que, liberados do cativeiro, viriam com alegria desfrutar das bençãos do Senhor que incluem cereal, azeite, crias de gado e ovelhas e também vinho. Claro que sempre vou conferir o que está por trás de cada palavra e, como imaginei, a menção aqui no original se refere ao suco puro da videira extraído fresco e não ao vinho fermentado como bebida intoxicante. Novamente alerto para buscarem ferramentas que auxiliem melhor na busca mais profunda pelos significados além do nosso português limitado e superficial nas traduções. Basta usar qualquer ferramenta baseada no dicionário Strong. Eu uso sempre o que tenho instalado em meu celular. 

"Porque o SENHOR redimiu a Jacó e o livrou da mão do que era mais forte do que ele. Hão de vir e exultar na altura de Sião, radiantes de alegria por causa dos bens do SENHOR, do cereal, do vinho, do azeite, dos cordeiros e dos bezerros; a sua alma será como um jardim regado, e nunca mais desfalecerão."  Jr 31.11–12.

Exemplo dos Recabitas

E agora, com vocês, um dos trechos preciosos para todo cristão liberto que conhece as Escrituras e sente prazer em toda verdade que vem delas. Eu sempre cito essa família exemplar em minhas conversas, ensinos e debates com quem tenta defender essa porta de entrada para vícios nocivos e destrutivos. Com vocês, a família de Recabe! A partir de Jonadabe, filho de Recabe, todos os filhos, netos e esposas guardaram seus mandamentos, incluindo o de nem terem vinhas e muito menos beberem vinho fermentado. Jeremias foi convidado a levar os recabitas nos átrios da casa de Deus e oferecer a eles vinho fermentado, e eles se recusaram. Deus então os elogiou pela obediência ao seu pai e lançou em rosto o quanto buscou a obediência do povo que dia e noite insistiam em não dar ouvidos. Usou essa família de forma honrosa como exemplo de obediência e os abençoou; e para o povo rebelde e beberrão, confirmou a sentença que proferiu contra eles por cada profeta como Jeremias! 

"Palavra que do SENHOR veio a Jeremias, nos dias de Jeoaquim, filho de Josias, rei de Judá, dizendo:  Vai à casa dos recabitas, fala com eles, leva-os à Casa do SENHOR, a uma das câmaras, e dá-lhes vinho a beber. Então, tomei a Jazanias, filho de Jeremias, filho de Habazinias, aos irmãos, e a todos os filhos dele, e a toda a casa dos recabitas; e os levei à Casa do SENHOR, à câmara dos filhos de Hanã, filho de Jigdalias, homem de Deus, que está junto à câmara dos príncipes e sobre a de Maaseias, filho de Salum, guarda do vestíbulo; e pus diante dos filhos da casa dos recabitas taças cheias de vinho e copos e lhes disse: Bebei vinho. Mas eles disseram: Não beberemos vinho, porque Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, nos ordenou: Nunca jamais bebereis vinho, nem vós nem vossos filhos; não edificareis casa, não fareis sementeiras, não plantareis, nem possuireis vinha alguma; mas habitareis em tendas todos os vossos dias, para que vivais muitos dias sobre a terra em que viveis peregrinando. Obedecemos, pois, à voz de Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, em tudo quanto nos ordenou; de maneira que não bebemos vinho em todos os nossos dias, nem nós, nem nossas mulheres, nem nossos filhos, nem nossas filhas; nem edificamos casas para nossa habitação; não temos vinha, nem campo, nem semente. Mas habitamos em tendas, e, assim, obedecemos, e tudo fizemos segundo nos ordenou Jonadabe, nosso pai.  Quando, porém, Nabucodonosor, rei da Babilônia, subia a esta terra, dissemos: Vinde, e refugiemo-nos em Jerusalém, por causa do exército dos caldeus e dos siros; e assim ficamos em Jerusalém. 

Então, veio a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Vai e dize aos homens de Judá e aos moradores de Jerusalém: Acaso, nunca aceitareis a minha advertência para obedecerdes às minhas palavras? —diz o SENHOR. As palavras de Jonadabe, filho de Recabe, que ordenou a seus filhos não bebessem vinho, foram guardadas; pois, até ao dia de hoje, não beberam; antes, obedecem às ordens de seu pai; a mim, porém, que, começando de madrugada, vos tenho falado, não me obedecestes. Começando de madrugada, vos tenho enviado todos os meus servos, dizendo: Convertei-vos agora, cada um do seu mau caminho, fazei boas as vossas ações e não sigais a outros deuses para servi-los; assim ficareis na terra que vos dei a vós outros e a vossos pais; mas não me inclinastes os ouvidos, nem me obedecestes a mim. Visto que os filhos de Jonadabe, filho de Recabe, guardaram o mandamento de seu pai, que ele lhes ordenara, mas este povo não me obedeceu, por isso, assim diz o SENHOR, o Deus dos Exércitos, o Deus de Israel: Eis que trarei sobre Judá e sobre todos os moradores de Jerusalém todo o mal que falei contra eles; pois lhes tenho falado, e não me obedeceram, clamei a eles, e não responderam. À casa dos recabitas disse Jeremias: Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Pois que obedecestes ao mandamento de Jonadabe, vosso pai, e guardastes todos os seus preceitos, e tudo fizestes segundo vos ordenou, por isso, assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Nunca faltará homem a Jonadabe, filho de Recabe, que esteja na minha presença."  Jr 35.1–19.

Sempre destaco nesse texto como Deus a tudo observa com olhar atento e profundo. Ele usou essa família que conhecia muito bem e nos serve de exemplo também no que diz respeito a ouvir nossos pais no que for bom e especificamente em não cairmos nos erros dos judeus beberrões de entrar no vinho. E como dizem sempre por aí: "É melhor prevenir do que remediar." Melhor trabalhar com doutrinas e ensinos preventivos do que depois perder tempo com curativos. Melhor nem plantar uma vinha, do que embebedar-se, perder a noção e se desviar da fé, perder até a vida! Ou não conhece alguém que trilhou tais caminhos semelhante ao povo de Deus? Vai ter com os recabitas crente!
Remanescentes e Videiras

Após a sentença cair sobre eles, muitos foram deportados para a Babilônia e permaneceram lá por 70 anos, enquanto outros mais pobres dentre o povo, ficaram na terra cuidando de tudo que restou e governados por Gedalias, que foi escolhido pelo rei da Babilônia. Outros judeus que estavam espalhados em outras nações, voltaram para lá e seguiam suas vidas em obediência aos babilônicos conforme Deus havia mandado para que vivessem. Como forma de cultura, eles não abandonaram o cultivo de videiras e tocaram suas vidas, já que era parte do que eles faziam e cultivavam, afinal. Estes que obedeceram ficaram livres, em suas terras e colhendo em abundância os frutos da terra. 

"Gedalias, filho de Aicão, filho de Safã, jurou a eles e aos seus homens e lhes disse: Nada temais da parte dos caldeus; ficai na terra, servi ao rei da Babilônia, e bem vos irá. Quanto a mim, eis que habito em Mispa, para estar às ordens dos caldeus que vierem a nós; vós, porém, colhei o vinho, as frutas de verão e o azeite, metei-os nas vossas vasilhas e habitai nas vossas cidades que tomastes. Da mesma sorte, todos os judeus que estavam em Moabe, entre os filhos de Amom e em Edom e os que havia em todas aquelas terras ouviram que o rei da Babilônia havia deixado um resto de Judá e que havia nomeado governador sobre eles a Gedalias, filho de Aicão, filho de Safã; então, voltaram todos eles de todos os lugares para onde foram lançados e vieram à terra de Judá, a Gedalias, a Mispa; e colheram vinho e frutas de verão em muita abundância." Jr 40.9–12.

Moabe, O Vinho em Descanso

Moabe, descendente de Ló no caso do incesto por parte de suas filhas, esteve tranquilo desde seu nascimento e viveu por longos séculos, mesmo dando dores de cabeça para Israel em suas peregrinações pelas terras; como se fosse o vinho fresco ou suco da uva repousando em um odre, ou barril de modo a conservar seu sabor; até que Deus os traria a juízo no tempo certo determinado por ele e Jeremias é usado para emitir esse alerta. E ainda usa a casa de Israel como exemplo quando cita a confiança dos moabitas no seu deus Quemos. Israel também confiou cega e religiosamente em Betel e pereceu por seus pecados. 

"Despreocupado esteve Moabe desde a sua mocidade e tem repousado nas fezes do seu vinho; não foi mudado de vasilha para vasilha, nem foi para o cativeiro; por isso, conservou o seu sabor, e o seu aroma não se alterou. Portanto, eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que lhe enviarei trasfegadores, que o trasfegarão; despejarão as suas vasilhas e despedaçarão os seus jarros. Moabe terá vergonha de Quemos, como a casa de Israel se envergonhou de Betel, sua confiança." Jr 48.11–13.
"Tirou-se, pois, o folguedo e a alegria do campo fértil e da terra de Moabe; pois fiz cessar nos lagares o vinho; já não pisarão uvas com júbilo; o júbilo não será júbilo." Jr 48.33.

"Fezes" não seria uma tradução contextual acertada, já que temos também "borra" por baixo do nosso português. E como "borra" tem mais conexão com a analogia com o vinho, presumo que foi mais uma bola fora de tradução que não consiste em heresia. Uma simples aprofundada e entendemos o que aconteceu. Mas a analogia que Deus usou retrata o repouso do suco das uvas até ganharem o sabor do vinho fermentado. E como mostram nos filmes, quanto mais "tranquilo" o vinho fica e envelhecido, mais saboroso para os que apreciam. Que não é o meu caso. 

Babilônia, o Copo de Deus

Em mais uma analogia nada agradável, mas de causar temores, Deus associa a Babilônia que massacrou e escravizou o povo de Israel a seu copo de vinho efervescente de embebedar as nações! 

"A Babilônia era um copo de ouro na mão do SENHOR, o qual embriagava a toda a terra; do seu vinho beberam as nações; por isso, enlouqueceram."  Jr 51.7.

Deus agora promulga a sentença da Babilônia pelos seus excessos contra o seu povo no caso do cativeiro. Eles tinham o papel de castigar o povo de Deus, apenas e excederam, massacrando a muitos sem que Deus ordenasse, e isso lhes rendeu também um castigo por parte dos medos e dos persas. Antes disso, Deus revela como eram como um cálice de ouro em suas para embebedar as nações e as enlouquecerem de pavor e terror mediante seu poder dominador. Mas se exaltaram contra o Senhor e cometeram abuso de autoridade contra os povos e por isso seriam também julgados por Deus, o Rei dos reis. 

