Quem foi o pai de Selá? Cainã ou Arfaxade?

Um dos possíveis erros citados pela Andreia em seu blog A Profetiza, é no que diz respeito as genealogias citadas em algumas passagens da Bíblia em Gênesis e Lucas; onde uma descreve Arfaxade como pai de Selá (na verdade) e outra cita Cainã. Mas qual seria o verdadeiro pai de Selá? A tradução do nome varia entre Selá, Salá ou Salé, sendo na pronúncia hebraica "Shelah".

Este é o segundo erro citado no blog e estaremos respondendo a essa pergunta da nossa amiga Andreia e muitas outras pessoas que querem saber a verdade sobre o assunto; por curiosidade ou por desejo de que a Bíblia seja desprezada mesmo. Fiz algumas leituras e pesquisas e realmente existe essa divergência nos textos, mas procurei saber oque aconteceu e encontrei algumas respostas para essa questão.

Livro de Gênesis
Quem foi o pai de Selá? Cainã ou Arfaxade? Contradição nas Escrituras? Imagem: Blog de Resumos


Cainã ou Arfaxade?

Como dito, pesquisei sobre o assunto e li algumas referências e pude encontrar as seguintes explicações plausíveis para esta divergência:

1 - Lucas relaciona um segundo Cainã entre Arfaxade e Selá (Lc. 3:36). Isto é considerado pela maioria dos eruditos como erro de copista. Esse nome não consta nesta posição nas listas genealógicas dos textos hebraico e samaritano, nem em targuns ou versões, exceto na Versão dos Setenta, e possivelmente nem nas primeiras cópias dela pois, Flávio Josefo, que usualmente seguia a Versão dos Setenta, alista Selá (Shelah) a seguir, como filho de Arfaxade. (Antiquities of the Jews, Livro I, Cap. VI, par. 7) Os primitivos escritores, Africano, Eusébio e Jerônimo, rejeitavam isso como interpolação. Outra possibilidade é que “Cainã” seja uma variante para “caldeu”. De modo que o texto grego pode ter rezado “filho do caldeu Arfaxade”.

2 - Um dos alistados na genealogia de Jesus Cristo, por Lucas, como filho de Arfaxade. (Lc 3:36) O nome Cainã aparece nas listas genealógicas em cópias atuais da Septuaginta grega, tais como o Manuscrito Alexandrino, do quinto século D.C. (Gn. 10:24; 11:12, 13; 1Cr. 1:18, mas não em 1Cr. 1:24), embora não seja encontrado nos manuscritos hebraicos existentes das Escrituras Hebraicas. O nome Cainã falta também em Lucas 3:36 em dois manuscritos bíblicos (Papiro Bodmer 14, 15, de c. 200 D.C.; Códices Bezae, do quinto e do sexto séculos D.C.). Esta omissão está em harmonia com o texto massorético em Gênesis 10:24; 11:12, 15; e 1 Crônicas 1:18, segundo o qual o filho de Arfaxade é Selá, não Cainã.




A confusão acontece porque o evangelista Lucas usava a Septuaginta, ou seja, a versão grega do Antigo Testamento, e nessa versão as passagens de Gn. 10,24 e 11,12-13 aparecem trazendo o nome de Cainã como pai de Salé ou Selá.

O Antigo Testamento foi escrito em hebraico e aramaico. Contudo, houve um tempo em que os judeus começaram a ir morar em outros países, que falavam língua grega. Para esses judeus foi feita uma tradução da Bíblia (por óbvio constando apenas os livros do Antigo Testamento) para o grego, elaborada por setenta sábios judeus, daí o nome Septuaginta. Essa Bíblia diferenciava-se da Bíblia hebraica em alguns pontos, e esse era um deles.

Como são Lucas usava a Septuaginta, quando ele foi citar o Antigo Testamento, citou-o da mesma forma como consta na versão grega, ou seja, com Cainã como pai de Salé ou Selá.

Podemos conferir, mesmo sem conhecer nada de grego:

“kai arfaxad egennhsen ton kainan kai kainan egennhsen ton sala sala de egennhsen ton eber” (Gn 10,24)

O mesmo vale para Gn. 11:12-13, que no texto grego diz que quando Arfaxade completou trinta e cinco anos gerou Cainã, e que Cainã gerou Salé.

Portanto, não há contradição entre Lc. 3:35-36 e Gn. 10:24. Muito pelo contrário, Lucas foi fiel ao texto bíblico que possuía.

Conclusões Óbvias

Um médico passa uma receita com um medicamento errado para um paciente e este paciente acaba morrendo, será que ainda que seja seu parente, jamais irá a uma consulta médica ou hospital novamente?

Um comerciante te vende um produto com preço certo, mas no computador te cobra a mais; por esse erro nas informações e cálculos você nunca mais vai comprar nada no comércio?

Por legisladores e o congresso nacional criarem leis que ferram a sua vida, você nunca mais vai recorrer as leis para se defender ou julgar uma causa em seu favor?

Com isso, fica óbvio que com pequenos erros humanos durante uma cópia em um registo genealógico das Escrituras, não vai atingir nem minha inteligência, nem minha fé e nem muito menos minha Salvação. E isso não é uma contradição, mas sim um erro como qualquer outro livro pode conter em sua estrutura literal. Ou estou errado?

Antes de mais nada a Bíblia é uma coletânea de livros escritos por homens comuns. Se ainda hoje com toda tecnologia que existe em se criar documentos e corrigi-los os homens erram, imagine naquela época? Mas é claro que erros humanos não mudam a essência da mensagem e o próprio apóstolo Paulo deixou uma recomendação que vale dar uma lida:

"Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs." Tito 3:9

"Nem se deem a fábulas ou a genealogias intermináveis, que mais produzem questões do que edificação de Deus, que consiste na fé; assim o faço agora." 1 Timóteo 1:4

Comentários