Ezequiel

Troca de Mercadorias

Através do profeta Ezequiel, Deus fala com Tiro sobre seus pecados e suas riquezas e como as nações, nesse tempo, negociavam com frequência suas mercadorias com eles, incluindo Damasco, que lhes enviava vinho de Helbom e lã de Saar. Esse texto nos esclarece que a comercialização de vinhos era também um meio de vida entre as nações que tinham essa cultura. 

"Damasco negociava contigo, por causa da multidão das tuas manufaturas, por causa da abundância de toda sorte de riquezas, dando em troca vinho de Helbom e lã de Saar." Ez 27.18.

Deveres dos Sacerdotes

Ao que tudo indica, essas advertências acabaram sendo completamente ignoradas pelos sacerdotes que se perderam no consumo do vinho, como vimos anteriormente. Entenda que nessa ocasião, eles estavam já na Babilônia e Deus lhes cobrava novamente que obedecessem aos mandamentos que estavam sendo renovados e outros repetidos, como no caso deste que vimos no livro de Levítico que seria um "estatuto perpétuo". Alguém pode tentar justificar novamente que isso era válido somente para o "átrio interior", mas aprendamos a avaliar melhor todas as evidências teológicas e considerar também as verdades notórias exploradas até aqui. 

"Nenhum sacerdote beberá vinho quando entrar no átrio interior."  Ez 44.21.

Eu particularmente temeria até dar uma golada em qualquer departamento e divisão do santuário de Deus! Mas infelizmente, hoje em dia, as pessoas perdem o temor e usam desde mascar chicletes na casa de Deus e até irem abastecidos, chupando balinhas para encobrir o hálito de cerveja e manter as aparências em igrejas sérias que tentam prevenir que as ovelhas caiam em ciladas e vícios nocivos. Estes já perderam o foco de serem santos como o Senhor é santo... Que a justiça de Deus não nos consuma em nossos desvarios! 

Daniel

Jovens Exemplares

Outros admiráveis exemplos que temos foram os jovens Daniel, Misaías, Azarias e Hananias, que, estando cativos na Babilônia, com toda sua vida bagunçada, longe do lar e do esquema de adoração em Jerusalém destruído, se mantiveram crentes em Deus e fiéis aos seus mandamentos e ensinamentos. Perante os manjares e iguarias do rei, eles preferiram optar por comer apenas legumes e rejeitaram até mesmo seu vinho fermentado. Alguns teólogos contextualizam essa decisão com a idolatria tamanha que havia na Babilônia e por suspeitarem dessas iguarias serem oferecidas antes aos deuses pagãos de lá e acho satisfatória essa explicação; mas tenho comigo, mediante todas as evidências e experiências registradas nas Escrituras até aqui, que essa tal contaminação, talvez tivesse a ver também com a glutonaria e bebedeiras advindas de tanta comida que poderiam sucumbir e pecar. 

"Determinou-lhes o rei a ração diária, das finas iguarias da mesa real e do vinho que ele bebia, e que assim fossem mantidos por três anos, ao cabo dos quais assistiriam diante do rei. Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se. Ora, Deus concedeu a Daniel misericórdia e compreensão da parte do chefe dos eunucos. Com isto, o cozinheiro chefe tirou deles as finas iguarias e o vinho que deviam beber e lhes dava legumes. Ora, a estes quatro jovens Deus deu o conhecimento e a inteligência em toda cultura e sabedoria; mas a Daniel deu inteligência de todas as visões e sonhos." Dn 1.5,8,9,16,17.

De qualquer forma, temos nesses jovens um lindo exemplo de abstinência para a glória de Deus e no que isso resultou da parte de Deus para eles. Deus deu graça perante o chefe dos eunucos que atendeu o desejo deles; deu a eles conhecimento, inteligência em toda cultura e sabedoria e ainda a Daniel, inteligência de todas as visões e sonhos! Sem contar que eles ficaram mais saudáveis e admiráveis se comparados com os demais jovens que com eles viviam e comiam dessas iguarias e bebiam vinho! Vale sempre a pena escolher o melhor para a glória de Deus e servir em temor e santidade! Ele sempre se mostrará em nosso favor quanto tomarmos decisões sábias, obedecendo sua vontade. Permaneceram sóbrios e saudáveis perante Deus e a todos. Tinham tudo para se corromper, mas não o fizeram.

A Profanação de Belsazar

Outro exemplo terrível aconteceu com o herdeiro de Nabucodonosor, o rei Belsazar, que em uma de suas festas regadas a vinho, ele não contente, resolveu cometer uma profanação, ignorando as consequências e tomando dos utensílios da Casa de Deus que seu pai trouxe de Jerusalém, os encheu de vinho e bebeu num gesto de adoração aos seus deuses pagãos. Eis um belo contexto para explicar uma das razões pelas quais Daniel e seus amigos evitaram consumir os manjares do rei. Nessa ocasião, ele extrapolou (como qualquer bêbado) e provocou a ira do Senhor, ao ponto de ter seu reino dividido entre os medos e os persas!  


"O rei Belsazar deu um grande banquete a mil dos seus grandes e bebeu vinho na presença dos mil.  Enquanto Belsazar bebia e apreciava o vinho, mandou trazer os utensílios de ouro e de prata que Nabucodonosor, seu pai, tirara do templo, que estava em Jerusalém, para que neles bebessem o rei e os seus grandes, as suas mulheres e concubinas. Então, trouxeram os utensílios de ouro, que foram tirados do templo da Casa de Deus que estava em Jerusalém, e beberam neles o rei, os seus grandes e as suas mulheres e concubinas. Beberam o vinho e deram louvores aos deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra." Dn 5.1–4.


Deus estava vendo tudo de seu trono Soberano! Ele julgou Belsazar por sua profanação, idolatria e arrogância naquela mesma noite com a morte. Logo depois, a Babilônia foi invadida mesmo sendo uma das cidades mais bem protegidas de então e acabou ali a sua glória e domínio. Daniel, com o dom que Deus lhe havia confiado, foi quem interpretou a mensagem de Deus escrita por uma mão na parede. Com Deus não se brinca, não se abusa ou se faz qualquer desafio sem uma resposta corretiva e justa. Não devemos misturar o sagrado ao profano e muito menos desmerecer o que foi santificado ao Senhor! Isso que dá beber vinho nos utensílios sagrados ao Senhor e ainda num gesto de adoração pagã e irreverente! 

"Tu, Belsazar, que és seu filho, não humilhaste o teu coração, ainda que sabias tudo isto. E te levantaste contra o Senhor do céu, pois foram trazidos os utensílios da casa dele perante ti, e tu, e os teus grandes, e as tuas mulheres, e as tuas concubinas bebestes vinho neles; além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não veem, não ouvem, nem sabem; mas a Deus, em cuja mão está a tua vida e todos os teus caminhos, a ele não glorificaste. Então, da parte dele foi enviada aquela mão que traçou esta escritura. Esta, pois, é a escritura que se traçou: MENE, MENE, TEQUEL e PARSIM. Esta é a interpretação daquilo: MENE: Contou Deus o teu reino e deu cabo dele.  TEQUEL: Pesado foste na balança e achado em falta. PERES: Dividido foi o teu reino e dado aos medos e aos persas." Dn 5.22–28.

Daniel e a Visão

Segundo esse texto, Daniel nesses dias, após ter uma visão forte e profunda, se absteve de muitas coisas rotineiras; inclusive de beber seu vinho e fermentar, segundo o hebraico. Mas antes que alguém se pronuncie e comece a tomar Daniel como exemplo de bebedeiras, o texto não reforça que ele perdia o controle se embriagando. Como era costume deles, realmente bebiam vinho em suas refeições e ocasiões diversas especiais. O vinho era parte da alimentação deles, como seria para mim um suco de laranja aqui em casa. Mas não há como justificar esse texto dizendo que Daniel não bebia nada, que o período de abstinência dessa vez foi de três semanas. Ele se absteve até passarem essas três semanas. 

"No terceiro ano de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome é Beltessazar; a palavra era verdadeira e envolvia grande conflito; ele entendeu a palavra e teve a inteligência da visão.    Naqueles dias, eu, Daniel, pranteei durante três semanas. Manjar desejável não comi, nem carne, nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com óleo algum, até que passaram as três semanas inteiras."  Dn 10.1–3.

Confesso que as perguntas fluem em minha mente. Ele já não via problemas em beber o vinho da Babilônia como antes? Visto que já estava bem avançado em idade nesses dias, ou ele bebia com uma moderação severa e muito controlada apenas em determinadas ocasiões, como faziam os judeus que bebiam moderadamente? Não temos tal resposta, mas percebemos que ele ainda era usado por Deus e recebia revelações profundas do Senhor. De qualquer forma, ele era um judeu com costume judeu vivendo nestes reinos estrangeiros.

Oséias

Vinho Profano a Baal

Voltando aos dias de Oseias, onde a corrupção também reinava em Judá. Nesses dias, Israel se dividia em dois reinados, com 10 tribos ao norte e 2 tribos ao sul. As 10 tribos eram chamadas de Jerusalém e as 2 tribos ao sul, chamadas de Judá. Todas elas se corromperam e foram sentenciadas a castigos da parte de Deus, sendo dispersas entre os povos ou levados cativos, até que se desfizeram como nação com o decorrer dos anos, desobedecendo ao Senhor. Mas vemos neste texto que o Senhor cumpre suas promessas desde Deuteronômio que abençoaria ou amaldiçoaria as lavouras deles, conforme se portassem perante seus mandamentos. E após anos agindo de forma rebelde, Deus liberou sua ira e reteve as bençãos que faziam o trigo e as vides produzirem em abundância. 

"Ela, pois, não soube que eu é que lhe dei o trigo, e o vinho, e o óleo, e lhe multipliquei a prata e o ouro, que eles usaram para Baal. Portanto, tornar-me-ei, e reterei, a seu tempo, o meu trigo e o meu vinho, e arrebatarei a minha lã e o meu linho, que lhe deviam cobrir a nudez."  Os 2.8–9.

 

O povo estava agindo de forma profana e ingrata, usando das bençãos de Deus para adoração a Baal! Mais um famoso caso de benção que se torna maldição por imprudência e desvio de propósito. Ressaltando que aqui Deus se refere também ao suco recém-extraído das uvas no original. Eles usavam o que a terra produzia sob as bençãos de Deus para adorar outro deus. 

Vinho e Sensualidade

Já é comprovado pela ciência que o vinho é capaz de interferir na libido feminina e também auxiliar na disfunção erétil nos homens. Isso explicaria o porquê de muitos dentre o povo de Judá se perderem também na sensualidade. Ao que tudo indica, eles se perderam pelos caminhos da bebedeira e perderam a noção de tudo e passaram a cometer outras transgressões, como relatado pelo próprio Senhor mediante Oseias. Novamente, desde os simples do povo até os sacerdotes do Deus Altíssimo, eles estavam completamente escravizados pelo pecado que os dominava: vinho e sensualidade! 


"Por isso, como é o povo, assim é o sacerdote; castigá-lo-ei pelo seu procedimento e lhe darei o pago das suas obras. Comerão, mas não se fartarão; entregar-se-ão à sensualidade, mas não se multiplicarão, porque ao SENHOR deixaram de adorar.  A sensualidade, o vinho e o mosto tiram o entendimento." Os 4.9–11.

 

O termo para "sensualidade" no original em alguns versículos são pesados e indicam desde fornicação (sexo entre solteiros), até prostituição cultual! Obviamente, o vinho aqui é o fermentado. Observe o nível que pessoas viciadas podem chegar! Tudo é questão de tempo! E sempre crerei que começaram pelo "socialmente", "como de costume", "tradicionalmente". Deus os condenou por ambas as transgressões e ainda deixou claro que não somente a sensualidade, mas também o vinho fermentado e o vinho fresco recém-extraído tiravam o entendimento de quem se embaraçasse com essas coisas! Sim, no original, em "vinho" e "mosto", Deus fala tanto do vinho novo sem fermentar e do vinho fermentado! Até porque, os que amam "beber socialmente" com vinhos leves podem se perder nas quantidades mais cedo ou mais tarde e se embriagarem. Deus é a fonte de toda a sabedoria! Prestemos atenção! 

Reis e Príncipes Adúlteros

Deus, ainda falando pelo profeta Oseias, chama a atenção para as condições dos reis e príncipes que eram todos adúlteros e andavam sempre excitados como um "forno acesso pelo padeiro". Os príncipes enchiam a cara e ficavam excitados e perdiam a noção ao ponto de se unirem aos escarnecedores. Coisa que Deus nos recomenda a evitar: "Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios,
  Não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores." Salmos 1:1 

"Todos eles são adúlteros: semelhantes ao forno aceso pelo padeiro, que somente cessa de atiçar o fogo desde que sovou a massa até que seja levedada. No dia da festa do nosso rei, os príncipes se tornaram doentes com o excitamento do vinho, e ele deu a mão aos escarnecedores." Os 7.4–5.

Infelizmente, é assim ou pior quando servos de Deus se perdem nas veredas da embriaguez. Tudo é possível na mente daqueles que, excitados pelo vinho, alegres nas bebidas fortes, se sentem ousados, abusados, heróis e vilões para cometerem de torpezas a traições e assassinatos! Não há homem grande ou pequeno! Forte ou fraco! Todos sucumbem por meio de sua natureza pecaminosa e viciada! Não podemos vacilar! Nem justificar os vícios e pecados que estão bem diante de nossos olhos, nos atraindo! Se já fomos libertos, fujamos o mais depressa possível! Evitemos cair em desgraça e transgressões! Observemos com atenção a vida dos que nessas coisas tropeçam; consideremos os homens que caíram em desgraça e, antes de tudo isso, guardemos os mandamentos do nosso Deus! 

Glutonaria e Bebedeira

Esta é outra séria advertência e revelação da parte de Deus quanto aos pecados do povo. Eles só queriam saber de comer e beber desenfreadamente e tudo que buscavam era isso desde que acordavam. Se ajuntavam apenas para comer e beber e não para buscar ao Senhor de coração. Não é um cenário muito diferente do que vemos atualmente, quando em nossa prosperidade concedida por Deus, só queremos saber de ostentar, comer, beber e faltar nos cultos de adoração a Deus. Preferimos nossos deleites e momentos de lazer e prazer do que cultuar ao Senhor de coração e clamar a ele em oração. Assim estavam os habitantes de Judá. 

"Não clamam a mim de coração, mas dão uivos nas suas camas; para o trigo e para o vinho se ajuntam, mas contra mim se rebelam." Os 7.14. 

Note que nada passava desapercebido diante dos olhos de Deus que tudo contempla. Eu já presenciei muitos cristãos tentando beber em segredo e já passaram por várias situações embaraçosas com flagrantes que o próprio Deus permitia para os alertar, mas eles continuavam no seu vício. Espero que não caiam em perdição como outros exemplos. Deus tenha misericórdia de nós em nossa libertinagem e pretextos vãos para buscar apenas o que nos dá prazer carnal e egoísta. 

Castigo e Privações contra Israel

Essa é uma das sentenças mais tristes dentre todas que o profeta Oseias proferiu, porque Israel, embora estivesse transgredindo, ainda se fiavam e gloriavam em tudo quanto haviam recebido de Deus; mas parece que isso lhes trouxe a autoconfiança, relaxo e facilitando foram dominados por sua natureza pecaminosa. Eles perderiam o trigo e vinho que produziam até então, seriam arrancados da terra que Deus prometeu a eles por herança, e presenciariam sacrifícios pagãos que os incomodariam, comeriam pão de pranteadores, que era um pão que se comia em velórios e estaria imundo cerimonialmente, porque estava próximo do morto; (Dt 26:14), depois do enterro as pessoas se reuniam para comerem esse pão. 

"Não te alegres, ó Israel, não exultes, como os povos; porque, com prostituir-te, abandonaste o teu Deus, amaste a paga de prostituição em todas as eiras de cereais. A eira e o lagar não os manterão; e o vinho novo lhes faltará. Na terra do SENHOR, não permanecerão; mas Efraim tornará ao Egito e na Assíria comerá coisa imunda. Não derramarão libações de vinho ao SENHOR, nem os seus sacrifícios lhe serão agradáveis; seu pão será como pão de pranteadores, todos os que dele comerem serão imundos; porque o seu pão será exclusivamente para eles e não entrará na Casa do SENHOR." Os 9.1–4.

Que tristeza para aqueles que tudo tinham da parte de Deus, que os conduziu desde o Egito e os abençoou conforme cada promessa enquanto eram fiéis! Vigiemos para não menosprezarmos as bençãos de Deus mesmo em tempos de graça incompreensível e abusando da mesma, testar a paciência de Deus com nossos atos. Eles, que se enchiam de vinho até perderem o respeito próprio, agora não ofereciam mais suas libações com vinho ao Senhor e muito menos veriam seus lagares transbordando de vinho novo! 

Joel

Deus Desperta os Bêbados

Através do profeta Joel, Deus deixa claro que os beberrões daqueles dias seriam "desmamados" do vinho em que se embriagavam e faz menção, no original, tanto ao vinho fermentado, quanto ao vinho doce nas expressões "vinho" e "mosto". Aqui está um grande divisor de águas nessa questão de quantos tipos de vinho existiam e se todas as traduções "vinho" trazem a mesma tradução. Na verdade, não, e o próprio Deus separava ambos os tipos de bebida, deixando bem esclarecido que tanto o vinho fermentado, quanto o vinho doce, causavam embriaguez e lhes seria tirado. Já deixou um ébrio em abstinência por um determinado tempo? Ele pira! Fica fora de si e falta chorar por bebida! Deus ainda tenta despertar esses bêbados que dormiam tranquilamente.

"Ébrios, despertai-vos e chorai; uivai, todos os que bebeis vinho, por causa do mosto, porque está ele tirado da vossa boca."  Jl 1.5.

Situação caótica, humilhante e triste do povo de Deus que se perdeu nesse vício e afundou em outras transgressões ainda piores. Deus nos livre de qualquer pecado que seja, não importando o quanto seja atraente aos olhos e doce ao nosso paladar! 

Bençãos Futuras de Abundância

Deus, como sempre amou os que o amavam, corrigia mesmo com forte mão, mas garantia bençãos animadoras aos que se arrependessem e voltassem para Ele. Mesmo os juízos não andam nem sendo executados, garantiu para o povo que teriam novamente abundância de trigo, azeite e vinho, de modo a transbordar os lagares de tantas uvas! E novamente, a benção e intenção de Deus são para fazer seu povo prosperar e se limita ao suco extraído das uvas. Mas em momento algum temos o próprio Deus induzindo quem quer que seja a fazer bebida alcoólica ou mesmo se embriagar de qualquer forma com qualquer bebida. 

"Então, o SENHOR se mostrou zeloso da sua terra, compadeceu-se do seu povo e, respondendo, lhe disse: Eis que vos envio o cereal, e o vinho, e o óleo, e deles sereis fartos, e vos não entregarei mais ao opróbrio entre as nações. As eiras se encherão de trigo, e os lagares transbordarão de vinho e de óleo." Jl 2.18,19,24.

 

Repito que jamais condenaria as videiras que Deus tão sabiamente criou e muito menos a cultura dos judeus, mas sempre houve o risco de excessos, como vimos até aqui, e as consequências geralmente foram gravíssimas. Como disse para um senhor numa visita ao asilo, respondendo sua pergunta; Deus fez a erva maconha, mas não induziu ninguém a fumar a mesma. Assim funciona com a embriaguez e consumo errado do suco da uva. 

Meninas por Vinho

Mais uma citação e revelação polêmica e assustadora da parte de Deus que tudo vê. Dessa vez, ele cita juízos contra as nações inimigas de Israel e fala como Tiro e Sidom negociavam pessoas e espalhavam assim os filhos de Israel pelas nações. Deus chega a denunciar casos em que os meninos eram trocados por prostitutas e meninas por vinho! A que ponto pode chegar a humanidade? Decadência e ruína por parte dos juízos de Deus é o que resta para quem comete tais coisas terríveis. 

"Lançaram sortes sobre o meu povo, e deram meninos por meretrizes, e venderam meninas por vinho, que beberam." Jl 3.3.

 

No nosso cotidiano, ainda vemos pessoas que fazem de tudo para manter seus vícios. São capazes de investir seu dinheiro honesto e suado em boas doses de bebidas. Eles vendem suprimentos e até trocam diretamente por bebidas. Oferecem mão de obra por pinga e por aí vão. Essas são as condições dos que não temem a Deus e afundam no pecado. 

Amós

Idolatria e Impostos 

Amós também foi um dos profetas sinceros e tementes a Deus que entregou algumas profecias ao povo e Deus fez sérias advertências também. Neste caso, as transgressões estavam desenfreadas e se fala até mesmo de um pai e um filho com uma mesma jovem morando em casa e ambos ainda participavam de cultos pagãos regados a vinho comprado com impostos injustos advindos de multas. Corrupção generalizada em Israel! 
"E se deitam ao pé de qualquer altar sobre roupas empenhadas e, na casa do seu deus, bebem o vinho dos que foram multados." Am 2.8.

É sempre assim, os pecados estão entrelaçados como numa teia e, quando tropeçamos em qualquer um, ficamos presos a várias situações pecaminosas e embaraçosas. Perdeu o temor a Deus, nada mais fará sentido! As pessoas fazem coisas malucas e insanas sem conhecer as Escrituras e isso me refiro também aos ditos servos de Deus que se afastam das verdades bíblicas e entram por caminhos dos mais diversos, e se perdendo. 

Corrompendo os Nazireus

Eles não somente se corrompiam, mas ainda influenciavam outras pessoas, como dar vinho para os nazireus, que deveriam justamente não beber vinho! Pense numa baderna generalizada entre o povo que viu os milagres de Deus, foram livres de diversos perigos e ainda pisaram na terra prometida, sendo o povo criado por Deus dos lombos de Abraão e agora, era isso que faziam.                 

"Dentre os vossos filhos, suscitei profetas e, dentre os vossos jovens, nazireus. Não é isto assim, filhos de Israel? — diz o SENHOR. Mas vós aos nazireus destes a beber vinho e aos profetas ordenastes, dizendo: Não profetizeis."  Am 2.11–12. 

Cuidemos com os que, já dominados por seus vícios, tentem maliciosamente nos arrastar para o mau caminho, de modo a desobedecermos a Deus e cairmos em desgraça e julgamento de Deus. Fuja dos tais e apenas ore para serem libertos e firmes em Cristo. 

Privações de Deus

Deus, por meio de Amós, acusa o povo por seus pecados e novamente libera sentenças contra ele, e uma delas seria a privação de suas vidas normais e tranquilas. Eles seriam arrancados de suas casas e não mais tomariam seu vinho fermentado como estavam fazendo, e se perdendo em transgressões. Outro pecado denunciado por Deus foi o de oprimir e cobrar impostos dos pobres que plantavam em suas próprias terras! 

"Portanto, visto que pisais o pobre e dele exigis tributo de trigo, não habitareis nas casas de pedras lavradas que tendes edificado; nem bebereis do vinho das vides desejáveis que tendes plantado."  Am 5.11.

 

É triste quando Deus precisa nos tirar do nosso contexto pecaminoso e cheio de vícios para aprendermos alguma lição que já sabemos! Eles conheciam a Deus e seus mandamentos, mas ainda assim se afundaram sem temor no que era mau e errado! Deus tenha piedade de nós e nos livre de cair nesses vícios e pecados! 

Sossego do Povo

Mesmo com tantas mensagens de advertência e tantos profetas sendo levantados nas tribos do sul e do norte, o povo estava anestesiado pelos seus prazeres, cegos de entendimento e imaginando que nada lhes aconteceria de fato. Talvez por conta da paciência e benignidade de Deus, que sempre espera um pouco mais até demonstrarmos realmente que não vamos nos arrepender de nossas obras más. Eles estavam tranquilos, abastados, preguiçosos, ricos e desfrutando do seu vinho intoxicante numa vida luxuosa, corrupta e cometendo os mais terríveis pecados vistos aqui. 


"Vós que imaginais estar longe o dia mau e fazeis chegar o trono da violência; que dormis em camas de marfim, e vos espreguiçais sobre o vosso leito, e comeis os cordeiros do rebanho e os bezerros do cevadouro; que cantais à toa ao som da lira e inventais, como Davi, instrumentos músicos para vós mesmos; que bebeis vinho em taças e vos ungis com o mais excelente óleo, mas não vos afligis com a ruína de José." Am 6.3–6.

 

Sempre que servos de Deus enchem seus corações de desejos pecaminosos e contaminam até mesmo sua carne, entorpecendo seus sentidos naturais e espirituais, como o vinho e bebidas fortes, com certeza a corrupção e ruína será a cena seguinte. Ele se perde dos caminhos do Senhor, se atola em transgressões e vive sem limites até mesmo. Até que não reste mais o que fazer, senão a correção do Pai que o ama e quer sóbrio em Sua presença. 

Dias de Restauração

Novamente, Deus profere que restauraria o povo novamente, mantendo Sua palavra fiel e a cumprindo mesmo com todos os eventos em contrário por parte do povo que pecava. Em detalhes, ele fala sobre como a abundância viria sobre eles nas lavouras de trigo e uvas. Seriam colheitas fartas e sequenciais, sem falhas! Então, Ele cita que voltariam a beber seu vinho novamente como de costume. Vinho é uma bebida popular em Israel, com uma história que remonta a milhares de anos. As principais regiões produtoras de vinho em Israel são Galileia, Golã, Samaria, Shomron, Judeia e Negev. Cada uma dessas regiões tem condições climáticas e de solo únicas que afetam o sabor e a qualidade dos vinhos produzidos. Os vinhos israelenses são conhecidos por sua qualidade e variedade.


"Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que o que lavra segue logo ao que ceifa, e o que pisa as uvas, ao que lança a semente; os montes destilarão mosto, e todos os outeiros se derreterão. Mudarei a sorte do meu povo de Israel; reedificarão as cidades assoladas e nelas habitarão, plantarão vinhas e beberão o seu vinho, farão pomares e lhes comerão o fruto."  Am 9.13–14.

 

A região de Samaria é a maior produtora de vinho em Israel e possui clima mediterrâneo, característica que dá aos vinhos israelenses um caráter mais intenso e elegante. As uvas de maior prestígio da região são a Merlot, Sauvignon Blanc, Chardonnay e Cabernet Sauvignon. Alguns dos vinhedos que mais impressionam em Israel estão no deserto de Negev. Sendo assim, temos por lição que Deus realmente cumpriu Suas promessas já em nossos dias para com o seu povo. 

Miqueias

Profetas Bêbados

Em tempos de corrupção generalizada com toda sorte de pecados, incluindo bebedeiras, Deus recomenda aos duros de coração que se alinhem com os que andam como eles e que deem ouvidos aos seus profetas bêbados. É como quem, cansado de aconselhar e alertar contra o mal, se cansa e diz: "Entre por esse caminho! Vá nessa intenção! Siga adiante!", mas sabendo que a pessoa vai se dar mal. Na verdade, isso se constata pelo gesto do povo em ouvir falsos profetas que profetizavam paz quando os sinceros alertavam para a destruição.


"Se houver alguém que, seguindo o vento da falsidade, mentindo, diga: Eu te profetizarei do vinho e da bebida forte, será este tal o profeta deste povo."  Mq 2.11.

 

Devemos provar e examinar todo e qualquer mensageiro e profeta antes de seguir seus conselhos. É sua palavra vinda de Deus mesmo? Tem um bom testemunho onde vive? É bem-visto entre os irmãos em sua comunidade? Como procede diante da sociedade? É dado ao vinho e costumes depreciativos? É preciso tomar cuidado com tais mensageiros sem compromisso real com a verdade e a moralidade que só querem seguir seu coração entorpecido pelo vinho e bebida forte. Não podem ser bons exemplos de espiritualidade e moralidade os que assim procedem. 

Prazeres Interrompidos

Ainda no contexto de corrupção e desordem, Deus usava Miqueias para alertar, sentenciar e animar o povo quanto aos seus pecados presentes, o futuro cativeiro e restauração depois disso. Seu estilo de vida e cultura seriam interrompidos pelo juízo de Deus e parte disso consistia em ter seus bens e produção tomados pelos povos inimigos que Deus suscitava contra eles. Eles pisariam as uvas no lagar, porém não beberiam do seu vinho. Isso realmente aconteceu quando os babilônios, por exemplo, levaram até mesmo os utensílios da Casa de Deus! 

"Semearás; contudo, não segarás; pisarás a azeitona, porém não te ungirás com azeite; pisarás a vindima; no entanto, não lhe beberás o vinho, porque observaste os estatutos de Onri e todas as obras da casa de Acabe e andaste nos conselhos deles. Por isso, eu farei de ti uma desolação e dos habitantes da tua cidade, um alvo de vaias; assim, trareis sobre vós o opróbrio dos povos." Mq 6.15–16.

Tudo devido a todo excesso que cometeram, abrindo portas para pecados cada vez mais grotescos e injustiças inaceitáveis. É a velha máxima de começar com pequenos delitos e vícios e terminar muito mal na vida. O povo começou por algumas taças de vinho e terminaram até profetizando embriagados e receberam uma dura sentença de Deus por isso. Consideremos os exemplos que nos foram escritos!

Naum

Socorro no Vinho

Novamente, Deus usa outro profeta para confirmar as condições lamentáveis do povo e o juízo que viria contra eles. Deus cita os que se saturavam de vinho e como isso não lhes traria conforto e livramento. Isso me traz a lembrança as palavras de Salomão citando os que buscavam no vinho o conforte de suas misérias e angústias; mas aqui era caso contra o Senhor dos Exércitos e não adiantava chorar as mágoas em taças de vinho; porque esse era um dos motivos pelos quais eles pereceriam! 

"Que pensais vós contra o SENHOR? Ele mesmo vos consumirá de todo; não se levantará por duas vezes a angústia. Porque, ainda que eles se entrelaçam como os espinhos e se saturam de vinho como bêbados, serão inteiramente consumidos como palha seca."  Na 1.9–10.

 

É comum, quando em situação de calamidade e desgraças, as pessoas buscarem consolo ou anestésico nas bebidas, como se isso fosse resolver seus problemas e afugentar o mal que os rodeia; mas, na verdade, as coisas só pioram e as desgraças e dores aumentam com os prejuízos. E o que dizer então se o problema for espiritual e com Deus? Busquemos de todo coração chegar a esse nível de queda, em ter a ira do Senhor contra nós! 

O Vinho é Enganoso

Habacuque foi mais um profeta corajoso de Deus que não temia falar a verdade e, em uma dessas profecias, Deus comparou o arrogante com todas as suas características, como o vinho que é enganoso. Para os que encontram dificuldade em entender inferências ou referências indiretas, aqui Deus fala abertamente o que pensa sobre o vinho fermentado no original: "Enganoso".

 "Assim como o vinho é enganoso, tampouco permanece o arrogante, cuja gananciosa boca se escancara como o sepulcro e é como a morte, que não se farta; ele ajunta para si todas as nações e congrega todos os povos."  Hc 2.5. 

 

Cuidemos em não tropeçar nesses vícios de fato enganosos e o fim conhecemos bem qual é; tanto nas páginas sagradas quanto no mundo ao nosso redor. Que seja o vinho e, ainda pior, outras bebidas intoxicantes. Nenhum homem deveria se deixar levar por nenhuma delas. Elas enganam, entorpecem os sentidos, causam ilusões mentais, criam versões de mundo inexistentes, distorcem personalidades, corrompem bons costumes e são portas abertas para demônios tomarem o controle de vidas. Preste atenção ao que Deus sempre diz, pois Ele somente sabe o que fala. 

Sofonias

Pensamentos dos Bêbados

Sofonias também foi chamado nesse contexto de corrupção generalizada para profetizar contra o povo e proferir as sentenças de Deus. Novamente, Deus faz menção dos ébrios em seus castigos e como eram viciados no vinho fermentado e como isso lhes seria tirado. Eles plantariam vinhas no seu castigo, mas não colheriam delas para produzir e beber seu vinho como estavam fazendo. O castigo seria iminente sobre cada pecador viciado e transgressor sem limites.

"Naquele tempo, esquadrinharei a Jerusalém com lanternas e castigarei os homens que estão apegados à borra do vinho e dizem no seu coração: O SENHOR não faz bem, nem faz mal. Por isso, serão saqueados os seus bens e assoladas as suas casas; e edificarão casas, mas não habitarão nelas, plantarão vinhas, porém não lhes beberão o vinho."  Sf 1.12–13.

Que possamos entender de vez que nada passa batido aos olhos do Senhor, e que todo mal acaba em correção divina. E como bem nos alerta a Palavra de Deus em Hebreus: "Mas, se estais sem correção, de que todos se têm tornado participantes, logo, sois bastardos e não filhos." Hebreus 12:8. Se somos filhos de Deus, como declaramos, Ele nos provará e esquadrinhará até o mais profundo de nossos desejos e saberá se há algum vício em nós que precisa ser tratado. Que não tenhamos que chegar ao ápice da correção do Pai e que Ele nos liberte de nossos vícios o mais rápido possível! 

Ageu

Vinhas Infrutíferas

Já nos dias de Amós, Deus castigava o povo com escassez e as vinhas foram afetadas de modo a não dar seu fruto como dantes. Tendo Deus o poder sobre todas as coisas, incluindo a natureza, Ele pode castigar seus filhos também por privações. O povo que se alegrava e sobrevivia do cereal, do azeite e do vinho, agora estava contemplando a seca sobre suas terras; um claro sinal da maldição divina sobre o povo. E essa praga se estendia sobre os homens e animais e tudo quanto eles faziam! Lembrando sempre que tudo isso também são consequências de seus vícios nas bebidas que os corromperam.

"Fiz vir a seca sobre a terra e sobre os montes; sobre o cereal, sobre o vinho, sobre o azeite e sobre o que a terra produz, como também sobre os homens, sobre os animais e sobre todo trabalho das mãos."  Ag 1.11.

Mas em meio a tudo isso, o servo de Deus fiel permanecia sempre glorificando o Senhor e entendo que Ele é justo em todas as suas obras e juízos. E podemos perceber isso na vida do profeta Ageu, quando declarou algo profundo sobre escassez: "Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na videira; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação." Habacuque 3:17,18

Imundícia do Povo

Deus sempre usou a linguagem humana e suas ricas ferramentas para colocar quem quer que seja para pensar e raciocinar e dessa vez, através do profeta Amós, faz com que reflitam nas leis e mandamentos e expõe a forma caótica com que eles estavam levando as coisas. Deus questiona eles sobre como estava escrito no que Ele determinou e deixou claro que coisas santas não santificam coisas imundas, mas coisas imundas contaminavam as coisas santas; logo, eles estavam com toda a sua imundície, contaminando as coisas santas quanto tocavam nelas de qualquer forma! 

"Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Pergunta, agora, aos sacerdotes a respeito da lei: Se alguém leva carne santa na orla de sua veste, e ela vier a tocar no pão, ou no cozinhado, ou no vinho, ou no azeite, ou em qualquer outro mantimento, ficará isto santificado? Responderam os sacerdotes: Não. Então, perguntou Ageu: Se alguém que se tinha tornado impuro pelo contato com um corpo morto tocar nalguma destas coisas, ficará ela imunda? Responderam os sacerdotes: Ficará imunda. Então, prosseguiu Ageu: Assim é este povo, e assim esta nação perante mim, diz o SENHOR; assim é toda a obra das suas mãos, e o que ali oferecem: tudo é imundo." Ag 2.11–14.

 

Aos insensíveis e libertinos que tratam as coisas de Deus de qualquer forma e pensam ficar impunes como se nada fossem, deveria ler sempre as Escrituras para manter aceso o zelo quanto as coisas de Deus e forma como devemos O adorar; pois tratam a Casa de Deus de qualquer forma; se portam com irreverência nos templos de adoração e até ministram e exercem cargos cheios de pecado e imundícia! Deus continua dizendo que o sagrado não os purificará, mas suas imundícias banalizam e profanam o sagrado! O vinho aqui é o fermentado. Deus está lembrando que a carne santificada e oferecida a Ele em sacrifício, que por acaso se apegue nas vestes do sacerdote e toque em outras coisas, como o vinho, não o santificará. Imundo é imundo e santo é santo; não devemos misturar ou confundir as coisas. Às vezes queremos santificar o que Deus não declarou santo! Santifiquemo-nos!

Futura Alegria de Israel

Deus, por Ageu, fala mais sobre o futuro feliz que aguardava Israel e como seriam alegres como aqueles que bebem vinho. Claro que Deus fazia uma analogia se referindo ao vinho; já que sabemos que o vinho é enganoso e passageiro no que diz respeito a trazer alegria ao coração dos homens. Ele termina com a enfática verdade de que o coração de Efraim (do povo) encontra alegria no SENHOR. 

"Os de Efraim serão como um valente, e o seu coração se alegrará como pelo vinho; seus filhos o verão e se alegrarão; o seu coração se regozijará no SENHOR."  Zc 10.7.

Tudo isso é muito verdadeiro e tem tudo a ver com a operação maravilhosa, profunda e incrível de Deus na vida dos homens através do Espírito Santo! Hoje, todo aquele que se achega a Deus e confessa seus pecados, buscando uma nova vida sem vícios e corrupções, recebe de Deus essa alegria maravilhosa, completa, e dura para sempre! Só quem realmente sabe dessas dádivas maravilhosas não busca encontrar alegrias passageiras e banais em outros meios. O apóstolo Paulo faz um convite especial aos cristãos filipenses: "Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos." Filipenses 4:4

Zacarias

Vinho Fermentado e Vinho Novo

Em Zacarias temos mais uma vez essa sutil diferença textual entre o vinho fermentado e o vinho fresco. Basta pesquisar as variações em ambas as palavras e perceber que Deus fala de coisas diferentes em cada caso. Quando se referindo ao juízo contra as nações inimigas de Israel, faz uma metáfora do sangue deles como o vinho fermentado e, ao falar das bençãos sobre seu povo e no tocante às donzelas que floresceriam, cita o vinho novo recém-extraído das uvas. Zacarias profetizava a respeito dos dias finais, onde Deus entraria em confronto direto com as nações inimigas de seu povo. 

"O SENHOR dos Exércitos os protegerá; eles devorarão os fundibulários e os pisarão; também beberão deles o sangue como vinho; encher-se-ão como bacias do sacrifício e ficarão ensopados como os cantos do altar. O SENHOR, seu Deus, naquele dia, os salvará, como ao rebanho do seu povo; porque eles são pedras de uma coroa e resplandecem na terra dele. Pois quão grande é a sua bondade! E quão grande, a sua formosura! O cereal fará florescer os jovens, e o vinho, as donzelas." Zc 9.15–17.

 

Em todos os textos analisados até aqui, podemos perceber a clara distinção nessa variedade de "vinhos" que o nosso português não conseguiu retransmitir de forma concisa, causando essa confusão na mente dos menos estudados nas Escrituras e tratando tudo como se fosse o mesmo, quando, na verdade, há um jogo de palavras no original que considerando o contexto completo de toda Escritura, aprendemos a discernir que Deus condena todo excesso de vinhos leves e mesmo o vinho fermentado como sendo enganosos. Ambos podem iludir e corromper o coração dos homens e isso é fato ainda conferido em nossos dias. E volto a reafirmar que não estou queimando vinhas e muito menos condenando os benefícios dos vinhos; aprendi a separar as coisas. 

Evangelhos: Mateus, Marcos, Lucas e João

Chegamos ao Novo Testamento e, como diversos eventos se repetem a partir da ótica de cada personagem que escreveu suas histórias, vou resumir os textos aproveitando cada detalhe em todas as passagens encontradas sobre o assunto. 

Parábola do Vinho

Depois de uma leve explanação no processo de produção de vinhos na metáfora de Jó em seu sofrimento, temos nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo falando mais sobre ele por meio de parábolas. Questionado por que seus discípulos não jejuavam como os discípulos de João, ele respondeu por meio do método correto de fabricação de vinhos da época. Não era costume e muito menos correto colocar vinho novo em odres velhos e sim em novos. Os odres novos envelheceriam juntamente com o vinho que sofria o processo de fermentação. Percebe-se que muitos tinham preferência pelos vinhos mais envelhecidos. Se um vinho fosse colocado erroneamente em odres já usados, poderia romper no meio do processo e se perder tanto o vinho quanto o odre! Essas passagens são mais educativas e a instrução recai sobre o jejum.

"Nem se põe vinho novo em odres velhos; do contrário, rompem-se os odres, derrama-se o vinho, e os odres se perdem. Mas põe-se vinho novo em odres novos, e ambos se conservam." Mt 9.17.

 "Ninguém põe vinho novo em odres velhos; do contrário, o vinho romperá os odres; e tanto se perde o vinho como os odres. Mas põe-se vinho novo em odres novos." Mc 2.22.

"E ninguém põe vinho novo em odres velhos, pois o vinho novo romperá os odres; entornar-se-á o vinho, e os odres se estragarão. Pelo contrário, vinho novo deve ser posto em odres novos [e ambos se conservam]. E ninguém, tendo bebido o vinho velho, prefere o novo; porque diz: O velho é excelente."  Lc 5.37–39.

Ao que tudo indica, o problema quanto ao vinho e suas especificações se perdem no grego do Novo Testamento; já que nos originais temos apenas as traduções literal e simbólica do mesmo. Ou vinho é vinho, ou é símbolo da ira de Deus. E aqui muitos teólogos defensores do consumo de bebidas intoxicantes tentam fazer sua defesa, ignorando completamente o embasamento do Antigo Testamento, como se Deus mudasse seus ensinos já estabelecidos ao longo do tempo. Nesses textos, o Senhor Jesus Cristo apenas aborda o processo de produção de vinho em seus ensinos para demonstrar que os discípulos ainda não estavam prontos para a prática do jejum e só fizeram isso depois de sua partida. 
Jesus, porém, lhes disse: "Podeis fazer jejuar os convidados para o casamento, enquanto está com eles o noivo?" Lucas 5:34

Falsas Acusações 

Em um dos episódios envolvendo nosso Senhor Jesus Cristo, temos uma situação com muito a nos ensinar com respeito a muita coisa e também ao vinho. Cristo andava sempre no meio da multidão, que em sua maioria era composta por gente simples, carente e pobre. Quem o conhecia bem de perto e recebia suas palavras com humildade e com fé, entendia quem Ele realmente era: O Messias. Eles o seguiam, ouviam seus ensinamentos, cooperavam com seus bens e ofereciam hospedagem e alimentação para o Mestre. Mas no meio deles havia os fariseus e escribas que buscavam glória pessoal e moral perante o povo e estavam perdendo isso por conta das denúncias do Senhor contra eles. Claro que viviam tentando pegá-lo em pecado e contradições com suas perguntas maliciosas, acusações infundadas. 

"Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizem: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores! Mas a sabedoria é justificada por suas obras."  Mt 11.19.

"Pois veio João Batista, não comendo pão, nem bebendo vinho, e dizeis: Tem demônio! Veio o Filho do Homem, comendo e bebendo, e dizeis: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores! Mas a sabedoria é justificada por todos os seus filhos." Lc 7.33–35.

Eles o acusavam de glutão e bebedor de vinho; algo que parecia mau e condenável naqueles dias por parte dos religiosos. Não que Cristo praticava o que eles acusavam, mas tudo dá a entender que ou tinham aprendido a lição no passado por suas glutonarias e bebedeiras, como exposto aqui; ou eles estavam sendo hipócritas, como bem denunciou o Senhor, no que ensinavam, mas não praticavam. Interessante notar que Cristo deixa claro que João Batista, o maior profeta nascido entre os homens, não consumia vinho e nem pão, num gesto de abstinência contra os excessos. Os hipócritas o tinham por endemoninhado e Cristo, que bebia com os pecadores, era acusado de glutão e bebedor de vinho! Sentiu a maldade no ar? Como bem concluiu o Senhor: "Mas a sabedoria é justificada por todos os seus filhos." O que nos dá a entender que Ele não fazia tais acusações e nem bebia como eles imaginavam. 

Como não é possível mais avaliar as variações de termos nos originais no grego, prefiro me ater aos ensinos e tratamento de Deus quanto ao vinho. Presumindo logo, que Jesus, no muito, como judeu, bebia vinho, sim, mas não o fermentado ou intoxicante e muito menos era um ébrio como seus acusadores tentavam O infamar. Devemos deixar de usar pretextos para entrar em vícios e também cuidar em não acusar ninguém sem antes conferir o que o irmão foi fazer naquele bar. Quantos cristãos não foram pegos saindo de botecos com latinhas de cerveja escondidas? Eu já vi isso pessoalmente! Mas orei por ele sem nada infamar. Quantos não foram mortos espiritualmente por falsas acusações e relatos mentirosos? Vigiemos em ambos os sentidos! 

Vinho com Fel

Saltando para o momento da crucificação de Cristo, temos os soldados dando a Ele uma mistura de vinho e fel em uma espécie de esponja que havia ali. Ele apenas provou e não bebeu. Alguns estudiosos creem que o vinagre seria para amenizar a dor e até a sede; porém, recentemente, estudos lançaram uma luz sobre este ter sido mais um ato de crueldade e zombaria por parte dos romanos e que essa espécie de esponja com vinagre era usada nos banheiros de Roma, onde após fazerem suas necessidades, se limpavam com a mesma esponja que permanecia num vaso com vinagre! Isso faz todo o sentido conhecendo a maldade dos romanos e seus costumes. Na época de Cristo, os banheiros públicos eram compostos por uma calha coletora de águas que estava ligada a um ponto de água corrente, levando a água que passava por vários acentos, que ficavam ao ar livre. Não havia distinção entre masculino e feminino, esses acentos consistiam em duas pedras retas nas quais a pessoa apoiava as pernas (imaginem uma cadeira sem a parte central), a calha de água passava por baixo e desembocava em um rio ou córrego próximo. Cada assento possuía uma espécie de bucha feita com lã de carneiro que era usada como papel higiênico.   

"E, chegando a um lugar chamado Gólgota, que significa Lugar da Caveira, deram-lhe a beber vinho com fel; mas ele, provando-o, não o quis beber." Mt 27.33–34.

"Deram-lhe a beber vinho com mirra; ele, porém, não tomou."  Mc 15.23.

Existe ainda outra possível explicação quanto a essa mistura envolvendo o vinho. A palavra “fel”, no Novo Testamento, vem da palavra grega chole (Concordância de Strong # G5521) que literalmente significa veneno. Todos os versos do Antigo Testamento que usam esta palavra (Lamentações 3:5, 3:19, Jeremias 8:14, 9:15, 23:15 e assim por diante) têm uma definição comum de algo que tem um gosto amargo e é (muitas vezes) venenoso. A bebida oferecida a Jesus era um vinagre de vinho romano popular, que tinha uma “droga” (fel) misturada para entorpecer os sentidos. Era costume dos romanos oferecer a um homem sendo crucificado vinho com fel para que ele pudesse suportar a tortura da cruz. De qualquer forma, foi uma citação ao vinho que estamos estudando.

Exemplo de João Batista

Lucas escreve sobre João Batista e como o anjo do Senhor profetizou a Zacarias sobre a personalidade e ministério dele antes mesmo que nascesse! Ao que tudo indica, temos mais um grande exemplo de alguém separado para Deus conforme a lei do nazireado. Não está explícito isso, mas podemos contextualizar com as leis vigentes naquele tempo e como Deus declara que ele viveria. 

"Pois ele será grande diante do Senhor, não beberá vinho nem bebida forte e será cheio do Espírito Santo, já do ventre materno." Lc 1.15.

O próprio Deus diz que João Batista seria grande perante Ele! Jesus Cristo também enaltece a pessoa e o ministério de João Batista e cita aqueles que o acusavam de endemoninhado por não beber vinho. Observemos quem foi João Batista, sua fidelidade, ministério profético e determinação em pregar a mensagem de Deus como um exemplo a ser seguido sem se perder nos vícios ou na arrogância. Sempre humilde, ele não deixava de dizer a verdade e tinha autoridade para isso. Como repreenderia os bebedores de vinho se fosse um deles? Temos bons exemplos a serem seguidos! 

Vinho e as Feridas

Em uma de suas profundas parábolas, o Senhor lançava em rosto a inimizade dos judeus contra os samaritanos e usando este como exemplo e outras figuras da religião judaica; contou uma história onde o samaritano socorreu uma pobre vítima de assalto, quando os religiosos judeus com seus motivos banais passavam de largo. O homem ferido foi socorrido e tratado com azeite e vinho, tratou suas feridas e ainda teve sua hospedagem paga numa hospedaria. Um lindo gesto de amor para com o próximo, independente de sua raça ou credo. Era isso que Cristo queria lhes ensinar sobre quem era o próximo que deveriam amar. 

"E, chegando-se, pensou-lhe os ferimentos, aplicando-lhes óleo e vinho; e, colocando-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele." Lc 10.34.

Em 1697, já se encontrava na Farmacopeia Universal a receita do uso do vinho tinto para limpeza de feridas e retirada de secreções. Hoje nós compreendemos a razão para isso: as conhecidas propriedades antissépticas e bactericidas do vinho, particularmente contra os staphylococcus aureus. E você já usou o vinho para curar feridas? Eis aí um dos benefícios do vinho que não seja apenas consumo e busca por uma alegria vã e arriscada a levar aos vícios. A Bíblia é riquíssima em informações das mais diversas sobre tudo! 

Transformação da Água em Vinho

Um momento registrado exclusivamente por João, foi o primeiro sinal de Cristo transformando água em vinho e esse trecho encanta realmente os bebedores cristãos que tentam se amparar a todo custo nela. Pode ser extenso o comentário, mas o farei sem preguiça. As festas eram comuns entre os judeus e, além das tradicionais, havia casamentos também, como registrado por João. Jesus foi convidado com seus discípulos e, chegando lá, o vinho acabou cedo e isso era um problema; pois o vinho estava na cultura e mesas deles ainda. Cristo esperou sua hora de fazer o milagre e, tendo transformado água comum no melhor vinho provado pelo mestre sala, principiou seu ministério a partir daí com milagres e maravilhas. Aprendemos aqui sobre cultura que era costume servir o melhor vinho antes do mais inferior.

"Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho. Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser. Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente. Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram. Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora.  Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galileia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele."  Jo 2.3–11.

Que lição temos aqui? Que Jesus apoiou os bebedores de vinho com seu milagre? Ele ensinou isso com suas palavras? Deu-nos a entender direta e indiretamente que apoia os bebedores de vinho? Não! O foco era no seu poder divino de operar maravilhas e milagres! "Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galileia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele." Ora, se os discípulos passaram a crer nele só a partir desse milagre, isso expõe que não criam de fato que ele era o Filho de Deus! Não tem nada a ver com ensinamentos sobre beber ou não beber vinho, meu irmão! Tem a ver com Cristo, provando ser Deus através do que operou e seus discípulos contemplaram isso pessoalmente e tiveram sua fé edificada. Eu imagino esses discípulos de Baco comemorando uma heresia dessas ao lado de Cristo... Trágico.

Cartas do Apóstolo Paulo 

Liberdade e Amor

O apóstolo Paulo, homem de Deus escolhido dentre os perseguidores da Igreja de Deus, sofreu uma profunda transformação em Cristo; uma manifestação do mesmo o advertindo e chamando para uma grande missão e foi um dos maiores exemplos de conversão dentre os judeus e um mestre para os gentios. Ele foi uma espécie de ponte de conhecimento entre os judeus e gentios, conectando em Cristo e também teologicamente. Ele usou de todo seu brilhante conhecimento das leis e também reforçou e ampliou os ensinos de Cristo a todos que o ouviram e receberam. E no ponto mais alto do ensinamento de Cristo, ele deixou recomendações essenciais e sábias aos cristãos romanos sobre a liberdade e o amor ao próximo. Na verdade, eu te recomendaria ler Romanos 14:13-23 da carta, onde Paulo esclarece que, embora tenhamos maturidade para julgar o que é puro ou impuro perante Deus, nem todos são assim e por isso devemos tomar cuidado com nosso exemplo no que comemos ou bebemos. 

"É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou se ofender ou se enfraquecer]."  Rm 14.21.

"Ninguém tem nada com a minha vida!" ou "Cada um dará conta de si a Deus!". São frases hedonistas, conformistas e egoístas de pessoas arrogantes, presunçosas e distantes do amor sacrificial de Cristo que, não atentando para Si só, se despiu da majestade, vivendo como um homem simples, abriu mão até de sua vida por todos nós! Paulo não repassa um mandamento de Deus e muito menos profetiza sobre isso, mas nos leva a refletir sobre os mandamentos de Cristo sobre amar nossos irmãos. O que vai ser? Vou comer de forma escandalosa e beber da mesma forma, escandalizando meus irmãos na fé ou me portar, ainda que com renúncia sofredora, como um exemplo para eles? O termo "tropeçar" no original, também traz: "levar a pecar". É levar alguém a pecar pelas nossas atitudes! Talvez você se considere correto bebendo e no domínio por agora, mas se alguém mais fraco na fé seguir seu exemplo e cair em desgraça na bebedeira e se desviar da fé? "Problema dele…" seria sua próxima frase de efeito? "Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. Aquele que deste modo serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens." Rm 14.17–18.

Cristãos Beberrões

Embora, nos dias atuais, pastores têm ensinado as ovelhas a serem brandas e meigas com os ímpios no meio de nós com seus vícios e rebeldias, o apóstolo Paulo, por sua vez, foi enfático com os irmãos em Corinto para que expulsassem do meio deles esse tipo de gente que só traria problemas aos demais, poderiam influenciar os fracos e tornar o trabalho dos líderes complicado. Sem contar o escândalo perante a sociedade, como foi o caso desse sujeito que mantinha relações sexuais com sua madastra! Paulo faz uma breve lista, falando de algumas práticas pecaminosas e fala também o "irmão" beberrão que gosta de molhar o bico. Será que os tais leêm de fato a Bíblia toda? Será que estamos tratando rispidamente os tais para despertamento da consciência e arrependimento ou estamos tratando apenas como pobres coitados inocentes? Conheço pastores e obreiros que se aventuram nas bebidas, não são inocentes! 

"Já em carta vos escrevi que não vos associásseis com os impuros; refiro-me, com isto, não propriamente aos impuros deste mundo, ou aos avarentos, ou roubadores, ou idólatras; pois, neste caso, teríeis de sair do mundo. Mas, agora, vos escrevo que não vos associeis com alguém que, dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal, nem ainda comais. Pois com que direito haveria eu de julgar os de fora? Não julgais vós os de dentro? Os de fora, porém, Deus os julgará. Expulsai, pois, de entre vós o malfeitor. " Almeida Revista e Atualizada (Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1993), 1Co 5.9–13.

O Vinho e a Dissolução

Paulo, escrevendo aos cristãos em Éfeso, enfaticamente os alertou a não se embriagarem com vinho que leva à dissolução, mas que buscassem ser cheios do Espírito Santo. Resumindo e focando, ele queria que eles abandonassem tudo que os levasse a um regresso na fé e buscassem ser cheios das coisas de cima, como cantar hinos e cânticos espirituais; adorando e agradecendo ao Senhor. Dissolução aqui fala de uma vida descontrolada pelo vinho. Cuidado que Paulo tinha com os cristãos, já conhecendo a história de seus antepassados e como se perderam nesses caminhos por embriaguez. Algumas traduções podem trazer "contenda" também, o que é um fato depreciativo das bebidas também. Todo beberrão gosta de contender, discutir! 

"Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo." Ef 5.17–21.

É fato que todo cristão que sente desejo de consumir bebida de qualquer natureza, no âmbito de vinhos, sucos e cervejas, sente desejo de coisas que já foi liberto um dia. E se assim não for, corre o grave risco de ser dominado por esse engano e acabar em desgraça espiritual e mesmo física, como já demonstrado aqui e visto em nossos dias. Eu bebi, meus familiares bebiam ou ainda bebem e nunca vi proveito em nada disso! Feliz e santo o apóstolo Paulo em nos deixar essa recomendação sábia e inteligente! Se não quer se tornar um dissoluto, meu irmão, vigie! 

Requisitos de um Líder

Escrevendo a Timóteo e também a Tito, seus filhos na fé e jovens pastores, Paulo deixa claro quais seriam os requisitos para que alguém seja um bispo, ancião, líder ou mesmo pastor de uma igreja. A tradução nos permite vagar entre esses termos. Dentre as qualidades e características descritas por Paulo, o candidato não deveria ser "dado ao vinho"; ou, não beber. Óbvio que os bebedores cristãos sempre querem suavizar o texto e alegar que seria uma referência a beber demais da conta; mas onde está isso mesmo? Confira a lista das exigências e, depois, reflita um pouco mais comigo. 

"É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento; e que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo." 1Tm 3.2–6.

"Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância; antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si, apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem." Tt 1.7–9.

Havendo Deus repreendido ébrios no passado, autores alertaram contra os males e consequências dos que admiram e entram por esse caminho; seria de bom testemunho e aceitável um líder espiritual responsável por cuidar do rebanho de Cristo ser dado ao vinho? O mesmo seria irrepreensível perante a igreja? Sóbrio? Temperante? Apto para ensinar? Com certeza, este ensinaria que beber um vinho ocasionalmente não dá em nada. E se do vinho surge contenda, como enfatizou Paulo em suas cartas, como fica o obreiro bebedor de vinho que deveria ser inimigo de contendas? Como governaria bem a sua casa se induziria seus filhos ao erro com seu mau exemplo? Eu realmente não consigo imaginar alguém vivendo em ambos os extremos, liderando o povo de Deus. Melhor evitar pastor... Claro que existem igrejas que seus líderes tomam até cerveja e induzem os membros por seus exemplos e ensinamentos a fazerem o mesmo; imagine suas festas! Eu sei como são! Vigiemos! 

Requisitos de um Diácono

Paulo fala ainda sobre os requisitos dos candidatos ao diaconato e descreve as características exigidas. Mas dessa vez ele cita claramente que não fossem inclinados a "muito vinho". Não temos como separar aqui no original de que vinho Paulo esteja falando, mas sabemos culturalmente que Éfeso, onde Timóteo pastoreava, era uma cidade onde o vinho era um produto comercial muito negociado e consumido, logo, isso pode nos dar um contexto de que certamente consumiam em suas mesas algum tipo de vinho sim. Não há como se apoiar somente neste texto para se embriagar e sair bebendo todas.

"Semelhantemente, quanto a diáconos, é necessário que sejam respeitáveis, de uma só palavra, não inclinados a muito vinho, não cobiçosos de sórdida ganância, conservando o mistério da fé com a consciência limpa. Também sejam estes primeiramente experimentados; e, se se mostrarem irrepreensíveis, exerçam o diaconato." 1Tm 3.8–10.

Timóteo foi aconselhado por Paulo a usar o vinho com água para seu problema estomacal, isso indica que ele poderia usar desse pouco de vinho para um problema específico sem entrar em contradição com o que Paulo recomendo quanto aos diáconos. Mas posso dizer enfaticamente que Paulo não entraria em contradição em seus ensinamentos sobre o beber vinho. O ensino final é: melhor evitar! Eu sou diácono e posso falar que saí desse mundo das mais nojentas bebidas. Comecei pelas leves e terminei perdendo o caminho de casa, mas fui liberto, compreendi que isso não era bom, me tornei um diácono exemplar perante a igreja e recomendado por todos os meus pastores até aqui e não sinto necessidade de "molhar o bico" nem para matar saudades! Deixa isso para lá, vigiem, diáconos! 

Enfermidade de Timóteo

Num trato carinhoso e inteligente de Paulo ao seu filho na fé, ele recomenda que Timóteo tome água misturada com vinho para sanar ou viabilizar as suas frequentes enfermidades estomacais. Não era uma revelação e muito menos uma doutrina apostólica! Paulo estava apenas usando os meios medicinais da época para amenizar o sofrimento de um irmão e amigo! 

"Não continues a beber somente água; usa um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas frequentes enfermidades." 1Tm 5.23.

O vinho pode ajudar na digestão, mas é importante lembrar que o consumo excessivo de álcool pode irritar a mucosa do estômago, aumentando a quantidade de ácido no local. O vinho possui acidez natural, que é uma das maiores qualidades em um vinho, mas se você tiver problemas gástricos, ela pode se tornar vilã. Não há detalhes sobre que enfermidade Timóteo tinha e muito menos indicações médicas sobre água e vinho; mas posso concluir, sem nenhum doutrina ou revelação, que o fato de Timóteo misturar vinho na água, suavizaria os efeitos ácidos do mesmo no estômago, conforme revelam dados científicos sobre uso do vinho puro no caso de má digestão. Mas muitos cristãos não querem entender que isso não constitui doutrina de Deus, muito menos querem uma enfermidade estomacal para depois tomar vinho com água. Eles querem puro! E há ainda os que querem se abastecer de toda sorte de bebidas possível; "com moderação" claro.   

Mulheres Idosas

Mais uma vez, Paulo, escrevendo a Tito, enfatiza que as senhoras cristãs deveriam, dentre tantas observações, não serem escravizadas por muito vinho. Pensa num negócio embaraçoso. Uma mulher escravizada pelo vinho é mais complicada que os homens! Já que as mulheres de nosso tempo foram consideradas poesia, símbolo de beleza e inspiração para canções, ver uma mulher bêbada é realmente muito depreciativo e ruim. Uma mulher cristã idosa, então, nem se fala! 

"Quanto às mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias em seu proceder, não caluniadoras, não escravizadas a muito vinho; sejam mestras do bem, a fim de instruírem as jovens recém-casadas a amarem ao marido e a seus filhos, a serem sensatas, honestas, boas donas de casa, bondosas, sujeitas ao marido, para que a palavra de Deus não seja difamada." Tt 2.3–5.

Embora esteja claro que deveriam evitar cair na escravidão pelo vinho, a história humana de modo claro mostrou que todos que mergulharam nessa escravidão sempre começaram pelo "pouco vinho" ou por pequenas doses, como eu. Fato é que em nenhum momento o apóstolo Paulo quis ensinar ninguém a beber vinho. As pessoas pareciam ter esse costume e ele vivia aconselhando a terem controle e sempre depreciava o vinho como causa de contenda, dissolução e causador de escravidão. Se você apenas focar no "muito vinho" e ter isso como pretexto e brecha para beber, incorrerá no risco de cair no vício e se tornar um escravo com certeza. Para mim, é inútil. 

Apocalipse

Citações Literais e Simbólicas

Não comentarei cada texto em Apocalipse, pois num resumo geral, são citações voltadas a fatos acontecendo dentro dos eventos nas pragas e simbolismos representando outras verdades, como vinho dos pecados da Babilônia ou taça da ira de Deus. Sem muito a ver com o foco da minha busca. Mas note que, se de um lado simboliza abominação e pecado, do outro simboliza ira e juízo de Deus! 

"E ouvi uma como que voz no meio dos quatro seres viventes dizendo: Uma medida de trigo por um denário; três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho." Ap 6.6.

"Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição." Ap 14.8.

 "Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro." Ap 14.9–10.

"E a grande cidade se dividiu em três partes, e caíram as cidades das nações. E lembrou-se Deus da grande Babilônia para dar-lhe o cálice do vinho do furor da sua ira." Ap 16.19.

 "Veio um dos sete anjos que têm as sete taças e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei o julgamento da grande meretriz que se acha sentada sobre muitas águas, com quem se prostituíram os reis da terra; e, com o vinho de sua devassidão, foi que se embebedaram os que habitam na terra." Ap 17.1–2.

"Então, exclamou com potente voz, dizendo: Caiu! Caiu a grande Babilônia e se tornou morada de demônios, covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo gênero de ave imunda e detestável, pois todas as nações têm bebido do vinho do furor da sua prostituição. Com ela se prostituíram os reis da terra. Também os mercadores da terra se enriqueceram à custa da sua luxúria." Ap 18.2–3.

"E, sobre ela, choram e pranteiam os mercadores da terra, porque já ninguém compra a sua mercadoria, mercadoria de ouro, de prata, de pedras preciosas, de pérolas, de linho finíssimo, de púrpura, de seda, de escarlata; e toda espécie de madeira odorífera, todo gênero de objeto de marfim, toda qualidade de móvel de madeira preciosíssima, de bronze, de ferro e de mármore; e canela de cheiro, especiarias, incenso, unguento, bálsamo, vinho, azeite, flor de farinha, trigo, gado e ovelhas; e de cavalos, de carros, de escravos e até almas humanas." Ap 18.11–13.

"Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e ele mesmo as regerá com cetro de ferro e, pessoalmente, pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso." Ap 19.15.

 

Efeitos da Embriaguez Hoje 

Além de experiências pessoais e próximas a nós, temos ainda incontáveis e intermináveis tragédias e desgraças que aconteceram, acontecem nesse exato momento e acontecerão no mundo no futuro, confirmando o quanto cair nesse vício é problemático, prejudicial e até mortal. Seguem um número ridículo, mas suficiente para reforçar o entendimento das Escrituras e nos espantar essa vontade de beber e correr para o perigo: 

Embriaguez ao Volante / Assassinato por Embriaguez / Embriagues e Estupro / Assalto e Embriaguez / Morte por Excesso de Embriaguez / Bêbados e Cagados / Celebridades Bêbadas / Descontrole e Consequências / Morte por Afogamento / Morte por Eletrocussão / Cirrose HepáticaBêbado Violento / Pastores Alcoolizados / Padres Bebendo / Mãe Embriagando Filhos / Cristãos Evangélicos Bebendo / Pais Alcoolizados

O uso nocivo do álcool também pode resultar em danos a outras pessoas, como membros da família, amigos, colegas de trabalho ou estranhos. Além disso, o uso nocivo de bebidas alcoólicas resulta em um fardo significativo em termos sociais, econômicos e de saúde. O consumo de álcool é um fator causal em mais de 200 doenças e lesões. Está associado ao risco de desenvolvimento de problemas de saúde, tais como distúrbios mentais e comportamentais, incluindo dependência ao álcool, doenças não transmissíveis graves, como cirrose hepática, alguns tipos de câncer e doenças cardiovasculares, bem como lesões resultantes de violência e acidentes de trânsito. Uma proporção significativa da carga de doenças atribuíveis ao consumo de álcool decorre de lesões intencionais e não intencionais, incluindo aquelas causadas por acidentes de trânsito, violência e suicídios. Lesões fatais relacionadas ao álcool tendem a ocorrer em grupos relativamente mais jovens. As relações causais mais recentes são aquelas entre o uso nocivo de álcool e a incidência de doenças infecciosas, como a tuberculose e o HIV/aids. O consumo de álcool por mulheres grávidas pode causar síndrome fetal do álcool e complicações no parto prematuro.  

A maior parte dos que entram por esse caminho terminam em desgraça. 
Imagem: Yandex

Considerações e Conclusão


Me resta reforçar que fui um viciado em bebidas que começou com pequenas doses "inocentes" de cerveja, passou a consumir batidas de sabores, depois farmacinha, como eram chamadas as misturas nojentas em minha cidade, e terminei na vodca e quase entrei na cachaça! Minha mãe bebia, meus irmãos mais velhos bebiam (ambos morreram bêbados, um atropelado e o outro afogado) e meus amigos bebiam. Um dos meus amigos sofria com diabetes e não podia beber, mas o vício dominava ele e numa determinada e última noite, ele chegou de um baile da terceira idade passando muito mal e morreu trancado dentro do seu quarto sem ter quem o ajudasse... Ele tinha bebido naquela noite novamente. 

Eu me rendi a Cristo no ano de 1999 deixando tudo isso para trás de verdade e com um coração arrependido me entreguei a Deus buscando uma nova vida livre dos vícios e caminhos tortuosos que andei. Me manteve Deus assim até a data deste artigo no ano de 2024. Alcancei a graça e confiança de ser diácono, músico, professor e superintendente na escola bíblica, sempre tentando a melhor versão de mim em Cristo, dando bom exemplo aos meus irmãos. Vivi para ver novas heresias rondando os crentes e as igrejas e conheci comunidades inteiras onde mesmo os líderes apoiavam e praticavam a bebedeira. Eles falavam de beber controladamente, mas nos bastidores e festas às escondidas, os escândalos eram notórios! Não aprendi assim nas Escrituras e ainda que meus líderes na comunidade que admiro desde muito tempo, comecem se corromper, eu permanecerei buscando ser melhor e ficar sóbrio. 

O intuito deste artigo não é afrontar bêbados ou convencer quem quer que seja a parar de beber, mas demonstrar que a verdade de Deus não muda e de tudo que pude pesquisar, ler e absorver até aqui é que as bebidas são ilusões que em alguns casos possuem pouco proveito e benefício e quem nelas se perde, pode perder tudo que tem e até sua vida! Eu explorei todos os textos ao meu alcance sobre o assunto para refutar algumas vertentes e heresias entre nós cristãos sérios, que tentam ganhar força através dos corações frágeis, abatidos ou corrompidos. Devemos obedecer à Palavra de Deus e nos manter sóbrios e limpos perante Deus, a sociedade e a Igreja. Devemos ser exemplos em tudo, mesmo com pequenas falhas; seguir melhorando e tirando vidas do lamaçal do pecado. Se você é cristão e trilha esses caminhos, recomendo que lute para sair, antes que seja tarde e volte para a pureza que um dia viveu perante Cristo. 

Se você é apenas alguém que sempre viveu nesses vícios e não é de Cristo ainda, peço a Deus que, através do Espírito Santo e da Palavra, venha gerar fé em seu coração e desejo por libertação. Que Ele ouça suas orações e restaure sua vida, se já está uma ruína até aqui por conta dos vícios. Ainda há tempo de ser salvo e restaurado. Há sempre esperança em Cristo! Meu sincero desejo e oração é que todos se salvem dessas condições humilhantes, cansativas, depreciativas e depressivas. Deus abençoe sua vida e espero que este artigo sirva para todos que realmente querem a verdade sobre este assunto. E se ainda restar alguém que insistentemente queira permanecer nesse caminho de forma arrogante e resiste, cito meu ditado: "Uns aprendem sendo ensinados, outros observando e outros ainda experimentando." Não é Deus, os pastores sérios ou qualquer texto sagrado que te convencerá do contrário, pois pode já estar viciado e focado em querer esse caminho. Deus tenha misericórdia de todos que se iludem com a alegria passageira, a adrenalina, a ousadia e liberdade que essas bebidas proporcionam falsamente. Peço que se inscreva no Verdade Urgente para receber as atualizações e compartilhe com quem necessita saber a verdade de Deus sobre as bebidas. Que a paz esteja contigo! 

Observação: Pode ser que textos extras tenham passado sem que eu percebesse e posso estar enganado em alguma informação como é de todo homem, errar. Fique a vontade em comentar, complementar, corrigir ou elucidar novas informações. 

Fontes:
Google Search
Almeida Revista e Atualizada
Ricardo F.S

Escritor no Blogger desde 2009. Adorador do Cristo Vivo. Artista por Natureza. Músico Autodidata. Teólogo Apologeta Zeloso. Homem Falho, Apreciador de Conhecimentos Úteis e de Vida Simples e Modesta. 😁

Postar um comentário

Você pode participar dando sua opinião, complementando o assunto, apontando correções, elogiando ou criticando com respeito. Sinta-se a vontade! Aqui você só recebe a educação que compartilha!😁

Postagem Anterior Próxima Postagem